Consultor Jurídico

Comentários de leitores

5 comentários

Flagrante forjado

Motta Gomes (Outros)

O flagrante da forma como narrado é forjado e, pois, ilícito, merecendo anulação. Contudo, a ilicitude do flagrante não macula a existência do crime, visto que o efetivo pagamento é mero exaurimento do tipo ou, quando muito, causa de aumento de pena.

exceção

Ricardo T. (Outros)

O fato é uma exceção. Os defensores, heróis do pobres e oprimidos, apesar do "gordo" salário, vem ditando o direito no área penal. Defensor defende pobre mas não precisa ser pobre!

Deve ser demitido e responsabilizado

rafahen (Defensor Público Estadual)

Se for verdadeira a acusação, que seja extirpado do serviço público e, consequentemente, desta nobre função. Frutas podres há em todas instituições.

O que começou errado....

Ademilson Pereira Diniz (Advogado Autônomo - Civil)

sinceramente, nunca entendi haver sido atibuído à DEFENSORIA PÚBLICA legitimação para AÇÃO CICIL PÚBLICA. Eles quiseram MEL e agora brincam de MELADOS...Sim; não há justificativa para tal legitimação. Querem transformar a DEFENSORIA numa INSTITUIÇÃO DE ESTADO quando não passa de uma advocacia simplesmente paga pelo ESTADO. É um SUS JURÍDICO, por assim dizer! Daí os abusos denunciados pelo comentarista anterior (Marcos Alves Pinar) que creio deve exisitr mesmo. É hora de se pensar na responsabilização do ESTADO pelos danos causados com ações indevidas propostas pela DEFENSORIA PÚBLICA; a outra parte fica obrigada a contratar e pagar advogado e custas, e o sujeito 'pobrinho' fica a dar risadas dos malefícios que causou, servindo-se, para tanto, de um serviço público. É o caso de se pedir, sempre que a demanda for evidentemente indevida, a condenação do postulante por LITIGÂNCIA DE MÁ-FÉ e depois, com a senteça transitada em julgado, acioná-lo em LITISCONSÓRCIO com o ESTADO e receber deste a indenização pertinente.

Força política

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O Prefeito tem dinheiro, e pode usar a força política do cargo para armar um flagrante com a ajuda do MP. Mas, e o restante da população, como poderá se livrar das perseguições dos defensores públicos, que com vencimentos e material de escritório pagos por nós podem livremente atormentar quem eles querem sobre o pretexto de "defesa do pobre"?

Comentar

Comentários encerrados em 10/12/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.