Consultor Jurídico

Caso Palocci

OAB pede CPI e afastamento do chefe da Casa Civil

O presidente do Conselho Federal da OAB sugere afastamento do chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, até o fim das apurações sobre a evolução do seu patrimônio. "O pedido de afastamento é algo que soaria muito bem no âmbito da sociedade. É algo que deixaria o governo Dilma muito mais tranquilo", disse Ophir Cavalcante. Ele também criticou a demora na explicação dos fatos. "Obviamente, isso respinga em toda a credibilidade do governo", opina.

A Controladoria-Geral da União também foi alvo de críticas. Segundo Ophir, a controladoria é rigorosa com funcionários subalternos, mas flexível com relação a ministros e secretários de Estado. Para o presidente da OAB, a CGU deve abrir processo de investigação sobre as denúncias de que o patrimônio do ministro-chefe da Casa Civil aumentou 20 vezes nos últimos quatro anos.

"Quando o governo blinda o ministro e diz que não vai investigar, obviamente, que todos nós brasileiros passamos a pensar que tem alguma coisa de podre em tudo isso", afirmou o presidente da OAB, que defende também acriação de uma CPI para investigar o caso.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 31 de maio de 2011, 0h41

Comentários de leitores

2 comentários

TANTO MELHOR QUANTO PIOR FOR

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

Não há nada de novo nesse tema. Dilma escolheu Palocci exatamente pela sua falta de caráter, pela sua improbidade, canalhice e pela expertise, não para administrar, mas , antes, para enganar e lesar o erário público, (como fez em R. Preto, por exemplo), portanto, pela sua experiência ímpar como "malaco de carteirinha" de todos os carnavais. Foi por isso mesmo que, tendo esse perfil, se mostrou perfeito para ocupar a vaga na Casa Civil, local que sempre abrigou políticos dessa extirpe e de onde sempre surgiu, invariavelmente, maracutaias de toda a sorte e que todos os presidentes sempre desconheceram. É o buraco por onde entram e saem os ratos e queijo é que o não falta. Não nos esqueçamos de que , na era petista, tanto melhor o candidato, quando pior for o seu curriculo (moralmente falando). O PT não é um partido, é uma quadrilha.

DEDICAÇÃO EXCLUSIVA AO TRABALHO PARLAMENTAR

omartini (Outros - Civil)

Independentemente de resultado de improvável investigação republicana sobre fortuna exponencial do ministro, a OAB deve comandar a sociedade para exigir um mínimo de Justiça e reciprocidade no exercício de cargo legislativo.
É indiscutível que parlamentares obtêm vantagem indevida, aniquilando razoável concorrência profissional em qualquer atividade paralela exercida durante mandato legislativo.
Parlamentares, já entre os profissionais com as mais altas remunerações (e “fringe benefits”) a nível mundial, ausência consentida ao trabalho parlamentar , privilégios de imunidade e foro especial, ao menos um ônus PREVISÍVEL: dedicação exclusiva ao trabalho parlamentar.
Não é só o médico de consultas módicas que enricou durante mandato parlamentar, mas também advogados justificaram inusitado aumento patrimonial com atividade paralela à representação legislativa...

Comentários encerrados em 08/06/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.