Consultor Jurídico

Comentários de leitores

17 comentários

Lamentável

Observador.. (Economista)

Estão usando a - conhecida - personalidade forte do Min.Joaquim Barbosa, para combate-lo no campo pessoal.E não na técnica processual.
Se tornou um Big Brother jurídico.Todos querem aparecer.Mostrar conhecimento, profundidade, satisfazer os próprios egos.Se expôr às palmas da torcida.
Acho ruim.Deviam estar - e somente isto - procurando fazer justiça e prevalecer a lei.
O Min.Joaquim, em minha opinião, está fazendo um ótimo trabalho, obscurecido - talvez - por sua personalidade forte e combativa.
Não sou advogado e, portanto, não vou aplaudir nem bajular o Dr.Toron.
Acho que poderia haver mais respeito, senão à pessoa, ao cargo que ela exerce.
Muitos pavões tem esta dificuldade.Devem, com seus botões, pensar " eu sou muito melhor que ele " e estas divagações dão o norte de suas condutas.

O defensor que dobrou o Supremo

Carmem_Soares (Outros)

A única vitória da defesa no caso mensalão até agora não foi conquista de nenhum dos advogados estrelados que atuam no julgamento, nem custou cifras milionárias. Aliás, foi de graça. O defensor-geral da União, Haman Córdova, fez o que nem o ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos, nem Kakay, nem Toron, nem Pitombo conseguiram: convenceu os 11 ministros do Supremo Tribunal Federal a desmembrar o processo e a mandar o caso de seu cliente, Carlos Alberto Quaglia, para ser julgado em primeira instância.
É um grande espetáculo para o qual o Dr. Haman não foi convidado, mas já fez o seu trabalho

O tamanho do ego!

José_Jr (Advogado Assalariado - Família)

O ego dos participantes do "Julgamento do Mensalão" supera o das grandes estrelas da vênus platinada Globo. Fico com os comentários de Reinaldo Azevedo sobre as "galimatias" de Toron, proferidas o dia todo, por todos que lá estão... Puro “discurso verborrágico, esquisito, hermético, ininteligível”. Enrolação pura para absolver os mensaleiros. Será que escapam? E tem gente ficando rica com nosso dinheiro.

Esquentando... Sonia Racy

José_Jr (Advogado Assalariado - Família)

Esquentando
18.agosto.2012 | 1:03
Circula entre advogados uma carta do presidente licenciado da OAB, Luiz Flávio Borges D’Urso, contestando duramente declarações de Alberto Toron.
E explicando por que o candidato à presidência da entidade passou para a oposição: o advogado teria exigido continuar como diretor do Conselho Federal, no que não foi atendido.
Quero ver se ele vai processar também!

"Ranço Racista"?!

Richard Smith (Consultor)

.
Cuma?, Dra. Sandra?! "Ranço racista" por parte de REINALDO AZEVEDO, por quê? Primeiro que o posto do blogueiro era enorme e falava principalmente da perda de tempo que vem fazendo com que se procrastine o processo quando este tempo poderia ser melhor utilizado. Depois, ele se referia principalmente ao Min, Lewandowski e Marco Antonio Mello com as suas verborrágicas intervenções!
.
Ou seria porque entrou um CHICABON na história, pronto a ser substituído por Côco pelo neto impaciente?!!!
.
Seu comentário me lembra antiga anedota: A professora de Joãozinho com um de suas provas na mão aonde o moleque havia escrito um monte de indecências na parte em que devia comentar acerca de figuras sobre flores e paisagens, chamou o pai do menino incontinenti. Explicado o caso mostrou para o pai a prova, certamente esperando outra resposta do progenitor do famos delinquentezinho. Mas o que ouviu foi: "Também, a senhora só mostra sacanagem para o garoto!"
.
Acho bem que o propalado "racismo", está na sua cabeça!
.
Que coisa!

Toron, impecável como sempre!

