Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Erro jornalístico

Amaerj fará ato para reparar informações de jornal da OAB

Na próxima quarta-feira (25/4), a Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro (Amaerj) fará um ato de desagravo para reparar informações equivocadas sobre os Juizados Especiais Cíveis (JECs) de Nova Iguaçu. Essas informações foram divulgadas na edição de março do jornal "Tribuna do Advogado", da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio.

"Não se pode ficar indiferente diante da injustiça. A Amaerj não ficará inerte frente aos ataques ao Judiciário Fluminense, especialmente quando seus magistrados forem alvo desta injustiça", afirma o presidente da Amaerj Nova Iguaçu, Richard Fairclough.

O jornal da OAB-RJ divulgou a informação na reportagem intitulada “Juizados em Nova Iguaçu: filas e demora em audiências”, onde afirma que são distribuídos aproximadamente 900 processos por mês, para os três JECs da Comarca. A quantidade de processos, no entanto, é enviado para cada Juizado e não para todos os JECs de Nova Iguaçu, afirma a juíza Regina Chuquer, titular do 1º Juizado. "A informação é equivocada. Na verdade, os Juizados de Nova Iguaçu recebem quase três mil processos mensalmente. São entre 900 e mil processos para cada um, por mês".

Os JECs de Nova Iguaçu cumpriram a Meta 1 do Conselho Nacional de Justiça. Os três Juizados cumpriram a meta de julgar quantidade maior de processos de conhecimento do que os distribuídos em 2012. O 1º Juizado cumpriu 100% da meta, enquanto os 2º alcançou 141% e o terceiro, 103%.

"Quando cheguei aqui, existiam apenas dois Juizados, que juntos tinham cerca de 40 mil processos. De lá para cá, já conseguimos baixar muito esse número. Hoje, os processos no 1º Juizado estão em dia", diz.

Estarão presentes o presidente da Amaerj, Cláudio Dell'Orto, o presidente da Amaerj-Nova Iguaçu, juiz Richard Robert Fairclough, e os juízes titulares dos Juizados, Regina Lúcia Chuquer e Aroldo Gonçalves Pereira Júnior. O presidente da OAB-Nova Iguaçu, Jurandir Ceulin, foi convidado para representar a Ordem. O ato de desagravo será realizado na sede da 3ª Regional da Amaerj, que fica na Avenida Mário Guimarães, 968, no Bairro da Luz, em Nova Iguaçu. Com informações da assessoria de imprensa da Amaerj.

Revista Consultor Jurídico, 21 de abril de 2012, 7h32

Comentários de leitores

3 comentários

Não entendi

JrC (Advogado Autônomo - Civil)

“Juizados em Nova Iguaçu: filas e demora em audiências”,
.
Duvido que exista algum cartório judicial sem filas. Qual o motivo do titulo da reportagem ser uma suposta afronta aos magistrados?

Resposta a Marcos Alves

rns (Advogado Autônomo - Civil)

As filas existem sim, e, em média, o tempo de espera nelas é de 1 hora, especialmente no 2º Juizado! Petições levam meses para serem juntadas ao processo. Apenas no 3º JEC não tem fila, porque é virtual. Além de filas, as audiências, nos três juizados, ocorrem com atrasos, no mínimo, de uma hora e meia.

Não entendi

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Mas, afinal, as filas existem ou não?

Comentários encerrados em 29/04/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.