Consultor Jurídico

Comentários de leitores

82 comentários

O MEIO TERMO

 (Advogado Autônomo)

Entendo que que cabe razão as ambas as partes, entretanto as mesmas apenas radicalizam as suas posições, esquecendo que é possível encontrar-se a soluçã paliativa, de com um projeto de lei, alterar o artigo do estatuto da OAB, que trata da prática do Estagiário. Estendendo-se o período do estágio até que o Bacharel, consiga ser aprovado no Exame de Ordem.Pois assim, sempre com a supervisão de um advogado, os Bacharéis ( Estagiários), poderiam prover o seu sustento, trabalhando em Empresas ou Escritórios. Não haveria prejuízo algum, para nenhuma das partes e nem para os clientes. Ainda com o "plus", de que a OAB, arrecadaria o valor das anuidades dos Estagiários, que ao continuar trabalhando, estariam praticando, e concomitantemente se preparando para o Exame de Ordem, pois todos sabem, que o trabalho na área jurídica, para ser bem desenvolvido, há necessidade de pesquisas e muito estudo das causas.

"Exame de Ordem protege mercado, mas destrói famílias", afir

ADEVANIR TURA - ÁRBITRO - MEDIADOR - CONCILIADOR (Outros - Civil)

CAROS LEITORES! PRESTEM BEM ATENÇÃO NESTE TRECHO DA REPORTABEM, in vervis:
"No último Exame de Ordem, a Fundação Getúlio Vargas fez uma pesquisa com os bacharéis que se submeteram às provas. Foram ouvidos 7.861 bacharéis, dos quais 74,4% se declararam a favor da seleção organizada pela OAB. Números também mostram que mais de 80% dos bacharéis egressos de universidades públicas, especialmente as federais, são aprovados na primeira vez que fazem o teste."
Para chegarem nessa conclusão, foram ouvidos alunos da FGV, na maioria RICOS. RICOS: São aqueles alunos filhos de "papai" que estudam de dia e os pais pagam tudo, ou seja, só fazem isso.
E aqueles coitados que se matam diariamente trabalhando de dia e estudando à noite para pagar o curso de direito por longos 05 (cinco) anos? Muitos são pais de famílias que deixam os filhos passarem certas necessidades para pagar o curso e no final, VEM O PRÊMIO: "EXAME DA ORDEM DA OAB".
PARABÉNS "MEC"!!! MEC: SIGNIFICADO: M=mecanicamente; E=enrorados $$$$; por uma C=classe.

Estudar que é bom nada...

Leonardo Silva Wagner (Advogado Autônomo - Civil)

Pq esses bacharéis não ocupam seu tempo estudando?
Seria mais fácil, bem mais fácil, obter aprovação.
Nem é tão difícil assim...
Para quem fez a faculdade com o mínimo de dedicação é relaticamente fácil passar pela prova. Mas se a pessoa não consegue passar é pq não tem condições de trabalhar, talvez por não ter se dedicado aos estudos.

Concordo. A prova é um absurdo!

Arlette (Bacharel)

Concordo com Ponce, quando afirma que o Exame da OAB não mede conhecimento de ninguém e apenas impede que um profissional exerça a profissão que escolheu. Se a OAB entende que tem que existir o exame, então que modifique os critérios aplicados, pois é verídico que atualmente, um aluno que entra em uma faculdade de Direito pensa somente em se preparar (aprender macetes) para passar no exame da OAB ou então apenas para prestar concurso público. É impossível, em 5 horas de prova (cansativa) se medir conhecimento de alguém. Isso é um absurdo, alguma medida term que ser tomada para que se dê oportunidade a todos que terminam a faculdade de Direito. Vamos lutar para que o Exame da OAB acabe ou então que seja mudado totalmente o critério de avaliação. O MEC é que tem que se encarregar em melhorar o curso universitário e não a OAB.

CONTEM A VERDADE AOS FILHOS

Júnior Brasil (Advogado Autônomo - Consumidor)

Digam que vocês, bacharéis incompetentes, NÃO SÃO CAPAZES DE TIRAR UMA NOTA 5...rs, razão pela qual eles (os filhinhos) não podem dizer que são filhos de um advogado...rs.
.
Eita país do jeitinho!
.
KAKAKAKAKAKA

Ildecler, Hualisson e Felizmina.

