Consultor Jurídico

Notícias

Segredos revelados

Projeto pode obrigar advogado a denunciar os clientes

Comentários de leitores

11 comentários

E OS BANCOS ...

Fafá-sempre alerta (Outros)

NÃO PRECISAM MAIS VER A ORIGEM DO DINHEIRO???OS ADVOGADOS VÃO GANHAR FAZENDO PAPEL DE DETETIVES???ISSO É UMA PIADA DE MAU GOSTO.

DIREITO ao CONTRADITORIO

Carlos Roberto Ribeiro de Souza (Consultor)

O Congresso Nacional deve é verificar se a Constituição Brasileira de 1988 está sendo respeitada corretamente nos seus artigos 5º incisos II e 7º incisos IV. Se o trabalhador brasileiro vem recebendo o que lhe é devido por DIREITO, se o salário mínimo têm um valor correto, sê os guardiões da Constituição estão atentos para esse fator. Portanto, os advogados devem delatar os seus clientes? Quem não cumpre a CF/88? É a própria presidência da República? A fiscalização é função da receita federal, a prisão é por conta da policia. E a função do advogado é defender os seus clientes dentro de um padrão ético e moral.

ADVOGADOS DEDOS DUROS

Jose Antonio Dias (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Não sei, nem quero saber, quem é o autor deste projeto. Seja lá quem for, trata-se de um cretino qualquer, cuja aprovação foi efetuada por um bando de cretinos. Como esta republiqueta é composta de 80% de analfabetos, si o projeto for aprovado e sancionado, não vão saber como aplicá-lo. Portanto, Srs. advogados, não se preocupem, não denunciem seus clientes, pois ninguem vai ter que pagar 20.000.000.000.000.000,00 para quem quer que seja. O único perigo será a instalação nesta republiqueta da ditadura do proletariado. Ai, sim, ponham a barba de molho...

EM NOSSO PAÍS, TUDO É VÁLIDO (seguem as absurdidades)

J.Koffler - Cientista Jurídico-Social (Professor)

O título supra já se prestou a outros comentários deste signatário na abordagem dos absurdos praticados pelos nossos "legisladores"(sic) e, pelo visto, continuará a ter serventia 'ad eternum'. Afinal, é marca registrada da nossa política caolha, capciosa e mais que medíocre.
Por analogia, se esse PL obrigar o causídico a denunciar seu cliente em relação a atos de lavagem de dinheiro, os padres e médicos psiquiatras também terão que denunciar seus confessores e pacientes, respectivamente, pela exposição sigilosa de seus vícios e crimes, ou não?
A verdade é que dito PL possui os vícios 'genéticos' da maioria dos projetos elucubrados em sede do Parlamento, ou seja, a aberração e a miopía jurídicas e que, tão logo aprovados, já demandam os naturais remendos para saneá-los das suas excrescências normativas. O fator "retrabalho", tão condenado e combatido em seara laboral, no Parlamento é entendido como "usos e costumes". Também, pudera: faltam "aspones" para fazer a 'depuração' do dever de casa.
Em realidade e a sério, falta é vergonha na cara, respeito e comprometimento com seus labores, regiamente remunerados e obsequiados com benesses vitalícias (a propósito, a quantas anda a EC 358/2005 e sua infamante previsão de caráter vitalício para ex-autoridades públicas e seu direito de foro privilegiado?).

Era só o que faltava

Gilberto Serodio Silva (Bacharel - Civil)

Quem deveria ser obrigado e penalisado por receber, guardar e aplicar dinheiro sem sustentação fiscal e origem desconhecida são os Bancos.
Pedágios de rodovia deveriam ser fiscalizados sobre destino da gigantesca qquantidade de papel moeda que recebem e muitas vezes são trocados para esquentar caixa dois e dinheiro de organizações criminosas,
Vale citar o grande Evandro Lins e Silva paranifando bachareis, quanto ao dever moral dos advogados refletindo o estatuo de advogados:
O DEVER DO ADVOGADO
"O advogado tem que ter uma postura absolutamente correta e decente diante da vida. Ele não é solidário com o crime, ele é solidário, muitas vezes, com a dor, com o sofrimento do cliente. Sempre digo aos jovens advogados: seja honesto, como disse um Italiano antigo, nem que seja por velhacaria".
Publicado em O Globo quando da passagem para o plano de Luz desse grande Brasileiro, cidadão e advogado exemplar.
Ps. os politicos deveriam tomar cuidado com essa proposta pois vão acabar sendo denunciados em larga escala pelos advogados que constituem para defende-los em foro privilegiado - uma aberração e afronta ao art. V da CF/88 dita cidadã - pelas falcatruas e assalatos aos cofres públicos e a lei que comentem, repetidamente, acobertados pela distorção da imunidade parlamentar, estelionatários com imunidade é muito. Pobre povo Brasileiro.

