Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

AP 470

PT não irá punir filiados condenados na AP 470

O Partido dos Trabalhadores (PT) não pretende proceder com medidas de punição dos filiados condenados pelo Supremo Tribunal Federal no julgamento da Ação Penal 470, o processo do mensalão. O presidente do PT, Rui Falcão, disse, após o encerramento da reunião do diretório nacional, em Brasília, que falta a comprovação de um “crime infamante”, conforme prevê o estatuto da legenda, para efetivar uma eventual punição. As informações são da Agência Brasil.

“E questionamos o caráter político do julgamento do STF, porque consideramos que não houve compra de votos nem tampouco a aplicação de recursos públicos”, disse Falcão durante o encontro.

O presidente do partido declarou também que pretende colaborar pessoalmente com o pagamento das multas impostas aos réus condenados. “O PT não [vai pagar as multas]. Eu já ouvi manifestação de inúmeros companheiros que estão dispostos a se cotizar, até porque os companheiros não têm recursos para pagar essas multas, totalmente desproporcionais aos crimes que lhes são imputados”, declarou.

Falcão ainda reiterou que a perda de mandatos dos parlamentares condenados cabe à chancela da Câmara dos Deputados e não ao Supremo Tribunal Federal.

Revista Consultor Jurídico, 9 de dezembro de 2012, 17h40

Comentários de leitores

7 comentários

Organização criminosa

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Se filiados a um partido político foram condenados com sentença definitiva por práticas criminosas consideradas como graves, e não são expulsos, só posso admitir que esse partido é na verdade uma organização criminosa.

tristeza

Servidor estadual (Delegado de Polícia Estadual)

É triste ver este tipo de corporativismo aflorecer. Demonstra pouco afeto à democracia, pois não se pode aplaudir uma Corte apenas quando suas decisões são favoraveis. No tocante a peda do mandado é o preço de se querer dizer demais numa Constituição, prolixa, exagerada, que deu tantos poderes aos parlamentares que nos sentimos diante de Deuses, que podem, inclusive, conceder o auto perdão.

pois é

Ricardo A Fronczak (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

Não me recordo o autor, mas a frase vem a calhar: "O PT era um partido de presos políticos, e agora é um partido de políticos presos....."

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 17/12/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.