Consultor Jurídico

Notícias

Defesa da toga

Juízes se mobilizam contra declarações de Eliana Calmon

Comentários de leitores

  • Página:
  • 1
  • 2
  • 3

59 comentários

Propósito duvidoso

Iran Toledo (Administrador)

Entendo que o Ministro Peluzo tem razão ao concordar que nem todos os juízes se utilizam do cargo público (no poder judiciário) para interesses duvidosos.
No entanto, ainda que o CNJ tenha a competência ora questionada, dificilmente será capaz de aplicá-la com êxito, dada as circunstâncias (hierarquia) na qual está inserido, constituído e composto.

Ministra Eliana mereceu um troféu

Senhora (Serventuário)

parabéns, Ministra. O povo a apóia, os juristas de plantão não aguentam enfrentar a verdade. O Poder Judiciário é o único poder que precisa justificar sua legitimidade perante o povo, mas parece não estar dando conta do recado, ainda mais quando solta notinhas como estas, quando deveriam ficar ao lado de quem tem coragem de falar a verdade.

Será?

preocupante (Delegado de Polícia Estadual)

Não deve causar qualquer surpresa a reprovação dos representantes dessas classes de magistrados às declarações da ministra Eliana Calmon.
Eles não sabem que ela não generalizou? Sabem. Eles não sabem que de fato há juízes que no exercício do cargo utilizam expedientes dignos dos bandidos que por eles são processados? Sabem. Eles não sabem que a Ministra não é insana nem burra a ponto de dizer que todos os juízes são bandidos? Sabem. Então por que essa suposta indignação deles? Porque há muito querem desacreditar o poder do CNJ perante a opinião pública em razão desse órgão incomodar todos os magistrados que não querem ser fiscalizados e questionados diante de suas omissões, preguiça, desídia.... Como até hoje não conseguiram, pegaram essa deixa.
O povo sabe quem está certo nessa questão. Eu como membro do povo estou com a Ministra Eliana Calmon. E tenho conhecimento de causa, visto que já fui ameaçado de ser expulso do interior do prédio do judiciário do RN e não poder adentrar o recinto por uma assistente de Juiz apenas porque questionei o direito de minha namorada, que é parte num processo na vara de família, sendo que o fato ao ser levado à apuração pela Corregedoria foi arquivado porque 'entenderam' que a versão da servidora e de suas testemunhas foi convincente, não se dando eles sequer o trabalho de ouvirem a mim, a minha namorada e um auxiliar técnico que a tudo assistiu e era o único que poderia ser imparcial na narração dos fatos. Querem maior exemplo de corporativismo?

Estatisticas ???

Jorge Nery Viegas (Professor)

É muito natural que quando uma entidade de classe se pronuncia ,nem a todos consegue expressar a sua unanimidade , entretanto , não foi apenas uma entidade , foram varias , e junto a elas tambem tribunais ... Um membro do judiciario bem sabe que não precisa e nem pode jogar para a plateia .. tem a sua propria independencia assegurada por lei de seus atos .. entretanto estrelismos coadunados a vaidades se tornam publicos pelas primeiras entrevistas de declarações obtusas que em nada contribuiram para atingir uma classe que foi generalizada e com certeza rebateu a altura e ainda renderá legalmente .A imagem do espelho que desejam mostrar , não é bem a verdadeira para quem apenas vê os noticiarios...naturalmente que nem todos tem parcimonia pela isenção em ver e analisar fatos em origem , mas ofender generalisadamente por destempero sem medir palavras , não é de bom alvitre .

A BURRICE DAS ASSOCIAÇÕES DE JUÍZES

rodolpho (Advogado Autônomo)