Sunda Hufufuur (Advogado Autônomo)

Quem é contra o exame de Ordem? Ildecler, Hualisson e Felizmina.
.
Bem, o ínclito Ildecler (não necessariamente nesta ordem) brindou-nos um bom desopilamento do fígado). Então ou o sujeito pode advogar ou vai roubar? ahahahah
.
Um pouco mais, por essa ótica, o estuprador poderia dizer: "Dr., também tenho direito a ter a Viviane Araújo na minha cama, por que só jogador de futebol pode e eu não posso? Meu estupro foi um protesto contra a miséria e a injustiça sexual".
.
A coisa que mais espanta no tal Ildecler e aqueles que ousam defender essas babaoseiras é a falta de discernimento para perceber a invalidade do argumento, carcaterizado assim como a falácia do falso dilema num nível que raia a comédia mais burlesca. Ora, desde quando a reprovação num exame deixaria com única opção de sobrevivência a alguém o crime?
.
Outro argumento dos mais hilários é que a OAB não deixa alguém ganhar sua vida. Quem não passe num concurso para magistratura diria também que o judiciário não o deixa ganhar a vida? UAHAHAHAH

INCAPACIDADE TÉCNICA e NECESSIDADE DE ESTUDO

ALVARO CARRASCO - ADVOGADO (Advogado Autônomo - Empresarial)

A incapacidade técnica de alguns que defendem a extinçao do Exame de Ordem é tão flagrante que sustentam, como citado na materia, que a tal avaliaçao - básica, essencial e legítima, diga-se de passagem -, "impede os servidores do Judiciário de terem um segundo meio de vida", revelando, assim, que também nao sabem que é uma atividade INCOMPATÍVEL COM A ADVOCACIA, por força do disposto no ART. 28, II e IV, DA LEI FEDERAL N. 8906/1994. Por favor, e pelo bem de suas famílias, estudem, até para o Exame de Ordem, se for o caso!

O MEC é a qualificação e o mercado pela reputação!

João NNeves Jr (Funcionário público)

O MEC é a qualificação e o mercado pela reputação!
Não é um passar de exame que qualifica profissional e sim o dia-dia no mercado de trabalho.
A OAB usurpa direito de trabalho e também joga no lixo as competências que são do MEC.
A única profissão que, para mim, deveria ter obrigatoriedade de exame, mesmo após formado, é a área médica(medicina, enfermagem) e não é e ninguém reclama dos tais 'profissionais' desqualificados por falta de exame específico.
No mais, vejo espírito de corpo e uma certa birra de quem fez o bendito exame e quer que os demais também o faça.....

Passam aqueles que estudam com amor, caso contrário... falha

huallisson (Professor Universitário)

Para mim, o Senhor ICARO SILVA não passa de um pobre coitado. Se ele fosse fiel ao seu juramento, respeitaria a Constituição Federal. Defender um Exame que agride a Carta Magna, é no mínimo um idiota. Senhor Icaro, por que Vossamicê não defende uma CPI para apurar a não prestação de contas por parte da OAB que, segundo a mídia nacional, afana milhões de reais dos bacharéis? Por que Vossamicê concorda que a OAB, ao arrepio da Lei, institua e cobre taxa de inscrição dos bacharéis? Se Vossamicê não respeitar nem mesmo o seu juramento no dia que recebeu o "canudo", não passa mesmo de um idiota. Quem viola a Constituição, dá um tiro de misericórdia na Pátria Mãe que está no leito da morte. Advocacia, Senhor Icaro, é sobretudo arte.É coisa para quem respeito a Lei Maior e não para medíocre que não consegue enxergar um palmo além do próprio nariz.Desculpe-me, mas só posso ter pena!

O MEC é a qualificação e o mercado pela reputação!

João NNeves Jr (Funcionário público)

O MEC é a qualificação e o mercado pela reputação!
Não é um passar de exame que qualifica profissional e sim o dia-dia no mercado de trabalho.
A OAB usurpa direito de trabalho e também joga no lixo as competências que são do MEC.
A única profissão que, para mim, deveria ter obrigatoriedade de exame, mesmo após formado, é a área médica(medicina, enfermagem) e não é e ninguém reclama dos tais 'profissionais' desqualificados por falta de exame específico.
No mais, vejo espírito de corpo e uma certa birra de quem fez o bendito exame e quer que os demais também o faça.....

