Consultor Jurídico

Colunas

Direito de Defesa

Pena exagerada não acaba com o crime organizado

Comentários de leitores

10 comentários

ERRATA

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

"sem serem" sequer 'pegos" .....

COM TODO O RESPEITO

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

Veja que não é bem isso colega, data vênia, pois, não raro, vê-se criminosos que praticam 1 2 ou 10 delitos sem ser sequer pego pela polícia e, ainda assim, já com um poder aquisitivo substancial(obtido ilicitamente é verdade) bem acima de muitos e muitos cidadãos que trabalham por anos a fio, ainda assim continuam a roubar. Ora, se o problema social fosse o principal motivo, a partir da segurança financeira adquirida via dos inúmeros delitos impunes, não haveria mais necessidade de continuar nessa vida, certo ? Porém não é o que ocorre. Quanto a teoria "lombrosiana", creio que não está abolida não. Ao contrário, matadores em série, bandidos contumazes, etc. já tiveram suas índoles estudadas chegando-se a conclusão que muitos deles têm um fator 'genético', imutável,ou seja, seu DNA já assinala que, cedo ou tarde, vão delinquir. Sds.

Dr. Fernando:

Marcelo Augusto Pedromônico (Advogado Associado a Escritório - Empresarial)

Claro que nem todo pobre vira bandido. Creio que não é bem assim e não é isso que se diz.
Mas seu pensamento me faz lembrar a teoria, já abolida, de Cesare Lombroso.
De qualquer forma, respeito seu posicionamento, mas estou convicto que o crime, em geral, é fruto de questões sociais não resolvidas.

DESCULPAS NÃO JUSTIFICAM

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

É claro que o fator social tem relevância na criminalidade, porém não se pode generalizar e dizer que aquele nascido menos favorecido tem o direito ou vai delinquir por necessidade. Conheço centenas de pessoas que começaram a trabalhar com 14 anos (-eu inclusive- no meu tempo podia); filhos de pais pobres, sem perspectivas de ascensão social e nem por isso se tornaram bandidos. A vingar a tese exposta pelo colega abaixo, cerca de 35% da população brasileira seria 'bandido' (vide estatísticas de IDH, principalmente no norte e nordeste). Não é bem por aí. Existe um fator predisponente na miséria que quando encontra pessoas com tendência para o crime, formam o amálgama perfeito para a delinquência. Afora isso, é mera desculpa para justificar o injustificável. Se cada um de nós que não pode ter o que quiser, passar a matar e roubar para compensar a necessidade insatisfeita isso aqui vai virar campó de batalha.

QUEM DIVIDE COMIDA COM OS URUBUS NÃO SABE O QUE É DIGNIDADE

VINÍCIUS (Advogado Autônomo)

Aumentar a pena não resolveu e nem vai resolver o problema da criminalidade. O bandido surge pequeno, órfão de tudo e de todos.Acorda cedo para dividir com os urubus aquilo que se encontra nos lixões.
E como se exigir de uma pessoa desta dignidade para com o próximo se ela não sabe o que é isto?
Assim, enquanto existir desigualdades sociais vai haver crime em abundância.
Como disse Fausto Silva da Globo, "enfia no teu rabo este carro importado aí".
63-9999-7700

DR. MARCELO RI E EU LAMENTO POR ESSE PAÍS

omartini (Outros - Civil)

O problema do aumento da criminalidade no Brasil não são leis, mas respectivo cumprimento.
E não é por falta de leniência que a criminalidade é assustadora.
Já temos as condenações “a cestas básicas” e agora as cautelares pessoais, em que fianças predominantes não passaram do salário mínimo, menos que uma noitada de farra de “bandido pobre”. Já a mais elevada não passou de R$ 300 mil – dinheiro de troco para quem tem um Porsche...
Mais interessante – e cômico – é insurgência contra a Ação Penal 470 e centenas de anos de pena proposta pela acusação.
Primeiro, por ser pena inócua, já que respectivo cumprimento é limitado a 30 anos, sobre os quais há progressão reducional. É pena para “inglês ver” que já não impressiona ninguém.
Segundo, como são diversos crimes com penas somadas, talvez a proposta seja redução de penas: quanto mais crimes, menor a respectiva pena! