Consultor Jurídico

Comentários de leitores

5 comentários

Republica

Ricardo (Outros)

O principio republicano não autoriza distinções ou preferencias.
Todos são submetidos sem distinção ao império da lei e da constituição, inclusive, e principalmente os políticos.
A justiça vai decidir e ponto final.
Quem tem calibre e revolver.
Eleição pra MP deve ser gozação.

sim..

Marcelo Augusto Pedromônico (Advogado Associado a Escritório - Empresarial)

Da mesma forma, o Prefeito não é e nem será o meu candidato. Mas acho cômica a cena de um homem público deste calibre se submetendo a comparecer no gabinete de um jovem promotor para prestar esclarecimentos, o que, diga-se de passagem, o Prefeito Kassab tratou com singular tranquilidade em outras ocasiões.
Penso que há uma total inversão de valores, haja vista que nosso modelo atual de sociedade privilegia o fruto de uma decoreba sistematizada de certos conteúdos programáticos, em detrimento da livre escolha e dos fundamentos democráticos, pelos quais elege-se um vereador, um prefeito e, ouso dizer, escolhe-se um Advogado.

Credibilidade

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Creio que o Ministério Público, e também os Tribunais, devem usar com sobriedade as medidas cautelares previstas em lei, notadamente quando o caso gera enorme repercussão. Já vi ontem alguns jornalistas dizendo que "deve haver mesmo algo de muito grave" tomando por base o pedido de afastamento do Prefeito. Assim, se o pedido não é acolhido, vez que abusivo, ou concedido e depois afastado pela instância recursal, a credibilidade das instituições fica abalada. Gera-se uma expectativa infundada na população, e quando a suposta punição (a população não sabe distinguir entre medida acautelatória e pena) não vem, acaba por se atribuiu a frustração à "maracutaia".

Exagero

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Obviamente que não há como emitir opinião sobre a culpabilidade ou inocência dos acusados sem se averiguar em profundidade o caso. Mas, embora eu não seja nem um pouco simpático ao referido Prefeito, pedir seu afastamento por supostos fatos que ocorreram há muitos anos, relativo a questões complexas da administração só seria admissível por prazo determinado e visando um fim específico, como obtenção de uma prova que Kassab poderia impedir ou dificultar se no cargo. Ao contrário dos membros do Ministério Público que atuam no caso, ilustres desconhecidos para os munícipes, o Prefeito Kassab foi eleito pelo voto, valendo também para ele o princípio da presunção de inocência e demais regras aplicáveis ao caso.

os por quês...

Marcelo Augusto Pedromônico (Advogado Associado a Escritório - Empresarial)

Se as irregularidades ocorreram em 2005, problemas desde 2007, por que só agora os promotores estão tomando providências?
Claro que eu, como cidadão, quero que cada instituição cumpra o seu papel, pois é para isso que se paga tributo.
Mas acho bem estranho que promotores de justiça se empenhem tanto quando o assunto é "político", e não agem da mesma forma em face da corrupção existente no âmbito da polícia civil, por exemplo. Afinal, estão ali, bem próximos. Ou estão deixando de cumprir o dever ou o poder da corrupção os intimida.

Comentar

Comentários encerrados em 2/12/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.