Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Festa solidária

Juízes paulistas confraternizam e arrecadam brinquedos

Por 

Festa prestigiada: O criminalista Eduardo Muylaert ao lado da equipe do jurídico da Globo, comandada por Carlos Araújo (no centro da foto).Há dez anos um grupo de juízes de São Paulo se reúne no final do ano para uma confraternização. Na 10ª edição da Festa dos Brinquedos, nesta segunda-feira (28/10), eles se encontraram no luxuoso e tradicional Clube Paulistano. “Este ano a festa foi um sucesso, mais de 1.100 pessoas e 5 mil brinquedos arrecadados. As crianças das 25 instituições que receberão os brinquedos certamente terão um natal mais feliz”, disse Carlos Teixeira Leite Filho, desembargador do Tribunal de Justiça paulista que idealizou a tradicional comemoração de final de ano.

A ideia da festa nasceu de uma conversa entre o desembargador e um colega de tribunal, Jaime Queiroz Lopes Filho, durante a comemoração de um aniversário. Hoje, além dos juízes e familiares, a festa é prestigiada por grandes advogados, promotores e por toda a comunidade jurídica. Tornou-se uma tradição. O encontro começou pequeno, no Bar Mercearia São Pedro, na Vila Madalena. Cresceu e mudou-se para o extinto Bar Avenida. No passado, mais de mil pessoas passaram pelo elegante Leopolldo Itaim. Depois de 10 anos, a festa da magistratura chegou ao clube mais tradicional de São Paulo.

Entre os convidados estavam os magistrados Fernando Maia da Cunha, Ivan Sartori, Décio Notarangeli, Antonio Manssur, Jayme Queiroz Lopes, Hamilton Ackel, Ruy Pires Galvão, Guilherme Strenger, Ricardo Anafe, João Batista Morato Rebouças de Carvalho, Augusto Drummond Lepage, entre outros. Da advocacia compareceram notáveis como Antonio Cláudio Mariz de Oliveira, Alberto Zacharias Toron, Antonio Celso Amaral Salles, Eduardo Muylaert, Celso Mori, Luiz Camargo Aranha Neto, Manoel Alceu Ferreira, Paulo Guilherme Mendonça Lopes, Patrícia Rios, Eduardo Nobre, Maurício Silva Leite, José Roberto Pacheco Di Francesco, e todo o estado-maior do jurídico das Organizações Globo, capitaneado pelo seu diretor, Carlos Araújo, que é também diretor do Innovare.

O desembargador Fábio Gouvêa, integrante da 10ª Câmara Criminal, diz que a festa já é um evento importante para os juízes. “É um momento de congregação e confraternização. Uma festa de fim de ano para encontrarmos colegas depois de um ano inteiro de intenso trabalho.”

O desembargador Marco Antonio de Lorenzi, da 14ª Câmara Criminal, considera a causa — a arrecadação de brinquedos — nobre. “A iniciativa é ótima. Condiz com o papel do magistrado que é colaborar para uma sociedade melhor. Ao invés de pagar um valor, entregamos um brinquedo que fará uma criança mais feliz. A ideia é ótima.”

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 29 de novembro de 2011, 16h59

Comentários de leitores

1 comentário

É SÓ CADA QUAL FAZER A SUA PARTE

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

Para colaborarem com uma sociedade melhor, basta que cada um faça a sua parte. No caso dos juízes, JULGAREM MELHOR E MAIS RÁPIDO, deixando os brinquedos para o Papai Noel.
Se cada cidadão der o melhor de si, naquilo que mais sabe fazer, já estaremos a um passo da perfeição. No mais, se a moda pegar, logo se criará a "bolsa brinquedo" patrocinada pelo Judiciário, enquanto milhares de processos repousam empoeirados nos escaninhos das serventias.

Comentários encerrados em 07/12/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.