Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Prisão decretada

Durval Barbosa é acusado de abusar dos filhos

Durval Barbosa, ex-secretário de Relações Institucionais do Distrito Federal, está sendo acusado pela ex-mulher de abusar sexualmente dos filhos, de 3 e 6 anos. A ex-mulher fez a acusação na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), da Polícia Civil do Distrito Federal, que já abriu inquérito para investigar o caso. Segundo informações do Jornal da Record, há um pedido de prisão preventiva contra o empresário, mas ele já tem um Habeas Corpus preventivo. A investigação está sob segredo de Justiça.

Barbosa ficou famoso no caso que ficou conhecido como mensalão do DEM, em que integrantes do partido são acusados de receber propina em troca de favores políticos. Barbosa é o delator do suposto esquema que derrubou o ex-governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda.

O empresário confessou ser um dos corruptores e filmava todas as vezes em que repassava dinheiro aos políticos do Democratas. Em troca da divulgação de vídeos em que aparece dando dinheiro a parlamentares do Democratas, o empresário recebeu o benefício da delação premiada, e foi incluído num programa e proteção à testemunha. Uma das acusadas foi a deputada federal Jaqueline Roriz, filha do senador Joaquim Roriz. Ela foi absolvida das acusações recentemente, na Câmara dos Deputados.

Em entrevista ao Jornal da Record, a ex-mulher de Durval Barbosa disse que os filhos contaram sobre os abusos do pai e, depois de inquéritos da Polícia Civil de Brasília, a versão dos menores foi confirmada. Além de Durval Barbosa, a Polícia também pede a prisão preventiva de sua atual mulher, Kelly Cristina Melchior de Souza, e da babá das crianças, Cleuza Bento Rodrigues, também acusadas de participar dos abusos.

No depoimento à Polícia, Durval Barbosa disse que sua ex-mulher sofre de descontrole psíquico e a acusa de tê-lo roubado R$ 30 mil e provas da Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, que apura o mensalão do DEM.

Procurada pela reportagem da revista Consultor Jurídico, a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente de Brasília confirmou a existência do inquérito, mas não confirmou as informações da reportagem da Record. Por ser um caso de família, ele corre em segredo de Justiça.

Clique aqui para assistir a reportagem do Jornal da Record.

Revista Consultor Jurídico, 13 de setembro de 2011, 16h01

Comentários de leitores

4 comentários

ENQUANTO ESTAVA CASADA...ELA DORMIA

Fafá-sempre alerta (Outros)

MAS,QUANDO HOVE A SEPARAÇÃO ELA ACORDOU ... E VIU OS CRIMES DE PEDOFILIA...FORA QUE É MUITO FACIL INDUZIR A UMA CRIANÇA CONTAR O QUE SE QUER OUVIR.CONHEÇO CASOS ASSIM...

AFF!!!

J.Koffler - Cientista Jurídico-Social (Professor)

Sujeira se lava entre os sujos. Isto mostra - independentemente de haver fundamento ou não na denúncia contra o indigitado por parte da sua ex-mulher - que "cada caso é um caso"... (roupa suja se lava em casa)...
Vejam o exemplo de "la Roriz", que safou-se numa boa do seu imbróglio e, pior que isso, por seus pares...
Esse povo definitivamente não é sério...

Correta a atitude da mãe . . .

Ricardo, aposentado (Outros)

A verdade é que restou comprovado, a partir de entrevista com psicólogos e segundo divulgado pela mídia, a prática do abuso sexual contra os menores.
Manifestação de uma Procuradora de Justiça, corroborada por recuperação de mensagens postadas via telefone celular, deixa evidente a intimidação de testemunhas no caso.
Há que ser decretada a prisão preventiva do casal pedófilo, ainda que o pai pedófilo seja beneficiado pela delação premiada no outro crime praticado.
Naquela de uma coisa é uma coisa outra coisa é outra coisa.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 21/09/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.