Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Grampos telefônicos

Lewandowski considera provas contra Demóstenes legais

O ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski considerou as escutas telefônicas feitas pela Polícia Federal com autorização da Justiça são legais. Os grampos mostram conversas entre o empresário goiano Carlos Augusto de Almeida Ramos, mais conhecido como Carlinhos Cachoeira, e o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO). O ministro negou nesta sexta-feira (13/4) a liminar pedida pela defesa do parlamentar, que pretendia desconsiderar as gravações como provas válidas contra o senador, que tem foro privilegiado.

Lewandowski, que é relator do processo, também pediu informações sobre o caso aos juízes da 11ª Vara da Justiça Federal, de Goiás, e da Vara Única da Subseção Judiciária de Anápolis, que autorizaram as escutas telefônicas. O ministro determinou ainda que os autos do processo sejam encaminhados à Procuradoria-Geral da República.

Demóstenes Torres é acusado de tráfico de influência para favorecer o empresário. A relação entre o parlamentar e Carlinhos Cachoeira começou a ser divulgada pela imprensa depois que a operação Monte Carlo, da Polícia Federal (PF), levou Cachoeira e mais 34 pessoas para a cadeia, no fim de fevereiro.

O vazamento para a imprensa das conversas telefônicas colhidas pela PF mostrou que, além de conhecer a atuação de Cachoeira com o jogo ilegal, Demóstenes também participava do esquema do contraventor. O senador foi flagrado em conversas nas quais combina interferir em assuntos ligados ao lobby pela legalização do jogo no Brasil em troca de favores de Cachoeira.

Na semana passada, o STF autorizou a abertura de inquérito para investigar a participação de Demóstenes Torres no esquema de Carlinhos Cachoeira. Lewandowski determinou a quebra do sigilo bancário do senador e pediu levantamento das emendas parlamentares apresentadas pelo político goiano. Com informações da Agência Brasil.

Revista Consultor Jurídico, 13 de abril de 2012, 23h07

Comentários de leitores

3 comentários

E o mensalão?

Diogo Duarte Valverde (Advogado Associado a Escritório)

O ministro Lewandowski parece querer apressar o caso Demóstenes o máximo possível. Mas...e o mensalão? Os autos estão em suas mãos até hoje, e a nação continua esperando. Eu topo que o processo de Demóstenes seja célere, mas só se o ministro topar liberar os autos do mensalão de maneira célere também.

sera que alguem ai ficou surpreso ??????????

hammer eduardo (Consultor)

Infelizmente este problema novo criado pelo Senador Demostenes ainda vai dar panos para manga. Acho engraçado apenas o fato de que não temos espaço para surpresas pois o impavido Ministro Lewandovsky tem HISTORICAS ligações com as quadrilhas do Petralhismo paulista , lembrem tambem que a pouquissimos meses o citado "esselença" deixou escapar que se dependesse dele e por sua avaliação canhestra , o famoso "escandalo do mensalão" ia acabar em pizza das grandes por mero decurso de prazo, esta é a nossa "justissa???" de fancaria com elementos togados e baixa representatividade escolhidos "a dedo" para "ajudarem" o estado bandido e não deixarem andar coisas que tenham "outros" interesses como vemos agora.
Lembremos que Demostenes Torres apunhalou pelas costas quem confiava nele como Eu mesmo , POREM tudo que Ele lançou sob suspeita permanece nesta condição pois hoje somos dominados de forma pouco sutil por uma ditadura CLEPTOCRATA que faz e desfaz e pelo caminho vai comprando quem puder.
O teoricamente "puro" STF tambem tem outras figuras pateticas como o "ministru" dias toffoli que foi REPROVADO 3 vezes em provas para Juiz porem por ser amigo do apedeuta 9 dedos e "colaborador emerito" do PT , entrou no onibus e ja sentou na janela, um escandalo possivel apenas aqui nesta ZONA tropical metida a Pais de primeiro mundo.
O escandalo demostenes nem deverá ser muito fuçado pois as RATAZANAS de outros partidos e do PT tambem sabem das consequencias de uma investigação feita com um minimo de seriedade. Este bafafá vai durar mais uma semanas e depois se esvaziar naturalmente , afinal o festival de "rabos compridos" que se entrelaçam na politica podre do Brasil são grandes demais para se esconderem como gostariam.

Foro privilegiado

Mário de Oliveira Filho (Advogado Sócio de Escritório)

Hoje, 14 de abril, pela manhã, dei uma entrevista na Rádio Jovem, emissora da qual sou Consultor, falando sobre foro privilegiado, interceptação telefônica e especificamente sobre o indeferimento da liminar no STF em desfavor do Senador Demóstenes.
http://jovempan.uol.com.br/noticias/politica/2012/04/ricardo-lewandowski-considera-provas-contra-demostenes-torres-legais.html

Comentários encerrados em 21/04/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.