Consultor Jurídico

Comentários de leitores

6 comentários

Sargento Brasil...

Lucas Castex Aly de Santana (Advogado Assalariado - Civil)

...não o critico por pensar assim pois sei que você é tão vítima desse Sistema quanto os traficantes.
Se nós pensamos em uma regulamentação para o uso e plantio de cannabis, por exemplo, é justamente almejando uma Sociedade mais justa e consciente. Enquanto a opinião do sociedade civil e até mesmo de algumas autoridades, se limitar à margem do assunto, não se aprofundando no tema mas se agarrando a preconceitos já pré-estabelecidos por políticas totalmente equivocadas e de valores invertidos, será muito difícil tratarmos o assunto com a devida atenção que ele merece. A equiparação que você faz dos traficantes com os defensores de políticas públicas mais sérias e justas é apenas mais uma prova disso. Se fossemos pensar com esta lógica, o Senhor, Sargento Brasil, seria considerado um terrorista indireto quando coloca gasolina no seu automóvel, pois é sabido que as grandes contribuições feitas a grupos terroristas advem do Petróleo. Logo, antes de levantar bandeiras ditas moralistas, da família e dos valores religiosos e blablabla, vamos tratar a questão de forma responsável, no âmbito do Estado. O fato é que uma Cadeia deveria abrigar apenas as pessoas que não estão aptas ao convívio em Sociedade, porem, atualmente o que se vê são cubículos deploráveis que amontoam de forma desumana pequenos traficantes, assaltantes de objetos de pequeno valor com assassinos e grandes criminosos, conduta esta totalmente inaceitável.

Sargento Brasil...

Lucas Castex Aly de Santana (Advogado Assalariado - Civil)

...não o critico por pensar assim pois sei que você é tão vítima desse Sistema quanto os traficantes.
Se nós pensamos em uma regulamentação para o uso e plantio de cannabis, por exemplo, é justamente almejando uma Sociedade mais justa e consciente. Enquanto a opinião do sociedade civil e até mesmo de algumas autoridades, se limitar à margem do assunto, não se aprofundando no tema mas se agarrando a preconceitos já pré-estabelecidos por políticas totalmente equivocadas e de valores invertidos, será muito difícil tratarmos o assunto com a devida atenção que ele merece. A equiparação que você faz dos traficantes com os defensores de políticas públicas mais sérias e justas é apenas mais uma prova disso. Se fossemos pensar com esta lógica, o Senhor, Sargento Brasil, seria considerado um terrorista indireto quando coloca gasolina no seu automóvel, pois é sabido que as grandes contribuições feitas a grupos terroristas advem do Petróleo. Logo, antes de levantar bandeiras ditas moralistas, da família e dos valores religiosos e blablabla, vamos tratar a questão de forma responsável, no âmbito do Estado. O fato é que uma Cadeia deveria abrigar apenas as pessoas que não estão aptas ao convívio em Sociedade, porem, atualmente o que se vê são cubículos deploráveis que amontoam de forma desumana pequenos traficantes, assaltantes de objetos de pequeno valor com assassinos e grandes criminosos, conduta esta totalmente inaceitável.

Tráfico de drogas

Sargento Brasil (Policial Militar)

Deveríamos ter a priori a consciência de quantas famílias vão chorar com seus filhos levadas à dependência das drogas trazidas pelos traficantes, que certamente ceifará a personalidade, o caráter e até a vida. Esse é o maior infortúnio para a celula máter da sociedade, principalmente quando o estado se faz ausente no tratamento de dependentes. Pior, vemos nos notíciários que até políticos fazem parte da passeata e movimentos pela liberação de drogas. Esses são os traficantes indiretos, tão perigosos quanto, camuflados pelo cargo que ocupam.

Luta sem fim

Mário de Oliveira Filho (Advogado Sócio de Escritório)

A experiência pessoal do magistrado conta e muito no momento de decidir sobre uma caso intrincado sobre o tema porte ou tráfico.
O traficante necessariamente precisa ser severamente punido e o usuário dependente, o doente, precisa também necessariamente ser tratado.
Havendo erro nesse julgamento, a interpretação equivocada trás seríssimos prejuízos aos protagonistas do processo, mas, principalmente, para a sociedade que não se vê livre (mesmo que momentaneamente) do traficante e pune o usuário.
De grande importância para a sociedade é a informação a grande arma contra o flagelo das drogas.
Mário de Oliveira Filho - Consultor Jurídico da Campanha Jovem Pan Contra as Drogas em Favor da Vida.

Carência de uma jurisprudencia.

clesius (Contabilista)

Enquanto isto ocorre, isto é, a duvida na caracterização do uso e porte, as cadeias estão cheias e aumentando o contingente de presos e doentes.
Por que não propor uma jurisprudência final ao tema, a sociedade ganharia.

COERÊNCIA OU CAPACIDADE ?

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

Menos mal seria se tão somente em relação ao uso/tráfico de drogas, houvesse tal equívoco. Em verdade todas as decisões penais padecem do mesmo problema. É comum ver-se casos onde o crime, por suas circunstâncias, características, 'modus operandi', etc., são idênticos, porém encerram decisões iniciais completamente diferentes em relação aos seus paradígmas. Ora se decreta a prisão provisória. Ora não se decreta, frente as mesmas situações. As argumentações são as mais incongruentes possíveis e por vezes se contrapõem, naquele mesmo momento, com outras em sentido oposto, sobre outro delito exatamente igual e contemporâneo, causando perplexidade pela adoção de dois pesos e duas medidas. Como bem frisado na matéria, a questão está mais para o entendimento pessoal do magistrado, ou até da Câmara no Tribunal, do que para a aplicação do direito. Está faltando coerência ou capacidade ?

Comentar

Comentários encerrados em 23/05/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.