Sandra Paulino (Advogado Autônomo)

Entre tantas outras razões, essa é apenas uma das quais vou votar para eleger Toron para a presidência da OAB/SP: ditadores, agressores e perseguidores de advogados não estão apenas em Brasilia... parecem concentrar-se preferencialmente no Estado de SP! Minha solidariedade ao advogado Pitombo. Quantos aos ministros, tem eles todo o direito de apresentar seus votos como quiserem, só não podendo faltar com a urbanidade como o Exmo. Sr. Min. Joaquim Barbosa fez. Complexado ou não, representante da senzala ou não, com o ranço racista expresso por Reinaldo de Azevedo ou não, precisa saber contornar isso tudo e se posicionar de forma educada, mostrando que tem sua verdade, mas precisa aprender a respeitar a dos outros também, aliás, ninguém ali deve subordinação a ninguém. Se quiser, Ministro, pode pegar umas dicas de elegãncia e civilidade com o brilhante advogado Alberto Zacharias Toron. Fik-a-dik!

Conheci três

Jose Benedito Neves (Advogado Sócio de Escritório)

Nessa mesma linha de defensores destemidos das prerrogativas profissionais, tive a felicidade de conhecer, pessoalmente, três: RAYMUNDO PASCOAL BARBOSA, JOSE ROBERTO BATOCCHIO e ALBERTO ZACHARIAS TORON. - Parabéns, nosso futuro Presidente!
JOSE BENEDITO NEVES

Desfile de miss

DEQUER (Outros)

Quão preocupante é observar o quanto os protagonistas se sentem acima de todas as coisas; até mesmo do Egrégio STF. Como os egos preponderam!Os Ministros deveriam ser exemplos de urbanidade para os jurisdicionados,mas,não é isso que demonstram. Parece que se odeiam. Como é admissível que pessoas com tais índoles sejam alçadas à Ministros de uma tão importante corte? É patente que existe uma orquestração para ridicularizar o Eminente Ministro Joaquim Barbosa. Essa é perspectiva da senzala.Que abuso! Afinal..., um negro entre nós? De onde "saiu" isso? Eu, loiro, com ar mercurial, oriundo da burguesia, ter que descer e ser Revisor deste "Negro Relator"?...e ainda doente? Senhores Ministros Levandowski e Marco Aurélio, infelizmente a postura de desprezo, irônica e até jocosa diante das posições dogmáticas do Eminente Ministro Joaquim Barbosa, infelizmente, e com todo o respeito, induzem a pensar que a discriminação histórica se faz presente. Logo os senhores que aí estão porque TODOS SÃO IGUAIS PERANTE A LEI.

Apoio aos advogados.

Amauri Alves (Advogado Autônomo)

Claro que manifestar solidariedade aos advogados é um ato louvável. Porém o momento me parece mais oportuno do que qualquer outro. Endim...
.
O Dr. Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária) tem razão quando afirma que hoje, por vezes, vemos a própria advocacia brigar entre si.
.
Já vi audiências em que o advogado da parte contrária apoiou-se num momento de juizite do magistrado para tentar dominar o colega que está do outro lado e isso é lamentável.

Ainda mais

José_Jr (Advogado Assalariado - Família)

O ministro Luiz Fux foi quase perfeito: “...O advogado é inviolável no exercício de sua função. Mas não pode entender que o juiz é corrupto. O que extrapola é quando descamba para a agressão verbal...”
O "midiático" Joaquim Barbosa pode não ser perfeito, mas exerce seu papel com dignidade.

Deixa-me entender o argumento

José_Jr (Advogado Assalariado - Família)

Não existe lavagem de dinheiro lavado, quer dizer que o dinheiro recebido de um crimisnoso que lavou o dinheiro, passa a ser dinheiro limpo? Ou seja, se o criminoso lava o dinheiro e paga um advogado, este dinheior e limpo? Aonde ele tirou esta ideia?
Só pode ser Ptralha mesmo

Um ovo de pele chamado joaquim barbosa

ius (Advogado Autônomo - Civil)

Infelizmente sou obrigado acreditar em Peluso, JB é complexado.
O pior de tudo, é que no embate demonstrou interesse pessoal e falta de equilíbrio, notadamente para funcionar no processo em concreto.
Não possui, portanto, o requisito maior do magistrado... EQUILÍBRIO.

Que espetáculo patético!

