Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Enquete online

Pesquisa vai medir nível de satisfação com a Justiça

O Conselho Nacional de Justiça faz, no período entre o dia 1º a 30 de setembro uma pesquisa para aferir o clima organizacional e o nível de satisfação com a Justiça brasileira. Poderão participar juízes, servidores e usuários do Poder Judiciário — nesse caso, partes em processos e seus advogados, particulares ou públicos. Os questionários estão disponíveis no portal do CNJ e levam menos de um minuto para serem respondidos.

Segundo o diretor do Departamento de Gestão Estratégica do CNJ (DGE), Fabiano de Andrade Lima, a pesquisa tem por objetivo mapear os desafios do Poder Judiciário e, assim, atender a missão do Conselho enquanto órgão de planejamento do Poder Judiciário, conforme instituído pela Resolução 70, de março de 2009. "A pesquisa vai nortear o CNJ nos projetos de âmbito nacional", explicou.

De acordo com Lima, a ideia é que a percepção de jupizes, servidores e usuários sobre a Justiça dê subsídio ao planejamento instituído pelo CNJ para os tribunais. Exemplo disso são as metas prioritárias do Poder Judiciário, conforme regulamentado pela Resolução 70.

Os objetivos são estabelecidos anualmente, em encontro que conta com a participação de presidentes de todas as cortes do país. O próximo Encontro Nacional do Poder Judiciário, que está em sua quinta edição, acontecerá nos dias 17 e 18 de novembro em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Na ocasião, serão estabelecidas as matérias prioritárias para o ano de 2012.

Questionários
A pesquisa de clima organizacional e satisfação da Justiça brasileira foi desenvolvida pelo DGE em conjunto com o Departamento de Tecnologia da Informação (DTI) do CNJ. "Os questionários para os magistrados e servidores serão disponibilizados por meio do sistema corporativo e exigirá login e senha. Outro questionário será aberto ao público", explicou o diretor do DTI, Declieux Dias Dantas. De acordo com ele, o sistema conterá barreiras para impedir o uso de robôs (softwares automatizados), que poderiam ser usados para envio de respostas de forma automática ao questionário público.

Juízes e servidores responderão a questionários diferentes. Ambos, no entanto, visam a verificar as condições de trabalho desses profissionais e o grau de satisfação, dentre outros pontos. Com relação ao usuário, o objetivo é avaliar o atendimento prestado por juízes e funcionários da Justiça, também entre outras questões. “Sobre os investimentos, vamos verificar, por exemplo, a qualidade do portal na internet e se o cidadão tem facilidade de enviar sugestões ou reclamações”, afirmou Lima. De acordo com o diretor, a ideia é que tal pesquisa passe a ser realizada anualmente. Com informações da Asessoria de Imprensa do CNJ.

Clique aqui para acessar a pesquisa.

Revista Consultor Jurídico, 2 de setembro de 2011, 10h08

Comentários de leitores

2 comentários

Lamentavel perda.

dinarte bonetti (Bacharel - Tributária)

Pena que o empresario Sergio Naya tenha morrido. Ele seria um voto bem significativo sobre esse tema. Morreu feliz e em paz com a justiça.
Entretanto, as vítimas dessa imensa irresponsabilidade de uma empresa que construiu um prédio que caiu, ainda estão aguardando a celeridade conhecida de nossa eficientíssima Justiça. Rui Barbosa continua se remoendo no túmulo.

Perda de tempo!

Marcelo Bona (Outros)

É claro e notório o pensamento das ruas sobre Judiciário!
Não se distância muito do pensamento que se tem dos politicos brasileiro, assim mesmo, letra minuscula e sem acento!
Guardem este dinheiro para uma coisa mais produtiva, afinal, são os imposto que financia essa pesquisa!

Comentários encerrados em 10/09/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.