Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

AP 470

Palmieri é denunciante do mensalão, diz advogado

Por 

Na sequência da linha de argumentação do advogado de Roberto Jefferson, a defesa de Emerson Palmieri disse que tanto Jefferson quanto seu cliente “são denunciantes” e não deveriam ter sido imputados como réus na Ação Penal 470, o processo do chamado mensalão. O advogado Itapuã Prestes de Messias, terceiro a falar nesta segunda-feira (13/8), disse que Emerson Palmieri só foi incluido na ação porque “era necessário cortar uma das pernas de sustentação dos depoimentos de Roberto Jefferson” na CPMI dos Correios em 2005.

“O procurador-geral da República recebeu a denúncia como a mídia quis: [de forma] midiática e sem sustentação”, atacou o advogado, que fez a maior parte da sustentação em tom de voz alterado, sugerindo que a inclusão do seu cliente no processo é motivo para indignação.

Atual primeiro-secretário-geral do Partido Trabalhista Brasileiro, Emerson Palmieri era considerado, na época, tesoureiro informal da legenda. O Ministério Público Federal acusa o reú pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção ativa por ter, supostamente, intermediado a compra de apoio político de parlamentares do PL por membros do governo e dirigentes do PT.

A defesa insistiu, contudo, que Palmieri, por saber em detalhes da situação política e financeira dos diretórios regionais do PTB, participou das reuniões em que se discutia o financiamento e o pagamento de dívidas de campanha entre partidos da base aliada. O advogado disse que Palmieri nunca foi tesoureiro do PTB, tendo, sim, sempre exercido o cargo de primeiro-secretário.

“O Ministério Público não se desemcumbiu de mostrar o nexo entre Emerson Palmieri com esses eventos”, disse o advogado. “Era preciso desmoralizar Emerson Palmieri”, afirmou. A defesa citou, ainda, que o próprio Marcos Valério negou, em depoimento, que Palmieri foi beneficiário dos recursos destinados a parlamentares da base aliada.

O advogado qualificou a acusação do procurador-geral da República de “denúncia irresponsável” e disse que, desde que se decidiu imputar Roberto Jefferson e Emerson Palmieri como réus do processo, “nada mais se descobriu e se apurou de profundo”.

Clique aqui para assistir os vídeos do julgamento do mensalão.

 é repórter da revista Consultor Jurídico em Brasília.

Revista Consultor Jurídico, 13 de agosto de 2012, 17h52

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 21/08/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.