Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Expediente Padrão

AGU é a favor de expediente sem intervalo

A Advocacia-Geral da União defendeu, na terça-feira (6/9), no Supremo Tribunal Federal, a decisão do Conselho Nacional de Justiça de padronizar o expediente de oito horas para o atendimento ao público nas varas e tribunais do Poder Judiciário.

A medida do CNJ, que está suspensa, foi emitida em março deste ano, após pedido de providências apresentado pela Ordem dos Advogados do Brasil do Mato Grosso do Sul. A deliberação, que modifica a Resolução  88, de 8 de setembro de 2009, determinava que o expediente para atendimento ao público deve ser de segunda a sexta-feira, no mínimo, das 9 às 18h.

No final de junho, o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, concedeu liminar em ação apresentada pela Associação dos Magistrados Brasileiros, e suspendeu os efeitos da Resolução do CNJ. O novo horário entraria em vigor no dia 4 de julho. O ministro explicou que pediu informações para todos os tribunais do país para decidir o mérito da ação. 

Do ponto de vista factual, Fux afirmou que as informações são necessárias para analisar as peculiaridades de cada tribunal. “Há tribunais que teriam de contratar novos servidores para cumprir a ordem do CNJ e têm de verificar se terão orçamento para isso”, afirmou. Do ponto vista jurídico, o ministro esclareceu que serão analisados os limites da autonomia administrativa dos tribunais e da competência do CNJ para regular a matéria. Com informações da Assessoria de Imprensa da OAB.

Revista Consultor Jurídico, 7 de setembro de 2011, 18h10

Comentários de leitores

1 comentário

A PRESTAÇÃO JURISDICIONAL EM PRIMEIRO LUGAR

roberto rocha (Advogado Associado a Escritório - Tributária)

Parabéns para a AGU. Os Tribunais devem funcionar em horário continuo e ininterrupto, como é a Justiça do Trabalho.Se não tem dinheiro para contratar servidores e juizes é um problema da União e dos Tribunais. Tem dinheiro até para a Copa do Mundo, bilhões de reais. EStaão jogando o nosso dinheiro pela janela, através da corrupção e desvios, deixando a população sem a assistência judiciária, isto é negar a prestação jurisdicional prevista na CF/88.Nós advogados e a população não temos nada com os problemas dos Estado e dos TRibunais, os impostos (extorcivos e confiscatórios) são arrecadados para isso.Vamos continuar cobrando para que tenhamos juizes e funcionários nos tribunais em horário corrido e ininsterrupto das 9:00 às 18:00 horas. A OAB a AGU eo CNJ estão com a razão.

Comentários encerrados em 15/09/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.