Consultor Jurídico

Comentários de leitores

22 comentários

Trato

caiubi (Outros)

No Brasil todas instituições só tratam bem mesmo quando visa lucro e se for preciso. Quando o BB tinha determinados monopólios,faz pouco tempo. Na realidade não somos mal tratados nos não somos tratados na SAÚDE, EDUCAÇÃO, JUSTIÇA, TRANSPORTE, em tudo. O Povo só é gente em vespera de eleição. PRECISE do SUS, se o Lula não fosse um priviligiado protegido pelos burgueses talves não estaria vivo hoje. Viaje sem dinheiro para pedágio e por aí vai. O Brasil tem que mudar e muito.

Jornal de ontem...

Maria Lima (Advogado Autônomo)

PRIMEIRO, ASSINO JUNTO COM WTF (Advogado Autônomo).
Depois, quero dizer que jamais vou esquecer aquela "Mesa Redonda" promovida pelo Estadão, em que o douto Antônio Cláudio Mariz de Oliveira foi questionado por Roberto Batochio.
Após o que, batochio foi eleito, claro.
O jornal de ontem não causa 'frissom'.
Mas, a índole das pessoas permanece...
A advocacia não precisa de macaquinhos que sentam no rabo, e, crendo 'não ter mais rabo', apontam os rabos alheios.

Emendão

JrC (Advogado Autônomo - Civil)

Isso sem falar no EMENDÃO DE FERIADOS, mamata que só existe no funcionalismo público. O Feriado é dia 1o de maio, mas dia 30 terá o famoso EMENDÃO, ficando todos de papo para o ar no sabado, no domingo, na segunda e na terça, sendo certo que quarta quinta e sexta serão dias que não haverá maiores esforços para nada, pois se trata de semana pós feriado.
.
Brasil, o país da preguiça e mamata

Desrespeito e atitudes

JrC (Advogado Autônomo - Civil)

Agora vou fazer o que? Corregedoria? CNJ? Certamente isso trará perseguições e com certeza a improcedência das demandas.
.
É certo que advogado deve batalhar, porém, nas palavras do Dr Pintar "chega uma hora que enche..."

CaUsos

JrC (Advogado Autônomo - Civil)

A qualidade de trabalho do advogado está PÉSSIMA. Hoje mesmo fui ao forum cível daqui de Santos/SP para tentar saber o motivo da demora de uma certa juíza em proferir a sentença, e, em outro processo, o motivo do excesso de prazo de um certo juiz para proferir despacho inicial (um mero cita-se). Em ambos os casos, o excesso ultrapassa 3 meses.
.
Primeiramente, a juíza não se encontrava em seu gabinete, sendo que a chefe de gabinete disse simplesmente o seguinte: "juiz não tem prazo para sentenciar, você deve aguardar".
.
Já no outro caso, vi o próprio juiz da vara de papo furado com um funcionário, no mesmo andar de seu gabinete.
.
Somos muito mal tratados. Observei uma colega, na secretaria de uma das varas, no mesmo andar, "batendo boca" com o funcionário, que simplesmente a ignorava. Ninguém do ofício lhe dava atenção (o que a motivou perder um pouco a paciência), parecia que falava comas paredes.
.
Essa é a infeliz realidade do advogado, realidade essa completamente ignorada pela OAB.

Advogados e adevo.

Pek Cop (Outros)

Eh desta forma acredito que a grande maioria que nao prospera eh pq nao tem vocação ou eh incompetente, mas o bom Advogado, ahhhhh aí sim! Tive o privilegio de conhecer alguns dos melhores e realmente a diferença eh brutal, se tem OAB e nao sabe fazer seu papel acho melhor ir procurar outro ramo profissional, o advogado já nasce predestinado a ocupar e exercer a função.pek.

