Consultor Jurídico

Comentários de leitores

6 comentários

Usuário e receptador, figuras equivalentes

J.A.Tabajara (Advogado Autônomo)

O combate ao contrabando não poupa o receptador: A sua participação é ESSENCIAL para a continuidade dessa ilicitude. No tráfico de drogas, a analogia é quase perfeita: Sem usuário à disposição, vender a quem? Mas existe ainda uma condição agravante para justificar a inspirada medida judicial: A proteção a um incapaz, se considerarmos que um viciado é vitima de sua própria incapacidade de autodeterminação, além de produzir risco para terceiros! É claro que muitos formalistas de plantão
estarão a postos para declarar que o isolamento dessas vítimas é injusto e ilegal, pois estão condicionados à idéia de que "só se prendem bandidos"!

Drogas um problema de saúde

Sargento Brasil (Policial Militar)

Concordo plenamente, que o dependente de drogas, seja qual for, infelizmente, foi aliciado de alguma maneira à primeira experiencia, à segunda e à terceira, daí para frente já teve consciencia, excravizando-se ao vício. Todavia, é um ''enfermo'' se assim podemos dizer, depedendo de tratamento médico para desentoxicação e tentar voltar a ser um ser humano normal, independente. Agora uma pergunta: Temos clínicas em número suficiente para tal? Pior, aquele que instituiu a CPMF para dar ao povo um atendimento médico de primeiro mundo, não proporcionou sequer tratamento para dependencia das enfermidades oeriginadas pelas drogas lícitas, ou seja fumo e álcool e hoje fala em descriminalização das drogas, só se for para descriminalizar o tráfico, por que o uso não é punível, tendo em vista que o usuário está minando sua própria saúde. O governador do RJ disse em entrevista pública, que iria procurar a presidenta Dilma Rousseff, para que ela agendasse uma reunião (até na ONU) para uma possível liberação das drogas no mundo. Portanto, na minha opinião é que realmente é um problema de saúde e como tal, os governos devem instalar hospitais que tratem da saúde do usuário, evitar e não tentar injetar mais drogas no país e no mundo. Consideram-se derrotados e querem derrotar uma sociedade inteira.

JUDICIARIO CARIOCA MANDA INTERNAR VICIADOS EM DROGAS

Deusarino de Melo (Consultor)

Medida das mais felizes e auspiciosas, esta do judiciário do Rio e que se vê às voltas com este desespero desde que eu era menor, no Pará e que vi crescer, cotidianamente, de longe e "in loco", haja vista que morei lá em dois períodos de quatro anos cada, um na Lapa e outro no Morro dos Prazeres, em Santa Teresa. Ah! Quanta saudade! Rio é Rio!É um prazer que isso tenha início e resulte no melhor dos métodos.

Polícia prendendo usuários?

mat (Outros)

Não há qualquer possiblidade de prisão de usuários no brasil desde de 2006. O uso já é hipocritamente descriminalizado vez que não há previsão de qualquer sanção eficiente. O que preoupa é que muitos repercutem a idéia de que uso de droga é problema de saúde pública sem qualquer fundamento para embasar tal afirmação. o percentual de usuários que se vinculam às drogas por dependencia química é baixissimo (as pesquisas não apontam grandes diferenças entre as drogas). a quase totalidade dos usuários usa entorpecentes com finalidade meramente recreativa e nunca necessitará de qualquer intervenão pois em nada tem afetada sua capacidade volitiva. O pior é que, ainda para os casos de grave vício (francamente minoritário mas obviamente representativo - vide cracolândias), o melhor dos tratamentos conseque recuperar parcela insignificante dos submetidos (em torno de 6%). Não há como sustentar racionalmente um caminho de descriminalização (ainda que hipócrita como o brasileiro atual - houve virtual descriminalização em 2006 e explosão no consumo). citam portugal (e não é verdade que tenha havido queda no consumo), mas as consequências previstas para o usuário são mais severas lá (com submissão obriatória a tratamento e prestação de servios) do que no Brasil, em que as´medidas são rídiculas e/ou inexequives (como advertencia, admoestação e multta)

O problema é outro...

Diego. S. O. (Advogado Autônomo - Civil)

O problema é outro, não existem boas clínicas públicas, o serviço de reabilitação fornecido pelo Poder Público é péssimo!

Corretíssima a medida

Wagner Göpfert (Advogado Autônomo)

Enquanto não se tratar da questão das drogas com a seriedade que ela requer (que não é com a polícia prendendo viciados), veremos nossas crianças e adolescentes perderem-se nas mãos de traficantes poderosos, que os viciam, e transformam em distribuidores a serem presos.
É preciso afastar os preconceitos inúteis e que só prejudicam o debate e tratar cada droga com as características próprias de cada qual e se traçar verdadeiras políticas de combate ao seu consumo, que é questão de saúde pública, não fonte de renda de nocivos programas de televisão.
http://wagnergopfert.blogspot.com/

Comentar

Comentários encerrados em 11/06/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.