Consultor Jurídico

Notícias

Protegido pelo Estado

Equador dá asilo para Assange, fundador do WikiLeaks

Comentários de leitores

8 comentários

Aviso aos navegantes temerários:

Richard Smith (Consultor)

.
Eu já assisti e este não foi um "furo" do WIKILEAKS!
.
Depois, a questão de um Promotor decretar a prisão de alguém, não deve estar correta, a menos que já houvesse uma pré-determinação por parte do Juízo que concedeu a prisão domiciliar e trate-se de simples excução, o que certamente é mais provável. De qualquer forma isto é um problema da Justiça Inglêsa, que absolutamente não é notória por aberrações contra a lei e contra os Direitos Individuais!
.
A questão que eu coloco é que os meios empregados por Assange foram ilegais e prejudiciais e o seriam ainda que ele tivesse revelado um hipotético memorando secreto da CIA autorizando o assassinato de Kennedy!
.
Ainda no dia de hoje, existe matéria, aqui no CONJUR, acerca do respeito ao sigilo da fonte e da não-tipificação de crime daquele que publica a matéria. Também não foi o caso de Assange, que cooptou )fato comprovado!) o militar que vazou os documentos e procedia à sistemática prática de espionagem cibernética ("cracking") de arquivos sigilosos no mundo todo.
.
O curioso é que não se vê um só documento incriminador ou constrangedor de orígem cubana, venezuelana, iraniana, chinêsa, etc. Serão assim tão éticos ou não possuem segredos?! Então, das duas, duas: ou há parcialidade no vazamento o que torna a questão IDEOLÓGICA e não mais de "liberdade de Imprensa" e/ou "o tatú sabe o pau no qual se encosta", como diz a boa e velha sabedoria caipira!
.
Em ambos os casos, ISENÇÃO e INDEPENDÊNCIA nenhumas!
.
Quanto ao seu "respeito", sinto muito, mas ele nada me acrescenta e, falto, nada me retira!
.

Tem mais...

Fontes Mendes (Bacharel - Tributária)

Ah, e por falar em os fins não justificarem os meios, como me responde (já perguntei!) o fato de Assange ter tido sua prisão decretada por um promotor! Em tempo: lá, como aqui, promotores também não podem decretar prisões.
São tantas as coisas que se poderia comentar.. Qualquer um que leia outra coisa além de Veja ou CartaCapital saberia...

Como é?

Fontes Mendes (Bacharel - Tributária)

"Peraí", eu li bem o que você escreveu? Nenhuma revelação mais importante?
"Mais ainda, resultando da divulgação da referida correspondência apenas constrangimentos e nenhuma revelação mais relevante em favor "duzoprimidos"!" Eu li isso mesmo? Não acredito!
Sério, independente de suas visões, eu sempre mantive o respeito por você, Richard Smith, mas depois dessa não há mais o que se discutir!
Olha, faz o seguinte: vai no Youtube e coloca "Collateral Murder - Wikileaks"
Vai lá, assiste e depois vem dizer que nada importante foi revelado. Por favor, vai assistir!

Por quê?!...

Richard Smith (Consultor)

.
Porque ficou provado que o tipinho megalomaníaco, travestido de Robin Hood das informações, fazia VAZAMENTO SELETIVO das informações que obtinha e tentava manipular a mídia com o restante delas!
.
Informações aliás, que foram obtidas através de CRIME e de violação do sigilo diplomático consagrado pela Convenção de Viena e sempre respeitado escrupulosamente, até pelos países mais autoritários!
.
Mais ainda, resultando da divulgação da referida correspondência apenas constrangimentos e nenhuma revelação mais relevante em favor "duzoprimidos"!
.
Mas como se dirigiu contra os Estados Unidos, ohhhh! então foi muito bem feito! Se alguém jogasse uma bomba contra um ônibus escolar lotado em São Francisco, matando todas as crianças, alguns frequentadores (ou infestadores?!) deste democrático espaço iriam aplaudir, dizendo cinicamente, "Ah, mas também, 'uzamericanus' oprimem todo o mundo!", como aliás eu ouvi, ao vivo e em cores, acerca do 11 de Setembro, na época, de certas pessoas, com estes ouvidinhos aqui que a terra haverá de encher!
.
Como não sou PeTralha (que mais do que uma opção "ideológica" é mesmo uma característica de caráter de alguns seres, uma espécie de tara!) julgo sempre com uma régua só: "Fins não justificam os meios" e "do errado nunca sai o certo"!, entre outras.
.
A conduta do "bad boy" lourinho foi lastimável, infecunda e criminosa. Simples assim.
.
Então, não apenas por isso, mas por similitudes outras, o escandinavo está no colo de quem de direito!
.
Por derradeiro, apesar de ser neto de americanos-irlandeses, não tenho maiores simpatias pela tribo dos "chapeludos" (em alusão àqueles tipos lá do Texas e seu IMENSO interesse pela cultura de outros povos!) que tem o umbigo maior do que o Universo, viram, bobões?!

Pimenta no olho...

João pirão (Outro)

Bacharel Fontes Mendes, não sei porque se surpreende das colocações do outro moderador. Veja bem o nome dele. Não lhe diz nada? Para ele melhor é que Julian estivesse preso em Guantánamo, antes de ser levado ao corredor da morte por alta traição, não ao jornalismo, claro.

Richard Smith

Fontes Mendes (Bacharel - Tributária)

Richard Smith, porque Julian Assange é um pilantra?
Não era você que estava defendendo a liberdade de imprensa em outro post?
Assange é, muito ao contrário do que você pragueja, uma pessoa de muita coragem, teve peito para enfrentar o maior império terrorista do mundo e foi perseguido por isso. Aliás, você tem alguma idéia de "crimes bárbaros" é acusado Asssange?
Outra, se você se declara um consultor tão bem entendido, do ponto de vista jurídico, como defende a decretação da prisão de Assange por um promotor? Quer dizer que promotores podem decretar prisões?

Um pilantra para outro pilantra!...

Richard Smith (Consultor)

.
Qual a surpresa?!

Asilo para Julian Assange

ACUSO (Advogado Autônomo - Dano Moral)

Concordo plenamente com o governo do Equador, quando decide dar asilo a Julian Assange, livrando-o das garras dos governos conservadores da Suecia, Inglaterra e dos EUA ! Parabens ao presidente do Equador ! Queriam linchar o Julian, não por ele ter tido relacionamento sexual com garotas suecas, mas porque ele descobriu os podres do governo Obama!

Comentar

Comentários encerrados em 22/08/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.