Consultor Jurídico

Colunas

Senso incomum

A tomada de poder pelos estagiários e o novo regime

Comentários de leitores

9 comentários

a maioria dos estagiários é analfabeta funcional, logo

analucia (Bacharel - Família)

a maioria dos estagiários é analfabeta funcional, logo não haveria este nível de cultura sonhado pelo articulista, pois nem lêem livros e conseguem argumentar, apenas conseguem copiar.

Saudação a todos os estagiários!

Proberto (Técnico de Informática)

Parabéns pelo texto. Que o poder seja entregue imediatamente aos estagiários de todas as profissões, pois estamos todos cansados de viver o mesmismo do "ancièn régime", que seguramente não nos levará a lugar nenhum.

Dúvida.

João Ricardo Silveira de Andrade (Advogado Sócio de Escritório - Tributária)

Ao saborear este magnífico texto, fico com uma dúvida cartesiana: será que conseguirei fazer parte deste nouveau régime?
Sinto-me ligeiramente extasiado.

Excelente matéria

Walquiria Molina (Bacharel - Criminal)

Até qu enfim vejo uma matéria como esta simplesmente maravihosa sem rodeios e peticamente correta.Sou uma bacharel em direito que luto juntamente com a obb contra este exame incosntitucional que esta ai,que daqui uns dias se deus quiser não existirá mais,para que os bachareis após passar seu periodo de estágio continue a trabalhar normalmente com uma carteira para não serem discriminados como eu ja fui por um delegado aqui de juiz de fora.Seu texto veio nos trazer um alento muito grande pois são poucos que têm esta sensibilidade.E você falou tudo se os bachareis juntamente com os estagiários fizerem uma paralização geral podem apostar que preticamente tudo irá parar.Pena que muitos sentem medo de serem mandados embora após isto de seus empregos.Mas finalmente parabéns pela matéria esterei enviando a todos os bachareis para que possam ver que nem tudo esta perdido.Abraços
walquiria molina

Um texto preciso, um precioso texto!

Walker T D P e Pacheco (Defensor Público Federal)

Excelente texto! Que venha o regime Estagiariocrata. Talvez ainda haja tempo de salvar o direito, como ciência, da mediocridade da práxis forense, da mecanização do ensino e do casuísmo mascarado de hermenêutica.

Uma outra hermenêutica é possível. Um primor!

RToscanoJr. (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

O começo é engraçadíssimo. Irônico e surrealista. Mas, à medida que o texto vai evoluindo, sem perder a ironia, conduz-no à critica da realidade de nossa práxis jurídica. O sorriso se transforma numa saborosa reflexão inconfessadamente bem escrita de como podemos fazer melhor. Uma outra hermenêutica é possível.
Enfim, um primor!

Excelente

PedroPCP (Outros)

Sua coluna é ótima, aguardo-a anciosamente todas as quintas. Sempre adorei a mistura entre direito e literatura. Confesso que fiquei decepcionado por não encontrar a obra de E.P. Thompson, Senhores e Caçadores (esgotado nas livrarias e nos sebos virtuais).
De qualquer forma, este artigo retrata fielmente o universo jurídico brasileiro...
Parafraseando, (com adaptações) George Orwell (1984), o bom texto é aquele que diz tudo o que nós já sabemos, mas que somos incapazes de expressar.
Parabéns

Espetacular

Pedro Onofre (Advogado Autônomo - Propriedade Intelectual)

Pensamentos presos em minha garganta foram ditos nesse texto, obrigado por essa leitura fantástica!

Grande Texto

junior (Advogado Autônomo)

Se estivessemos num país sério, num verdadeiro Estado Democrático de Direito, o nobre articulista deveria ser reverenciado de pé pelo belíssimo artigo.
.
Deveria ganhar um prêmio de literatura pelo seu texto.
.
Senhores parlamentares, membros do executivo, membros da cúpula do poder judiciário, CNJ, MP, Jornalistas estilo Datena, se forem capazes de interpretar a profundidade do que diz o texto acima, conseguirão entender todos os problemas do nosso Judiciário.
.
Parabéns ao autor do texto, o qual, por textos como estes, ganhou minha profunda admiração.

Comentar

Comentários encerrados em 20/04/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.