Consultor Jurídico

Entrevistas

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Direito & Literatura

Os miseráveis, do escritor francês Victor Hugo

Direito e Literatura: do Fato à Ficção é um programa de televisão apresentado pelo procurador de Justiça do Rio Grande do Sul e professor da Unisinos Lenio Streck, onde se discute, com convidados, uma obra literária e seu diálogo com o Direito. A obra desta edição, que a ConJur reproduz a seguir, é Os miseráveis, de Victor Hugo. Participam do debate Fábio D’Ávila, professor da Faculdade de Direito da PUC-RS, e Maristela G. S. Machado, professora da Faculdade de Letras da UFPel (Universidade Federal de Pelotas). Veja o programa:

Direito e Literatura - Os Miseráveis from Unisinos on Vimeo.

Revista Consultor Jurídico, 24 de agosto de 2012, 8h00

Comentários de leitores

3 comentários

então deveriam comprovar a carência do cliente, mas

daniel (Outros - Administrativa)

então deveriam comprovar a carência do cliente, mas não estão fazendo e não faz sentido quererem "monopólio de pobre", pois o Estado e a sociedade podem criar várias formas de atendimento ao carente.

discordo

JailtonFederal (Procurador Federal)

Prezado Daniel, discordo de vc. Defender os pobres não significa defender a própria pobreza. A defensoria pode sim ser uma instituição forte e estruturada, pagando boa remuneração a seus membros, sem que se afaste dos hipossuficientes.
Outro dia fui a inauguração de instalações da defensoria estadual em uma cidade do interior. Fiquei satisfeito em ver que os carentes terão uma sala de espera com ar condicionado, com cadeiras novas, ambiente limpo, etc, etc.
Chega de achar que todo serviço público que se destina ao cidadão mais humilde tem que ser "de pobre".

Defensoria adora explorar os miseráveis para manter mordomia

daniel (Outros - Administrativa)

Defensoria adora explorar os miseráveis para manter as mordomias dos defensores públicos, os quais usam os pobres como escudo.

Comentários encerrados em 01/09/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.