O MEC é a qualificação e o mercado pela reputação!

João NNeves Jr (Funcionário público)

O MEC é a qualificação e o mercado pela reputação!
Não é um passar de exame que qualifica profissional e sim o dia-dia no mercado de trabalho.
A OAB usurpa direito de trabalho e também joga no lixo as competências que são do MEC.
A única profissão que, para mim, deveria ter obrigatoriedade de exame, mesmo após formado, é a área médica(medicina, enfermagem) e não é e ninguém reclama dos tais 'profissionais' desqualificados por falta de exame específico.
No mais, vejo espírito de corpo e uma certa birra de quem fez o bendito exame e quer que os demais também o faça.....

OAB DESTROI FAMILIAS

Joel Geraldo Coimbra (Advogado Autônomo)

Ninguém destroi familia de ninguém. Infelizmente a OAB está com seu prestígio a nível zero. Isso porque ela se afastou da sua missão, que é defender o advogado e as prerrogativas da advocacia, para se dedicar à politicagem midiática. O exame da ordem, outrora desnecessário,é imprescindível na atualidade. Mas corre o risco de ser extinto por culpa exclusiva dessa OAB que aí está. Essa OAB não é a advocacia de hoje.

Inconstitucional pq??

Fabricio Intelizano (Investigador)

É duro ver gente que estudou Direito dizer uma besteira dessas.
O que diz a Constituição??
Art. 5º XIII - é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer;
E o que é o estatuto da OAB?? Uma lei ...
Simples gente. A lei federal 8906/94 diz que é obrigatória a aprovação em exame de ordem para para se inscrever como advogado.
Não há nada de inconstitucional nisso, pelo contrário.
Sinceramente, quem dera outros órgãos reguladores de classe tivessem o mesmo cuidado que a OAB tem.
Talvez a qualidade dos profissionais seria muito melhor.
Se mesmo com o exame de ordem agente vê cada barbaridade praticada por alguns advogados, imagina sem ...
Além disso, querer extiguir o exame de ordem é ir na contramão, já que outros conselhos de classe como o de Medicina, p.ex., estudam criar exames como o de ordem para suas respectivas profissões.
O exame de ordem não é um concurso, onde há nº de vagas, ou seja, se vc fizer a sua parte bem feita vc passa e acabou.
Concordo que a OAB está fechando o gargalo e que muitas vezes comete sacanagens com alguns examinados, que as provas são mal elaboradas e tudo mais.
Mas ainda sim o exame é necessário.
Os critérios devem ser revistos sim, mas extingui o exame nunca, jamais.
Só pra completar, eu passei no primeiro exame que fiz (Exame 137/SP), mas isso não quer dizer q sou melhor q ninguém.
Outros amigos meus, bem mais inteligentes pasaram no 2º e alguns no 3º.
Mas o certo é que da minha turma, a grande maioria, 80% pra mais, passou no exame.
Basta fazer na prova o que aprendeu na faculdade (sala de aula) e não no bar ....

Inconstitucional Sim

meretíssima (Estagiário - Criminal)

Dou total apoio ao Ponce de Leão e admiro sua coragem! Acredito fielmente que é inconstitucional, primeiro por ser aplicada pela própria classe e tem todas as características de um concursos. Ora, não estamos concorrendo a nenhuma concurso. Sinto muito quando ele disse que destrói famílias, pq a família tbm sofre com o familiar que está prestando tal exame. Eu mesma sinto, sou de classe C e mal pude me preparar, meu pai sofreu com um câncer raro e não pude dá essa alegria pra ele, sempre fui boa aluna, bem aplicada, mas devido a situações adversar na minha vida, tive q deixar minha vida de lado pra dar prioridade a doença do meu pai. Agora se tivesse me formado em outra porfissão, não poderia me preocupar com isso, pq oq adianta se formar se seu diploma não vale de nada.... é muito sofrimento mesmoo, um desgaste desnecessário e que poderia er evitado. E quanto a formação de profissionais incompetentes, isso a vida, ou melhor, a oab iria punir, pq ngm vai jogar seu dinheiro fora com alguém incompetente, ah gente, temos tantas leis, a ética profissional está aí pra punir e aplicar devidamente cada profissional. Direitos temos, isso é fato, portanto, inconstitucional. Grata