Ignorância de Sociologia e de História foi o que a AMB, a ANAMAGES, o TST e o TJSP demonstraram ao virem a público vociferando insultos contra a Ministra Eliana Calmon.
Além de essa vociferação constituir uma baixaria da pior espécie, essa crucificação colocou toda a opinião pública a favor da Ministra.
Cristo, tal como a Ministra, denunciou as sacanagens, as sem-vergonhices, as canalhices dos poderosos, e a reação medonha desses poderosos foi o martírio, a crucificação, a execução de Cristo. E daí nasceu o cristianismo, atualmente com dois bilhões de seguidores.
O Peluso capitaneou a crucificação da Ministra, o que jamais poderia ter feito, pois a obrigação dele é respeitar o duplo cargo que ostenta, que é o de presidente do STF e o de presidente do CNJ.
Não foi a primeira vez que o Peluso pisou feio na bola, e mostrou a incapacidade para o exercício do cargo, assim como mostrou o erro monstruoso que foi a nomeação dele para Ministro do STF.
O cavalheirismo não caiu de moda; a mulher tem sim que ser respeitada, mesmo porque a primeira mulher do nosso amor foi nossa mãe.
Acredito que, neste momento, milhões de brasileiros gostariam de moer a pauladas todos os juízes deste país, e também moer a pauladas todos os integrantes das ignaras e grosseiras organizações de classe de juízes, tudo para desagravar a Ministra Eliana Calmon.
A melhor coisa que essa gentalha faz é calar a desgraçada boca.
Deveriam se ajoelhar e pedir desculpas a essa honrada, digna e admirável Senhora, mas, enquanto isso, calem a desgraçada boca.

OS JUÍZES SÃO ESTATISTICAMENTE ODIADOS (1)

rodolpho (Advogado Autônomo)

A análise estatística dos comentários aqui feitos prova que os juízes são odiados: 92% dos comentários dão apoio incondicional à Ministra Eliana Calmon, enquanto que apenas 8% dos comentários estão contra ela. Essa estatística escancara uma realidade: o judiciário brasileiro não é apenas odiado, ele é achincalhado, desrespeitado e, constitui-se em uma vergonha quando comparado com o judiciário de todos os países da Europa e dos Estados Unidos.
O Brasil é o único país do mundo onde o juiz não responde por erros funcionais, erros de julgamento.
No Direito anglo-saxão o juiz que renegar a jurisprudência, perde o cargo e vai para a cadeia.
No Direito continental europeu o juiz que decidir contra a lei perde o cargo e vai para a cadeia, por muitos anos.
No Brasil, o judiciário é a “casa da mãe Joana”. No mesmo fórum, com dez juízes, a mesma causa será julgada de dez maneiras diferentes

OS JUÍZES SÃO ESTATISTICAMENTE ODIADOS (2)

rodolpho (Advogado Autônomo)

Nenhum dos juízes segue nem a lei, nem a jurisprudência e nem a decisão dele próprio. Uma causa que ele sentenciou na segunda-feira a favor, na quinta-feira, trocando-se apenas as partes, ele julgará de modo totalmente contrário. Cadeia por vinte anos é o que merece juízes que fazem isso, pois essa ausência de padrões esculhamba com a segurança jurídica e, por óbvio, lança a suspeita de venda de sentenças.
O remédio não é fortalecer o CNJ, pois isso é besteira. O CNJ só é composto por juízes. Tampouco criar CNJs onde a presença de juízes seja proibida.
O que é preciso, imediatamente, é criar a pena, a punição que os juízes mais vão temer que é o olho da rua. Acabar com a estabilidade dos juízes. Terão mandatos temporários de dois anos, como é nos Estados Unidos. Deverão ser eleitos, e não nomeados. Deverão ser responsabilizados por decisões contrárias à jurisprudência e contrárias à lei. E a greve de juízes deve ser punida com a imediata demissão do cargo!

Será uma tremenda coincidência Judiciário?

acs (Advogado Assalariado)

Porque todas as pessoas que podem pagar alguns milhões de reais são sistematicamente absolvidas em tribunais superiores, por piores que sejam seus crimes?Porque a operação da policia federal boi barrica foi anulada?Porque os processos contra Daniel Dantas não dão em nada?Porque Collor manteve o mandato?Porque Lula não foi incluído no mensalão? Porque o jornal estado de são Paulo foi proibido de falar da quadrilha Sarney se todos sabem que o ministro que proibiu não tinha isenção para julgar?Porque Paulo Maluf nunca foi condenado em centenas de processos que responde há décadas?Porque o processo do mensalão vai prescrever?Porque Eurenice Guerra está solta?Porque os ministros petistas,quando flagrados roubando, nunca são presos?Porque Cacciola recebeu habeas corpus?Porque os poderosos jamais são presos ou condenados a devolver o dinheiro roubado?Porque o PT segue impune como se fosse um partido político e não um covil de bandidos?Porque Zé Dirceu continua solto nos afrontando com sua liberdade?

solidariedade

ubirajara araujo (Advogado Autônomo - Civil)

