Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Revisão de jurisprudência

Juízes exigem mais uma vaga no TRT da 11ª Região

A Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 11ª Região (Amatra XI) levou Mandado de Segurança ao Supremo Tribunal Federal contra ato do Conselho Nacional de Justiça. A entidade quer que o Supremo revise jurisprudência sobre o arredondamento da conta do número de vagas do quinto constitucional.

A Anamatra questiona decisão do CNJ que determinou ao Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região (Amazonas e Roraima) destinar vaga decorrente de sua ampliação ao quinto constitucional do Ministério Público, e não a integrantes do Judiciário.

Como o TRT-11 tinha, até então, oito desembargadores, sendo duas vagas destinadas ao quinto constitucional — uma para advocacia e outra para o Ministério Público, a ampliação para 14 desembargadores fez com que a divisão do quinto resultasse em 2,8. O regional, então, decidiu considerar que o quociente era três. A Amatra XI pediu que o quociente fosse arredondado para baixo, resultando em duas vagas e destinando a vaga a mais um juiz de carreira.

O entendimento do STF é que, quando a divisão do quinto constitucional resulta em fração, deve-se arredondar o quociente para o número inteiro superior, e não para menos. No entanto, a Amatra XI pede que o STF revise sua jurisprudência. A entidade afirma que o Supremo passou por grande alteração de seus membros nos últimos anos, "não se sabe qual o entendimento de seus atuais membros".

O relator do Mandado de Segurança no STF é o ministro Ricardo Lewandowski, que já solicitou mais informações antes de decidir sobre o pedido de liminar. As informações são da Assessoria de Imprensa do STF.

MS 30.656

Revista Consultor Jurídico, 21 de junho de 2011, 8h21

Comentários de leitores

1 comentário

Matemática

Lucas. (Cartorário)

Querem alterar uma regra matemática simples por meio do judiciário.
É simples, dá até vergonha de explicar isso, mas vamos lá: se o número a ser eliminado for igual ou maior que cinco (o número que o tribunal chegou foi 2,8) acrescenta-se uma unidade ao número situado à esquerda. No caso de ser o número 2,8, elimina-se o 8 e acrescenta-se uma unidade ao dois, isto é: 2, mais uma unidade (1), igual a 3. Simples assim. Caso o número a ser eliminado seja igual ou inferior a cinco, o número à esquerda permanece igual (ex. 2,4. Elimina-se o quatro e permanece o 2). Moleza hein.

Comentários encerrados em 29/06/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.