Richard Smith (Consultor)

.
De fato, lastimável a exacerbação do Min. Joaquim Barbosa ante à retórica argumentativa (embora lastimável também) feita por alguns dos advogados dos réus. O advogado é absolutamente inviolável na sua opinião no exercício do seu patrocínio, ainda mais num julgamento criminal, excetuadas ofensas absurdas e calúnias, o que, certamente, não foi bem o caso!
.
"Mercurial" já chamaram o D. Ministro. "Complexado" emendaram outros! O fato é que está sobrando palavrório e chicanas, hum, "extraprocessuais" neste julgamento e faltando objetividade.
.
A propósito disto, reproduzo abaixo pequeno, mas hilário trecho de comentário de hoje do blogueiro REINALDO AZEVEDO, do que está sendo a melhor e mais objetiva cobertura do mensalão, até agora:
.
"A impressão que se tem, muitas vezes, é que muitos de nossos ministros, se indagados, na praia, se querem ou não um Chicabon, responderiam de pronto:
.
'— Veja bem… Um Chicabon!!! Mas o que é um Chicabon? É preciso que reflitamos se estamos falando do Chicabon como objeto que se esgota em si mesmo ou se devemos considerá-lo como a manifestação presente de um continuum, de um Chicabon que existe além de si, que é, antes de mais nada, um conceito. Sendo o Chicabon em si uma manifestação temporal — com história determinada — de um Chicabon que existe num outro plano, havemos de considerar que não se trata de uma resposta simples. Na verdade, excelências [voltando-se para a mulher e aos netos na praia], escolher o Chicabon que há, que se oferece à nossa experiência, corresponde a renunciar à procura de um Chicabon que é perfeito do mundo das idéias...!'
.
'-Tá bom, vô, então toma assim, "tipo" um de côco, vai?!'".
.
(pano rápido)

Falta de Vocação

JrC (Advogado Autônomo - Civil)

Na minha opinião o Min. JOCA não tem vocação alguma para integrar a Suprema Corte. Não atende advogados, ofende seus colegas ministros sem qualquer filtragem de suas palavras, fala o que pensa da boca para fora sem pensar. Não sabe trabalhar em colegiado.

Menos famosos

Comentarista (Advogado Sócio de Escritório)

Espero que essa defesa intransigente da classe não fique adstrita a advogados de renome, mas abranja também aqueles menos famosos que labutam, diariamente, nos foruns e não raro são vilipendiados em seus direitos.

Maior dificuldade

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Todos nós advogados sabemos quanto é difícil exercer a profissão em um País marcado pelo desrespeito à lei e permanente abuso do poder econômico e do Estado. Mas, creio eu, a maior dificuldade que o advogado enfrenta é a quase certeira falta de apoio dos colegas quando as prerrogativas da advocacia são violadas. Em alguns casos se vê ainda os próprios advogados vilipendiando o colega advogado ofendido, tentando com isso querer se situar em suposta posição de superioridade em relação àquele que tem suas prerrogativas profissionais violadas. Esses, no entanto, não se dão conta de que quando apoiam uma autoridade violadora das prerrogativas da advocacia, vilipendiando o colega, estão alimentando toda uma cultura de violação à lei, que amanhã ou depois pode se voltar contra eles próprios. Espero que Toron, vitorioso nas próximas eleições, possa reverter este triste quadro que se abate sobre a advocacia na época atual, de modo a que a classe volte a ter a união de outrora, extirpando os aproveitadores que infantilmente se valem da posição de desvantagem do semelhante para tripudiar e obter uma falta posição de superioridade.

Verdadeira defesa em prol da advocacia

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

É por isso que devemos eleger Toron para a presidência da OAB/SP. Caso essa mesma situação tivesse ocorrido perante um juízo de primeiro grau aqui no Estado de São Paulo, considerando a atuação da gestão atual da Ordem, certamente veríamos o colega ser livremente vilipendiado pelo magistrado e ainda ter contra si um processo administrativo disciplinar instaurado contra si. Precisamos na OAB/SP advogados atuantes, que defendam a classe a qualquer custo e a qualquer preço, ainda que isso gere indisposição junto à autoridades e repercussão negativa junto à opinião pública, e Toron dá provas claras que está preparado para isso.

Comentar

Comentários encerrados em 24/08/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.