Como Procurador de Justiça aposentado, manifesto minha integral solidadariedade com a Ministra Corregedora do CNJ a respeito da magistratura nacional, que atinge tambem o Ministerio Público. Sem duvida alguma a pior ordem de criminalidade é aquela de natureza institucional que se esconde atras das togas, das becas, das fardas e das batinas.
Recentemento no programa PAINEL, da Globonews, comentou o reporter que o mais corrupto dos poderes e o Judiciário, que não permite acesso a qualquer de suas decisoes internas, deixando, inclusive de torna-las publicas.

pimenta nos olhos dos outros....

professorpaulo (Professor)

Como dizia o santo "prefiro os que me criticam porque me educam aos que me bajulam porque me corrompem".Generalização à parte é necessário que todos possam ser onsiderados iguais perante a lei e se acabe com esta ideia de protecionismo e corporativismo onde só se faz de conta e tudo acaba em pizza.Precisamos não só fortalecer o CNJ como também criar outros parecidos para fiscalizar políticos,funcionários, etc.Parabéns Ministra.

O Judiciário esta abaixo da Constituição

humberto fernandes (Advogado Sócio de Escritório - Eleitoral)

O Poder Judiciário convive, diuturnamente questionando a atuação dos outros dois Poderes, porém não aceita qualquer espécie de critica contra si. A liberdade de expressão vale para todos, desde que a critica não seja contra o Judiciário. Isso e abominável. O que a Ministra retratou e fato, e como sabemos, contra fatos não há argumento contrário. Tivesse a imprensa a coragem de demonstrar as mazelas do Judiciário como faz todos os dias com as dos outros Poderes, certamente já estaríamos acostumados que os três Poderes merecem ser repensados na sociedade brasileira. Um não esta acima do outro, quando o assunto e corrupção. Mas o Executivo e o Legislativo estão bem acima do Judiciário quando o assunto e transparência. Chega de privilegio, de impunidade, de corporativismo com recursos públicos, da idéia de juiz patrimonialista, de CORREGEDORIAS INERTES. Salve a coragem da Ministra; salve o CNJ indepentende, autentico e livre de amarras; salve a democracia do Brasil.

QUANTOS INCOMODADOS - A COISA É + SÉRIA DO QUE PARECIA

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

Meu Deus. Se pelo reflexo da simples afirmação da obviedade (constatada por milhões de brasileiros no decorrer da última década) e expressada com autoridade pela corajosa Min. Eliana Calmon , o assunto causou tamanho alvoroço entre os togados, acho que , a partir de agora, ela deveria preocupar-se até mesmo com sua integridade física, pois verifica-se que 'cutucou' as abelhas com vara curta; o que é pior, 'abelhas' mais preocupadas em saborear o 'nectar' das flores do que produzir o 'mel'. A juíza imolada no Rio começou assim, tentando limpar a sujeira. No Brasil de hoje a justiça está acuada e subserviente aos grandes bandidos que sempre encontram um ministro disposto a aliviar-lhes as acusações. O "por que", só eles podem explicar e como não querem o CNJ deve incomodar mesmo.

Compreensão textual

Guilherme G. Pícolo (Advogado Autônomo - Civil)

Qualquer cidadão plenamente alfabetizado que se propuser a ler entrevista, perceberá que, em nenhum momento, a ministra se referiu a todos e quaisquer juízes como "bandidos de toga", mas que recorreu à expressão para dizer que há, sim, bandidos togados infiltrados no Judiciário. Que isso deve ser combatido.
A expressão é forte, sim, mas tem conotação nem genérica e nem leviana.
Há bandidos no meio jornalístico que recebem "jabaculê" para criar polêmicas, destruir ou promover determinadas pessoas; há bandidos na advocacia, que se coadunam com os fins de criminosos; há bandidos na polícia; há bandidos nos hospitais; há bandidos entre padres e pastores.
Por que a magistratura não pode admitir que exista a "banda podre" da toga? É soberba?

