Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Prisão coletiva

PM informa ao Judiciário a prisão de 439 bombeiros

A juíza Ana Paula Pena Barros, da Auditoria Militar do Estado, recebeu nesta segunda-feira (6/6) a comunicação da prisão em flagrante dos 439 bombeiros que participaram manifestação no quartel central do Corpo de Bombeiros, na última sexta-feira (3/6), pelo reajuste do piso salarial de R$ 900 para R$ 2 mil. O Bope invadiu o quartel e prendeu os manifestantes. A informação é da Agência Brasil.

O subcorregedor da Polícia Militar, coronel Ronaldo Menezes, entregou o pedido de prisão de todos os envolvidos. A juíza já entregou o documento para o Ministério Público, que tem prazo máximo de 20 dias para se pronunciar sobre a legalidade da prisão.

Em seguida, o caso volta à juíza que deverá decidir se revoga ou mantém a prisão dos militares.

A Defensoria Pública do Rio de Janeiro, por sua vez, decidiu que vai ingressar nesta terça-feira (7/6) com pedido de liberdade para os 439 bombeiros que estão detidos desde o último sábado.

O defensor público-geral do estado, Nilson Bruno Filho, disse que já está de posse de cada um dos pedidos assinados pelos bombeiros presos para que a Defensoria Pública os represente. Ele explicou que está apenas aguardando os desdobramentos jurídicos para definir se entrará com os pedidos de relaxamento de prisão ou de liberdade provisória.

Os bombeiros estão divididos em dois grupos: a maior parte deles está dormindo no quartel do bairro de Charitas, em Niterói, e o outro grupo, em número menor, no Grupamento Especial Prisional (GEP) do Corpo de Bombeiros, em São Cristóvão, zona norte da cidade.

Revista Consultor Jurídico, 6 de junho de 2011, 21h51

Comentários de leitores

2 comentários

Polícia Militar informa a prisão de 439 bombeiros ao Judiciá

Tesabojo (Advogado Autônomo - Tributária)

Prezados colegas advogados, Magistrados, Ministério Público e ...
A prisão dos bombeiros pelo Bope, está dando IBOPE.
Se a eficiência em prender quem luta pela segurança pública e ganha pouco, fosse a mesma em prender bandidos e corruptos, este País seria outro.
Este é um país de discursos.
Os três phoderes (interdependentes) munem-se de microfones nas entrevistas. Falam, falam e falam.
Os gabinetes com todas as mordomias, sustentados pelos impostos, não têm interesse e nem vontade política para resolver esses problemas sociais.
A resposta é clara. Por que não fazem greve?
Seu poder é autosuficiente para ditar seus salário e suas mordomias às custas de nosso suor e impostos (inclusive dos bombeiros e demais policiais).
Devem lebrar-se que sua segurança dependem dos policiais que foram presos e todos os outros que são menosprezados.
Como disse Sênca em "A brevidade da vida", Passem bem.
João Bosco - OAB/MG: 36.912

Liberdade para os indisciplinados

Rogério Brodbeck (Advogado Autônomo - Civil)

A defensoria Públoica tem que se conscientizar que seu papel não é o de sair por aí a pedir liberdade para todo e qualquer preso, inidstintamente. No caso dos bombeiros militares do RJ eles foram presoi porque cometeram crime militar de motim - um dos mais graves do ordenamento castrense, entre outros. além da baderna, da destruição do patrimônio púbico, do impedimento da prestação de socorro (não deixaram que carros de bombeiros de serviço saíssem para o socorro)ainda causaram ferimentos em um Oficial da PM. Por isso, cadeia neles!

Comentários encerrados em 14/06/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.