Se não gosta, mude para o Irã ou China

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O Michael Crichton (Médico) e o Último Papa (Outros) se equivocam ao dizer que o Dr. Pintar comenta muito. Na verdade, são os outros advogados que comentam pouco. À advocacia é reservada a missão constitucional de defesa da sociedade e do Estado. É deve do advogado desenvolver uma função participativa, opinando e formando opinião de forma democrática sobre tudo o que interessa à coletividade. No Brasil, porém, pelos motivos que o Articulista elenca de forma muito clara, há uma tendência geral no sentido de menosprezar a função do advogado, chamado frequentemente a se calar. Prova disso é que são pouquíssimos os espaços verdadeiramente democráticos nas quais a advocacia pode se manifestar publicamente, e até mesmo trocar ideias com os colegas. Veja-se que a magistratura, o Ministério Público, a defensoria e as procuradorias possuem fóruns e listas de discussões, muito acessadas e comentadas por eles. Todas as demais profissões também, possuem sites especializados e fóruns sobre praticamente quase tudo, com ampla participação dos profissionais. A advocacia, no entanto, ainda se encontra na "idade da pedra", desunida, seccionada, sem ferramentas aptas a favorecer a solução dos problemas com base na participação de todos, de forma democrática. E isso ocorre porque a OAB veta qualquer possibilidade mais ampla de expressão e participação, temendo que formas mais eficazes de coletivização das soluções gere modificações na sua estrutura, acabando com as mordomias e privilégios de sua diretoria. A falta de participação de advogados em espaços públicos no Brasil é um fenômeno de país subdesenvolvido, sendo certo que o Dr. Pintar apenas cumpre a sua missão de advogado, nos termos do direito de livre manifestação da opinião, embora isso desagrade a muitos.

Desculpem-me, mas penso o seguinte:

Manente (Advogado Autônomo)

Somente DEUS em primeiro lugar, NÓS, ADVOGADOS que encostamos os umbigos nos balcões e temos as nossas PRERROGATIVAS DESRESPEITADAS DIARIAMENTE e o Dr. TORON, que CERTAMENTE COM A GRAÇA DIVINA será eleito, poderemos salvar a advocacia.
No mais, é balela e conversa fiada.
O mínimo de bom senso, faria com que os demais candidatos, se unissem ao Dr. TORON e que de uma vez por todas, eliminasse, executasse, acabasse e mais ainda, exterminasse com as chances de vitória da situação.
Espero que este ano, não fiquem enchendo a minha caixa de e-mail de propagandas inúteis e besteiras, o que deveria ser rigorosamente apurado pela OAB, que atualmente, se preocupa com outras coisas.
Afinal, como é que conseguem e-mails e telefones para ficarem enchendo as paciências?
Obs: Para ser candidato a Presidencia, deveriam no mínimo dar exemplo.
Espero em breve ter orgulho de ser ADVOGADO e que a ADVOCACIA seja escrita com letras maiúsculas!

Desrespeito as prerrogativas e advogados famintos

Kleberson Advogado Liberal (Advogado Autônomo)

O desrespeito as prorrogativas do advogado é um grande problema enfrentado pelos profissionais, o que dificulata seu trabalho, o deferimento de seus pleitos. Mas isto ocorre por causa da baixa qualidade da advocacia, vítima da massificação, a proletarização da profissão, o surgimento de advogados famintos, que tem má formação e não se qualificam mais. Os famintos atacam até seus pares, com uma advocacia suja, anti-ética. Isto gera preconceito da população e das carreiras jurídicas.

MARIZ fala com propriedade

PAULO FRANCIS (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Mariz de Oliveira:
Voce tem enorme responsabilidade neste próximo pleito da OAB-SP.
Sabe voce que precisamos de algúem do seu quilate. Neste momento, se tem algúem que pode representar este papel é o TORON. E todos sabem disto, vez que é o mais conhecido da advocacia.
Arregace a manga meu caro. Costure a união das oposições. Faça isto em nome da advocacia que tão bem voce represanta.
E chega de trampolim.

Realidade

Pereira & Rodrigues Advogados (Outros - Civil)

Esta semana recebi ligação de uma pessoa que ao tentar agendar consulta disse não saber que Advogado cobrava por este serviço. É triste mas é a realidade da época em que vivemos. Hoje as pessoas preferem procurar modelos e informações pela internet.

Abstrações

WTF (Advogado Autônomo)

Vamos aos fatos. O que de concreto fez sua Excelência à frente da OAB/SP para "a valorização da profissão, em pioneira campanha, com ações que atingiram a sociedade e o público interno"? Convém que se enumerem tais ações, apontando quais teriam sido os resultados dessa tal "pioneira campanha". Mesmo porque, ao que consta, foi derrotado pela oposição à época, depois do seu segundo mandato. Ou será que se trata de mais um discurso eleitoreiro?

