Consultor Jurídico

Notícias

Operação Saúde

PF apura desvio de recurso para compra de remédio

A Operação Saúde, deflagrada nesta segunda-feira (16/5) pela Polícia Federal, em parceria com a Controladoria-Geral da União, investiga desvio de recursos para a compra de medicamentos em sete estados. A meta é cumprir 64 mandados de prisão temporária no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará e Rondônia. Ao todo, 282 policiais federais e 18 auditores da CGU estão envolvidos. As informações são da Agência Brasil.

A PF investiga indícios de fraude em licitações, corrupção ativa e passiva, peculato e formação de quadrilha. Segundo a PF, os suspeitos atuavam no desvio de verbas públicas federais destinadas à compra de medicamentos, material hospitalar e outros insumos da área de saúde por prefeituras municipais.

Outros 70 mandados de busca e apreensão autorizados pela Justiça Federal de Erechim (RS) serão cumpridos. Dez sedes de empresas e seis prefeituras do Rio Grande do Sul, Pará e Mato Grosso foram alvo das buscas.

Preços baixos
Iniciadas em 2009, as apurações apontaram a atuação de três grupos criminosos sediados na cidade gaúcha de Barão do Cotegipe e com atuação em estados próximos. De acordo com a denúncia, as empreses envolvidas venciam as licitações oferecendo preços muito baixos. Em alguns casos, inclusive, a licitação já estava direcionada para as empresas envolvidas no esquema.

A CGU verificou também “de forma recorrente” a inexistência de controles de estoque nas farmácias das prefeituras municipais envolvidas. Fiscalizações feitas em 2009 e 2010 em 22 municípios dos sete estados apontam prejuízos de, pelo menos, R$ 3 milhões.

Revista Consultor Jurídico, 16 de maio de 2011, 17h48

Comentários de leitores

1 comentário

o edital deles de cada dia e o café da padaria

marco11 (Consultor)

Esse tipo de operação é preciso, embora não acredito que se sustente.Quantos casos o policia federal já atuou e o judiciário através das brechas do legislativo, soltou e por pouco não prende os federais?esse romance envolvendo a industria farmaceutica vem, pelo jeito desde os tempos de EVA, basta notar que uma multinacional, pesquisa um produto por 15 anos e depois vende cada comprimido por R$ 2.00 e da noite para o dia aparece no mercado alguém fabricando e vendendo por R$0.20 ... lá pelos lados do GOIAS, parece ter empresas de ficcçao, embora a matriz fique em Sao Paulo, seria só para diminiur ICMS? de licitaçoes nem se fala..sugiro que reavaliem os editais para compra de medicamentos e equipamentos.. em geral ,lá ( nos editais ) é que estão os direcionamentos da coisa! querem mais:busquem 10 empresas farmacêuticas brasileiras e vejam, com quanto elas participam do "bolo" das vendas através de licitações e aproveitem para ver o quanto cresceu o capital e parque industrial delas no mesmo período.. seria a multiplição dos pães? penso que não: é a divisão dos lucros.. é o que penso e nessa padaria convivi por muito tempo!

Comentários encerrados em 24/05/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.