Consultor Jurídico

Fim da investigação

CNJ e Ministério da Justiça vão destruir armas

O Conselho Nacional de Justiça e o Ministério da Justiça assinaram acordo nesta terça-feira (11/10) para a destruição de cerca de 755 mil armas de fogo que estão em fóruns e tribunais de todo o país. O objetivo é inutilizar definitivamente as armas que não sejam mais alvo de investigação ou processo penal. A medida integra a Campanha Nacional do “Desarmamento 2011 — Tire uma arma do futuro do Brasil”, lançada em maio pelo Ministério da Justiça.

A assinatura do acordo pelo ministro Cezar Peluso e pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, se deu na segunda parte da sessão desta terça-feira do CNJ.

O armazenamento de armas em órgãos judiciais, que não têm segurança suficiente para guardá-las, tem motivado a ação de grupos criminosos que invadem prédios para reavê-las.

A Campanha Nacional do “Desarmamento 2011 — Tire uma arma do futuro do Brasil” faz parte da política de Estado para a segurança pública. Desde 2004, a campanha foi responsável por retirar de circulação cerca de 570 mil armas. A edição iniciada em 2008 regularizou outras 500 mil, de acordo com dados do Ministério da Justiça.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 11 de outubro de 2011, 15h30

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 19/10/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.