O problema é bastante amplo

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

É inegável que não se pode propiciar emprego a tantos advogados inscritos, num país que padece de problemas endêmicos há muito suplantados por aqueles mais desenvolvidos.A justiça aqui não funciona e a população sabe muito bem disso,de forma que muitos 'clientes' por vezes abdicam de seus direitos em face de uma conhecida morosidade judicial inexplicável. Justiça, no Brasil, é muito cara e pouco ou quase nada oferece,de sorte que, quem não consegue a Gratuidade preconizada na L. 1060/50 e na C.F.,acabará 'pagando mais do que o que pretendia receber' e esse é também um fator desencorajador para qualquer um que precise litigar. Temos ainda reinante a falta de uma 'cultura preventiva' (que é mais eficiente porque tende a 'evitar' demandas futuras) de molde a levar o sujeito a procurar um causídico somente quando a corda já o está sufocando e, finalmente, parece que o único curso superior existente,nos últimos 10 ou 15 anos, é o de Direito. Todos optaram por ele, sem saber o que lhes reserva o destino. Enfim.num mercado absolutamente saturado,é óbvio que a concorrência aumenta drasticamente e até os 'bons advogados' sofrem com o aviltamento da classe. Resumindo,o que temos hoje são dois tipos de advocacia: 1 p/ricos,composta de algumas poucas bancas famosas,para cujos clientes o dinheiro n/é mais problema e a outra tentando a sobrevivência,vendendo o almoço p/comprar o jantar, destinada às demais classes (aquelas sempre mais preocupadas com os honorários do que com a qualidade do serviço)que, por isso, pesquisam muito antes de contratar um profissional). Essa é a grde. verdade, vivenciada, aliás,por quem já está há décadas na lida.

se tem excesso de advogados porque gastar com Defensoria?

analucia (Bacharel - Família)

se tem excesso de advogados porque o Estado precisa gastar com Defensoria ?

Espírito Herculeo

JrC (Advogado Autônomo - Civil)

Olha caro Marcos Alves Pintar, advogo na comarca de Santos/SP e admito que aqui, como em todas as comarcas, há problemas. Porém, pelo que você compartilha aqui no CONJUR, e eu já lhe disse isso em outro comentário, deve ser uma via sacra advogar na comarca que atua.

Ao Último Papa

Michael Crichton (Médico)

De acordo. Impressionante a produção...

Impressionante

Último Papa (Outros)

O Dr. Pintar é um fenômeno.~
Raríssimos são os artigos que não tem um comentário do ilustre comentarista "oficial" do Conjur.
Os profundos comentários são sobre todo e qualquer assunto, de astrofísica aos candidatos da OAB, passando pelos temas doutrinários e jurisprudenciais.

Meros fantoches

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Creio que o maior problema da advocacia, prezado Ricardo Cintra - Advogado (Advogado Autônomo - Civil), não é propriamente mercadológico. Não há dúvidas de que com o enorme número de faculdades de direito que temos (há mais alunos estudando direito no Brasil do que em todo o restante do mundo) boa parte dos profissionais não iriam mesmo se firmar no mercado da advocacia, e quanto a isso não há o que fazer. O problema maior que eu vejo é a permanente violação às prerrogativas da advocacia, e a cultura de que o advogado é bandido e precisa ser combatido a qualquer custo e a qualquer preço. A mim nunca faltou serviço, mas gasto 30% do meu tempo me defendendo de ataques diversos, inclusive da própria OAB, e vou lhe dizer uma coisa: cansa. Ainda na semana passada eu trabalhava em uma defesa criminal em causa própria, e mesmo estando acostumado de longa data aos crimes cometidos por magistrados e membros do Ministério Público custo a acreditar. Um bandido inserido no Ministério Público Federal ingressou com uma ação me acusando de ter cometido o crime de coaçao no curso do processo por estar patrocinando diversas ações de indenização por danos contra médicos peritos que atrasavam a entrega de laudos periciais em ações de aposentadoria, mesmo tendo todos eles dito com todas as palavras, em inquérito policial, que jamais sofreram qualquer ameaça ou intimidação, atuando e se defendendo nas ações livremente. Trata-se da criminalização da advocacia. A verdade é que o advogado, principalmente o bom, não tem valor algum (por culpa da OAB, como mostra o Dr. Antonio Cláudio Mariz de Oliveira), e acaba figurando como um fantoche nas mãos dos detentores do poder sem que tenhamos uma entidade de classe que nos defensa e zele por nossas prerrogativas

Enfim alguém com os pés no chão

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Lúcida análise, que reflete bem a realidade da advocacia e do País.

mercado

JrC (Advogado Autônomo - Civil)

É só analisar o mercado e verificar quantos advogados tem mais de 10 anos de advocacia (vivendo de tal atividade exclusivamente), para se verificar que a grande maioria só possuem registro na oab, mas, na verdade, não são advogados - pois o mercado já os excluiu.

Comentar

Comentários encerrados em 3/05/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.