Consultor Jurídico

Comentários de leitores

6 comentários

Desrespeito a Carta Magna

FRMARTINS (Administrador)

É necessário perguntar:
Os ditos advogados entraram pela janela ou fizeram concurso público? Esta mamata tem que acabar. Porque não fizeram a prova da OAB para ser juiz do referido Tribunal? Será que eles fizeram a citada prova ou entraram naquele tempo que não era preciso fazê-la?
Como diz Bóris Casoy: Isto é uma vergonha!!!!!!

Ácho que OAB não sabe o poder que possui.

Cristhian da Silva Tambosi (Funcionário público)

Dr. Marcos, comungo da sua opinião de que a OAB deveria evitar indicar candidatos com vinculação com o Estado.
Parece-me que a ideia do quinto (ou terço) constitucional seria permitir diferentes visões no tribunal e, para isto, seria melhor que os indicados da Advocacia fossem aqueles com maior atuação privada.
Além da OAB, o Senado também não deve ter noção do poder que tem.
Uma sabatina de 3 horas para 3 candidatos, sendo que alguns senadores limitam-se a elogiar o candidato e outros reclamam da demora (!) da sessão, é um grande desperdício de poder.

"Sabatina"

Medeiros (Advogado Autônomo)

A Constituição Federal não deveria estatuir - e tal regra deverá ser necessariamente expurgada por Emenda Constitucional - que candidatos a nomeação para Ministros de Tribunais (Poder Judiciário) deverão ser "sabatinados" (sic) por membros do Poder Legislativo. Isso é uma excrescência !!!!!!!!!
Entre outras muitas coisas (e bota muitas nisso), ainda se poderá ficar desconfiando que, como os Ministros poderão vir a julgar criminalmente os próprios parlamentares que os "sabatinaram", é de desconfiar, dizia, que os mesmos poderão ficar "com o rabo preso" !!!

MAIS, DOS MESMOS

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

Os escolhidos não fogem à regra e , apesar de quase todos terem , no mínimo, algum "senão" , no 'quesito' moral, ainda assim serão admitidos,mantendo-se a tradição que, para o PT, quando pior, melhor.

Diversificação

Gustavo82 (Advogado Autônomo)

Chegou-se a noticiar que o Executivo alterou os critérios para escolha dos ministros do STJ para priorizar o currículo. Mas o que se nota é que os escolhidos são advogados vinculados ao Governo, da área do direito público. Não há advogados privados, defensores públicos, criminalistas e civilistas. Faltou diversificação, democratizar o tribunal.

Cavando a própria sepultura

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O Superior Tribunal de Justiça ganha assim três novos representantes do Poder Executivo Federal em seus quadros. Curiosamente, muitos advogados que defendem os cidadão contra o arbítrio estatal defenderam também de unhas e dentes o quinto constitucional no confronto entre a OAB e o STJ, da forma como é hoje estruturado, mesmo sendo reiteradamente advertidos das falhas. Sendo certo que os novos Ministros tudo farão para mitigar honorários advocatícios e agravar os problemas da advocacia privada, seguindo suas origens, muitos mais não fizeram do que criar as condições para sua própria destruição. É assim que a advocacia vai se afundando cada dia mais.

Comentar

Comentários encerrados em 18/05/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.