Dificil ou requer preparo?

antoniolacerdadebarros (Advogado Autônomo - Civil)

Se o exame da Ordem fosse tão difícil, eu não teria sido aprovado, aos 40 anos, com filha de pouco mais de 1 ano, trabalhando 10 horas por dia...
Não estudei um único dia para o Exame...fiz com o que já tinha aprendido, tão somente assim...
Destroi famílias? Tenhamos paciência...Talvez seja preciso estudar mais e se dedicar com mais empenho no que é importante para cada um.
Mais estudo, mais dedicação, menos lamúria...

A raposa tomando conta do galinheiro

Fiks (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Imaginem que os táxistas selecionasem quem pode ser taxista, que os moradores de um condomínio escolhessem que pode morar ali, que os donos de bares escolhessem que pode abrir um bar naquele bairro, que os deputados escolhessem quem pode ser candidato. Seria o caos , ou seja, por intereses corporativos e pessoais a prova seria rigorosissíma e não aprovariam quase ninguém é claro. Esta é uma questão de ORDEM PÚBLICA e somente o Estado pode decidir quem pode ou não pode exercer uma profissão. E para isso elegeu-se o MEC. É isso e mais nada. Imaginem se fizessem o mesmo com os médicos. Só haveria médico para a classe média e os ricos como acontece hoje para os advogados. Aos que alegam haver muitos advogados, como se isso fosse um bom argumento - afinal quantos mais profissionais houver melhor será para a população (maior oferta = preços e serviços melhores), passem na porta da Defensoria.

Meritocracia nunca fez mal a nenhuma sociedade

Ramiro. (Advogado Autônomo - Criminal)

Contra um mínimo que seja de meritocracia é algo que não se vê acusado de fazer mal às sociedades. Aqueles que lograram êxito no Exame de Ordem, faço parte do rol dos aprovados em primeira tentativa, por óbvio defendem o Exame como diferencial necessário. A questão que me parece central é retirar a discussão das paixões pessoais, e trazer para a esfera da racionalidade. Quem aprovou no Exame é que conseguiu oferecer uma resposta eficaz à demanda técnica e intelectual a que foi submetido, bem como manteve o equilíbrio emocional diante do desafio. Nada que não faça parte do dia a dia da boa advocacia. Quem não logrou êxito, simplesmente não conseguiu oferecer uma resposta eficaz à demanda a que foi submetido. Crises emocionais, crises de ansiedade, pânico, branco na prova, se a neuropsiquiatria reconhece a existência, não serão os não especialistas que irão dizer que é pura bobagem. A questão parece bem objetiva. Eficácia.
A passionalidade no tratar da questão é perigosa, leva a discussão à esfera onde os que querem o fim do Exame desejam como melhor terreno, aquele em que pode melhor se resolver pela maioria numérica.
Creio que está na hora da OAB assumir que o Exame de Ordem não é para ser fácil, pois é o primeiro mecanismo de avaliação da capacidade de resposta daqueles que querem exercer a advocacia. Daí a ter uma exame com critérios de correção claros, nível de provas previsível, como são as provas de cálculo, física, anatomia, bioquímica, na engenharia e medicina, só que de âmbito nacional, unificado. Quem oferece uma resposta eficaz logra êxito, quem não, tenta de novo. Se a questão, porém, é levada para pessoalidade e passionalidade, os que querem o fim do Exame passam a ter na maioria numérica uma real vantagem.

Falta de Competência

Daniel (Advogado Autônomo)

Perguntas e Respostas:
A esposa pergunta ao marido: ‘Tu não é advogado? Então? Cadê o dinheiro?’. O marido responde: "Querida não tenho competência para ser advogado, então a OAB não me deixa trabalhar. Fiz uma faculdade qualquer, nunca estudei e quero ser esperto para ganhar dinheiro sem capacidade, mas a OAB não deixa. Sei que posso prejudicar muitas famílias com a minha falta de competência, mas não estou nem ai, mas infelizmente a OAB não deixa.
“Nossos filhos estão dizendo: ‘Pai eu quero comer! Pai, por que você não trabalha?’”, afirmou. O pai responde: Meus filhos, por mais que vocês acreditem que o Pai é muito esperto, eu não sou competente para ser advogado. Vou procurar um advogado que estudou e passou no exame para ver se ele pode me ajudar, pois capacidade eu não tenho. O papai não vai trabalhar, vai fazer greve de fome e lançar o movimento SICEO - Sou Incompetente - Cancelem o Exame de Ordem. Em breve estarei rico pois criaremos o auxílio Exame de Ordem para os reprovados.....rs

