Consultor Jurídico

Comentários de leitores

17 comentários

Em tempo à Presidência do Eg. TRF 2ª Região.

Bergami de Carvalho (Serventuário)

RECTIUS: a Presidente do Eg. TRF da 2ª Região se chama Des. Fed. Maria Helena Cisne Cid.

Justiça fantasiosa

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

De qualquer forma, pelo menos é possível usar a foto nas representações por excesso de prazo em curso pelo CNJ, mostrando que os magistrados, patrocinados por bancos controlados pela União, estão com tempo para festividades, mas não para decidir as causas na qual figura como réu o Executivo Federal.

POR QUE SERÁ?

Coelho (Advogado Autônomo)

Por que será que a Caixa e o Banco do Brasil patrocinam todos os eventos da Justiça no Brasil, seja ela Federal e/ou Estadual (principalmente esta é patrocinada pelo BB), Qual o interesse? Filantropia? Porque não patrocinam os eventos das Favelas no Brasil, as entidades de Apoio às Crianças, aos deficientes? Por certo não tem nenhum processo tramitando nesses lugares. Será?

Olha o detalhe

Mauro Garcia (Advogado Autônomo)

Dizem que o diabo mora no detalhe: "patrocínio do BB e da Caixa..." Já houve casos em que o envento ocorria e após, qd descobriam que havia restos a pagar, chamavam a Caixa para "patrocinar" o evento já findado. O judiciário vê a Caixa como a filha rica da viúva, doida para agradar aos sobrinhos.

E braZiUZinhú!

Manente (Advogado Autônomo)

"O evento praticamente lotou o Theatro Muncipal de São Paulo. A cerimnônia, patrocinada pela Caixa Econômica Federal e pelo Banco do Brasil".
Que tal a CEF e o BB me patrocinarem também! Ou colaborarem comigo, fornecendo-me um pró-labore durante 01 ano! Ainda, podemos combinar os valores mensais.
Devem estar rasgando dinheiro, não? Afinal, a manutenção de uma conta corrente na CEF é um verdadeiro absurdo, muito mais caro, do que qualquer outra instituição privada.
Lamentável e lastimável!

PATROCÍNIO DA CAIXA E DO BB!!!

VITAE-SPECTRUM (Funcionário público)

Sempre me causam espécie esse "PATROCÍNIOS" de bancos destinados a tais eventos, ainda se trate de uma empresa pública e de uma sociedade de economia mista. Qual o interesse desses bancos?! Para mim, depara-se o mistifório de interesses públicos com interesses privados, a pretexto de supositícia economia dos tribunais. Sei não...

...

JrC (Advogado Autônomo - Civil)

Estou começando a ser contra o 5o. Não acrescenta em nada para a Advocacia

Discurso estéril!

Paulo Jorge Andrade Trinchão (Advogado Autônomo)

É a velha cantilena de sempre, assume-se um "poderzinho" de favor do quinto constitucional da OAB, e já se arvora com a maldita contaminação da "juizite aguda". São todos iguais, em tudo! Mas é claro que eles - indicado pelo tal quinto - nada fazem pela advocacia, esquecem facilmente as suas origens e se alardeiam tomando porre em um Poder por vezes abstrato. Jamais acreditei neles, são primatas como todos os demais, portanto, são falíveis, arrogantes, prepotentes, e por vezes abestalhados. Que acabem logo com essa excrescência, que representa esse famigerado quinto constitucional!com a falsa

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

JrC (Advogado Autônomo - Civil)

Trata-se de total despreparo de alguns magistrados. Ora, qual o motivo de existirem (poucos, é verdade) juízes com prazos em dia? Das 12 varas cíveis daqui de Santos/SP, digo que apenas 03 delas possuem andamento rápido. Dessas 03, uma delas é mais rápida do que as duas demais. Quando processo meu cai nessa vara (12a vara cível) comemoro, pois um processo sem audiência demora em média 6 meses (sem brincadeira).

Crimes contra a Humanidade

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Mas para eles (juízes) tudo está "normal". O que há é tão somente o que eles chamam de "insultos irrogados indistintamente contra os membros do Poder Judiciário", por "advogados despreparados", enquanto os crimes contra a Humanidade persistem.

PALHAÇADA A PARTE.

jpo (Vendedor)

Palahçada á parte, se nao fosse as meta do CNJ, os juizes federais nao faziam nada. So irian no gabinete para assinar as sentença confeccionadas pelos acessores.

Perdendo da tartaruga

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

A situação é dramática, prezado Ricardo Cintra - Advogado (Advogado Autônomo - Civil). Estou lutando para fazer os processos propostos em 2003 ter algum andamento, sem muito sucesso.

Eros e Vênus

Leneu (Professor)

quem já leu os poemas eróticos de Newton de Lucca, levante a mão!

Dr Marcos

JrC (Advogado Autônomo - Civil)

Tenho processo aqui em Santos/SP que há 3 meses e meio está sem DESPACHO INICIAL de processo. Apenas 2 palavras: "cite-se", e pronto. Não pleiteei liminar nem nda. Chega a ser bizarro. Excesso de prazo não existe no mundo da magistratura, é impressionante.

Só piorando

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Pior do que ver processos conclusos há muitos anos sem decisão é constatar que o CNJ praticamente nada tem feito nas representações por excesso de prazo. Intima-se o relator do TRF3, e tudo continua na mesma.

Expressão vazia nos dias de hoje

JrC (Advogado Autônomo - Civil)

Percebe-se que esses magistrados mais antigos, carregam em si a expressão "honra da toga". Sinceramente, utilizam essa expressão erroneamente - como se a qualquer pretexto se pudesse cometer qualquer tipo de ato lesivo a cidadania sob a guarida da "honra da toga" (como por exemplo longos e longos prazos de processos parados nos armários da secretaria ou na sala do juiz esperando algum despacho).

Quem não sofre pressão?

JrC (Advogado Autônomo - Civil)

Mesmo com essa pressão já vi processo concluso há 5 meses sem prolação de sentença, imagina sem pressão nenhuma. Aliás, todos os setores profissionais há pressão de superiores, qual o motivo de ser diferente aos juízes?
.
Percebe-se que o Desembargador (oriundo da advocacia pelo quinto constitucional), com a posse, mudou completamente. Abandonou a classe que até então pertencia e passou a exercer o corporativismo em favor dos magistrados.

Comentar

Comentários encerrados em 11/04/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.