MAIS INVIÁVEL, IMPOSSÍVEL

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

Imaginem. A par de absurda,no que tange a advocacia, a proposta jamais seria aprovada por ferir os anseios dos maiores interessados: os próprios políticos.Eles são verdadeiras 'lavanderias ambulantes' de dinheiro sujo, recebido via de corrupção, laranjas, etc. Se isso vingasse se extinguiria , por completo, o Congresso Nacional e o Executivo. Quanto aos advogados, soaria mais ou menos como exigir que o padre revelasse os segredos de que teve conhecimento em confessionário. A proposta é ridícula. Transformar o causídico em agente de fiscalização do Estado é passar atestado de incompetência, autenticado, aos seus agentes,ou melhor, só autenticar, porque da incompetência só 190 milhões de brasileiros estão cientes. "Picato Finum Est"

Quebra de sigilo

Antonio Nacif Boan (Advogado Autônomo - Civil)

Será que vamos ter turmas de "dedos duros" na advocacia? Tirar o sigilo dos defensores será uma boa prática profissional? Os detentores do poder hoje estão tão seguros quanto a origem de seus bens? O tiro pode sair pela culatra.

A ABSURDA QUEBRA do SIGILO!

Citoyen (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

Colegas, não se iludam e não busquem somente na arguição de INCONSTITUCIONALIDADE e da SEGURANÇA JURÍDICA a quebra do SIGILO da CONVERSA ADVOGADO CLIENTE.
No seio da UNIÃO EUROPÉIA, hoje, já ha NORMAS punindo os ADVOGADOS que NÃO DENUNCIEM esquemas fraudulentos que seus Clientes lhes submetam.
Ora, tal regra muito começa, pois, de se aproximar do Brasil, que vive um REGIME POLÍTICO em que o ENTESOURAMENTO de RECURSOS FINANCEIROS É INDISPENSÁVEL para que os QUE GOVERNAM e CONTROLEM o ESTADO MANTENHAM no CAPRESTO os 52 MILHÕES de BENEFICIÁRIOS atuais dos PLANOS DE BENEFÍCIOS do GOVERNO, garantindo-lhss o VOTO para que se perpetuem no PODER!
E este tipo de RETALIAÇÃO e de QUEBRA do PRINCÍPIOS da DIGNIDADE HUMANA e da SEGURANÇA JURÍDICA deverá continuam, não tenhma dúvida, porque aos GOVERNANTES O PODER É ETERNO e eles tudo farão, se puderem, para NÃO DESCES DO PEDESTAL.
Portanto, Advogados, Cidadãos brasileiros que nos leem, HÁ QUE FICAREM todos vigilantes, porque certamente para que este escárnio seja aprovado, baSTA QUE SE OFEREÇAM a DEPUTADOS e SENANDORES alguns trocados do Tesouro, com previsão no próximo ORÇAMENTO da nossa REPÚBLICA, cada vez MENOS DEMOCRÁTICA!

Absurdo

Evandro Camilo Vieira (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

Se for consultado a respeito de um ilícito previsto no referido "projeto de lei" terei a obrigação de informar a autoridade competente, sob pena de multa? Então serei um dos maiores devedores do Estado, pois de forma alguma vou romper o juramento que fiz perante a CF de garantir a inviolabilidade das informações passadas pelo meu cliente.

Inconstitucional

Le Roy Soleil (Outros)

Se o sigilo profissional do advogado pode ser relativizado, então o Estado Democrático de Direito também pode. É exatamente isso o que restou aprovado pela Câmara dos Deputados, pois não há absolutamente nenhuma possibilidade de exercer o contraditório e a ampla defesa, sem o necessário sigilo nas informações confidenciadas entre causídico e cliente. Trata-se do óbvio ululante. Se virar lei, será fulminada no STF.

Não existem direitos absolutos

Advogado Santista 31 (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Nas palavras do próprio artigo: Mas, nem todos pensam da mesma maneira. Para o juiz Pierre Souto Maior, da 2ª Vara Criminal da Comarca de Caruaru (PE), a imposição aos advogados de comunicação sobre suspeitas de lavagem de dinheiro de seus clientes, não é inconstitucional. "O sigilo profissional não é absoluto, assim como não são outras tantas garantias individuais, não podendo servir para acobertamento da prática de crimes que atingem toda a sociedade, como é o caso do crime de lavagem de dinheiro", disse o juiz. Ele ressalta que hoje em dia as instituições financeiras já são obrigadas pela Lei de Lavagem de Dinheiro (Lei 9613/1998) a repassar informações ao Coaf.
Concordo com este juiz em uma coisa: não existem direitos absolutos, inclusive os das prerrogativas da magistratura como o da vitaliciedade, inamovibilidade e irredutibilidade de vencimentos. Se para uns as garantias constitucionais extrincecas não são absolutas, por princípio de equidade o mesmo deve ser aplicado aos juízes tal relatividade na interpretação quanto ao alcance de suas prerrogativas.

Comentar

Comentários encerrados em 3/11/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.