Consultor Jurídico

Notícias

Risco ocupacional

Unimed deve indenizar motorista de ambulância

A Sociedade Cooperativa Unimed Pelotas, na Zona Sul do Rio Grande do Sul, deve indenizar por danos morais e materiais um motorista de ambulância que teve perda auditiva devido à atividade. A decisão foi tomara pela da 9ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho do Rio Grande do Sul, no dia 7 de abril. O TJ gaúcho manteve a sentença do juiz Luís Carlos Pinto Gastal, da 1ª Vara do Trabalho de Pelotas. Cabe recurso.

O autor da ação trabalhou por mais de 10 anos para a Unimed. Dirigiu  ambulâncias, que andavam, segundo ele, quase sempre com a sirene acionada. A jornada de 12 horas de trabalho, nestas condições, resultou em lesão auditiva que gerou perda permanente de 20% da capacidade funcional do autor.

O juízo de origem, acolhendo a conclusão da perícia médica, reconheceu a existência do nexo causal entre a doença do motorista e a função exercida. O juiz ressaltou que a responsabilidade da empresa decorreu de forma objetiva e subjetiva, sobretudo diante da negligência com que tratou e trata o risco ocupacional específico.

Desta forma, a Justiça concedeu o pagamento de indenização por dano material no valor de R$ 68 mil, cálculo referente a 20% da remuneração para fins rescisórios, multiplicado pelo número de meses correspondente aos anos de expectativa de vida no Brasil. Para o ressarcimento por dano moral, o juiz arbitrou o valor de 1/5 da quantia imposta pelo dano material, que ficou em cerca de R$ 14 mil.

Na fase recursal, os desembargadores mantiveram a sentença sob o mesmo entendimento, mas reduziram a indenização de dano material para R$ 30 mil, valor médio adotado pela Turma em tais situações. O relator do acórdão, desembargador João Alfredo Borges Antunes de Miranda, destacou que “mesmo não caracterizado o dolo ou culpa direta do empregador, existe o desenvolvimento de uma atividade produtiva com potencial de risco para seus empregados, o que leva, ainda que de forma indireta, a uma configuração de culpa ou dolo de quem mantém tal atividade, que assume os ônus da mesma e que lucra com o trabalho de seus empregados”. Com informações da Assessoria de Imprensa do TRT-RS.

Clique aqui para ler o acórdão.

 

Revista Consultor Jurídico, 31 de maio de 2011, 9h23

Comentários de leitores

1 comentário

Unimed deve indenizar motorista de ambulância que teve perda

Renato Adv. (Advogado Autônomo - Civil)

Unimed deve indenizar motorista de ambulância que teve perda auditiva.
O Brasil sempre foi país considerado injusto, em especial para as pessoas de classe média / pobre.
A nossa operosa justiça do trabalho está sempre a confirmar essa afirmativa, pois, além de julgar por baixo valores de indenizações de danos materiais e morais resultantes de acidentes de/do trabalho, quando os processos sobem para recursos, a nossa operante justiça ainda e sempre reduz os valores pleiteados.
Que país e esse??. Para mim é vergonhoso, pois se a indenização for para um abastado ou juiz o resultado muda radicalmente.
É lamentável que o trabalhador pobre seja tratado dessa maneira.
Renato.

Comentários encerrados em 08/06/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.