Questões

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Prezado Leitor1 (Outros). A magistratura é uma carreira que não me agrada. Da minha turma na Faculdade, de 100 formados uns 30 ou 40 viraram magistrados, mas particularmente jamais cheguei a me inscrever em um único concurso ou cogitar de alguma forma vestir a toga embora não me considere pior ou melhor tecnicamente do que os que se tornaram magistrados. Argumentar em favor da sociedade e da ordem jurídica é o que eu sei fazer de melhor, e isso é função típica de advogado. Quanto à questão do sigilo, não creio que haja lei válida determinando sua utilização irrestrita em todos os casos. O próprio Conselho Nacional de Justiça já discutiu isso, e com o repúdio da magistratura concluiu que as sessões de julgamento devem se públicas, mesmo quando envolve acusações contra magistrados. As leis que determinam o sigilo, editadas na época da Ditadura (quando havia a necessidade de "blindas" os magistrados para se manter o poder), não foram recepcionadas pela Constituição Federal, e são contrárias ao espírito democrático e à publicidade necessária ao controle popular sobre os atos estatais. Quanto à questão dos crimes, devo dizer que se equivoca ao dizer que há mecanismos internos de controle. A prática mostra que são falhos, e o acesso a tribunais internacionais é custoso e moroso, na maior parte das vezes impraticável devido ao estado de miserabilidade de meus clientes, agravado pelos próprios crimes praticados pelos magistrados. Na verdade, uma coisa leva a outra (sigilo e impunidade), e esses são as mazelas que devemos combater no Brasil sob de permanecer em eterno estado de subdesenvolvimento.

Quem combate os acomodados sofre pressão

Ana Maria Detthow de Vasconcellos Pinheiro (Policial Militar)

É estranho que magistrados, acostumados à prática da exegese e da lógica no seu dia a dia, tenham afirmado que a corajosa magistrada Eliana Calmon generalizou suas afirmações sobre colegas "bandidos". Se tivessem prestado atenção à palavra "infiltrados", já teriam a certeza absoluta de que a desembargadora se referiu a uma minoria e poderiam ter ficado tranquilos. Tivesse ela querido ofender a maioria dos magistrados, teria usado a expressão "magistratura invadida por bandidos", ou então "magistratura tomada de assalto por bandidos". A palavra "infiltrados" por si só significa algo que penetra aos pouquinhos, um aqui, outro ali, sorrateiramente. Ela apenas referiu-se aos verdeiramente bandidos que todos nós sabemos se infiltram em todos os ramos da atividade humana e que devem, sim, ser combatidos.
Ou pensará o STF que a toga tem o condão de santificar um ser humano comum, só por vesti-la? Espero que o STF use de bom senso em seu próximo julgamento sobre o tema.
A sociedade brasileira anseia por órgãos de corregedoria independentes e que não receiem punir os maus elementos de qualquer profissão, pois esse serviço é um baluarte da democracia e do bem estar social. Promove, sim, o engrandencimento da classe purificada pelo expurgo dos maus elementos.
Lamentavelmente o que percebo é que os protestos acirrados em verdade não são contra os comentários da brava magistrada, mas sim mais uma manifestação do deplorável "jus esperneandi" daqueles que colocam o corporativismo acima de tudo.
Ana Maria Detthow Pinheiro - advogada

O REPÚDIO À MINISTRA É UM ATESTADO...

Enos Nogueira (Advogado Autônomo - Civil)

Felizmente o repúdio à Ministra é um atestado de que a sociedade precisa de controlar o Judiciário (através do CNJ). Sei que a maioria, dos verdadeiros Magistrados, é honesta, mas existem àqueles não deveriam usar a toga por falta de dignidade etc. Quando o ex-presidente Lula disse que no Judiciário havia uma "caixa preta", não houve tanta revolta quanto ao que foi dito pela Ministra. Ora, se a notícia for verdadeira, o STF tem ministro que viaja com contas pagas por advogado, como conceber que o CNJ não possa punir alguns magistrados corruptos, já que a maioria é honesta?

Veneno e remédio

Michael Crichton (Médico)

A diferença entre veneno e remédio está na dose. A ministra acha que veneno é remédio.

A Manchete da Noticia esta correta

Jorge Nery Viegas (Professor)

Óbvio que se as entidades que congregam os Magistrados do Brasil nas diferentes areas de atuação se pronunciaram contra o conteudo da entrevista polemica da Ministra é correta sim e não tapar o sol com a peneira ,visto que até tribunais se manifestaram .. é só reler a noticia e ver as notas de repudio ...

Errata

ANS (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Onde de coragém, leia-se coragem.

Parabéns Ministra pela coragém!!

ANS (Advogado Autônomo - Previdenciária)

"A coragem é a primeira qualidade humana, pois garante todas as outras." Aristóteles

  • Página:
  • 1
  • 2
  • 3

Comentar

Comentários encerrados em 5/10/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.