Consultor Jurídico

Notícias

Gestão financeira

"Advogados devem criar caixa preventivo para crise"

Por 

Manter um caixa preventivo, criar projeções e melhorar a gestão dos funcionários são algumas medidas que um escritório de advocacia precisa tomar diante de momentos de crise. Foi o que defendeu o sócio da Condere Consultoria, Maurício Rocha Alves de Carvalho, que abriu a discussão com o tema Gestão Financeira para Advogados, no segundo dia da Fenalaw 2011. Ele comentou a situação das empresas em época de crise. “Tem que se traçar uma rota de curto, médio e longo prazo de crescimento”.

Embora o Brasil tenha mantido sua economia estável nos últimos anos, na opinião de Carvalho, o crescimento que vem acontecendo provavelmente não se repetirá. Isso não significa, porém, que o trabalho dos advogados vai parar. “O ciclo de crescimento do país está chegando a um ponto de saturação. As empresas terão mais dificuldades de fazer negócios. Mas não é, necessariamente, um cenário ruim. Para a atividade do advogado, trabalho certamente vai ter”, afirma.

Ele ressalta a importância de poupar nos tempos de bonança, para passar, com mais tranquilidade, pelos momentos conturbados. “É preciso se preocupar com o custo fixo da empresa, que consiste em despesas com o escritório e salário dos profissionais envolvidos. É preciso ter um caixa preventivo, para garantir a continuidade do trabalho, mesmo em crise”, disse.

O escritório de advocacia deve pensar se o seu negócio é economicamente sustentável. Segundo o especialista, é preciso criar cenários base, considerando situações pessimistas e otimistas. E ainda: levar em consideração, inclusive, a alocação de horas dos funcionários e variações de custo. “É uma maneira de transformar em números o que pode acontecer. Isso serve para uma maior visualização dos riscos”, afirma.  

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 19 de outubro de 2011, 17h17

Comentários de leitores

1 comentário

Segue o ritmo próprio

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Bem e vê que o Autor da matéria nada sabe de advocacia. O funcionamento dos escritórios de advocacia nada tem a ver com as oscilações da economia. Uma crise econômica, não raro, acaba por aumentar o faturamento dos escritórios, assim como um grande desastre natural faz com que coveiros e funerárias tenham muito o que fazer.

Comentários encerrados em 27/10/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.