Circo

Cleyton Alirio da Silveira (Advogado Associado a Escritório)

Isso tudo é uma verdadeira palhaçada!!!
Sou advogado, passei no exame do ano passado (na 1° tentativa e sem cursinho). Dizem que o exame de 2010/02 (ultimo realizado pela CESPE) foi um dos "piores" (senão o pior, haja vista o elevado número de reprovados) de todos os tempos. Logo, deveriamos chamar todos os que passaram de "gênios"? Claro que não. Não sou melhor do que nenhum dos meus colegas que ainda não passou, apenas me dediquei mais.
Minha família é de classe média baixa, meus pais não tem sequer o ensino médio e também não tenho nenhum parente na família com curso superior. Mesmo assim me dediquei alguns meses da minha vida a estudar dia e noite, sábado, domingo, feriado etc(mesmo trabalhando), abdiquei de alguns prazeres da vida por algumas semanas, enfim, estudei, estudei, estudei. Colhi o que plantei, simples assim. O exame não é difícil. Se alguns passam, é possível. Estudem pessoal! Ao invés de querer arrumar o jeitinho brasileiro. O exame é Constitucional e Moral. Em 5 anos e meio de faculdade, comprei apenas dois ou três livros. Se não tem dinheiro, use a biblioteca da faculdade, particular ou pública. Também há material na internet. É só correr atrás. O que não acho justo é o cidadão obter a OAB sem passar pelo mesmo esforço e abdicar das mesmas coisas que eu e tantos outros que passaram na OAB tivemos que abdicar. Isso seria imoral. Na verdade, os poucos que reclamam são os "filhinhos de papai", que passam a faculdade fazendo festinha e depois viram uns "nadas" exitenciais. Todos os meus colegas de classe que passaram, mereceram, os que não passaram, também mereceram. É uma espécie de Justiça técnica o Exame da Ordem, pois o perfil de quem passa e de quem não passa é quase sempre igual.

A OAB não pode ser fragilizada

Ramiro. (Advogado Autônomo - Criminal)

Concluindo o comentário anterior, o Exame de Ordem não é mais uma prova fácil, simples, como pode ter sido no passado. A questão que deve ser posta é o nível de qualificação técnica que se exige de uma prática minimamente adequada da advocacia. O Exame da OAB deve focar nesta demanda real.
Um outro ponto importante, não colocar o Exame como panacéia da advocacia, e mal não faz à OAB divulgar quantos aprovados em Exame de Ordem foram levados aos TEDs e punidos. Principalmente por inépcia. Faria bem a OAB demonstrar que não alivia. A crença entre a população é que uma vez advogado, o sujeito gozaria de uma blindagem para fazer o que bem entendesse e que a OAB seria uma instituição que agiria com mesmo espírito de corpo das corregedorias das carreiras públicas.
Falhas na correção do exame acontecem? Eu fui obrigado a lançar mão do recurso. No meu caso pude fundamentar os pontos que mereciam reparo, e logrei êxito em quase todos. Houve tópicos que refletiram, na área que optei, falhas exatas correspondentes ao curso de formação que tive, e onde não fora antes do exame desafiado a enfrentar essas; o Exame da OAB as demonstrou com clareza. Um curso preparatório como formação suplementar colmaria essas lacunas da formação, sem substituir a formação principal, onde é a oportunidade real de se desenvolver raciocínio jurídico, nos cincos anos do bacharelado.
Preocupa-me ver a OAB fragilizada, muito mais fragilizada do que fora antes em todos os episódios de ataques do Regime Militar. A grosso modo, em talvez grotesca metáfora, a OAB foi eficiente para fazer vez de rochedo contra várias tempestades, mas agora a situação é como de uma infestação de legiões de cupins, se infiltrando nas brechas, que são reais, das falhas pontuais, logo sanáveis, do Exame.

Comentar

Comentários encerrados em 20/05/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.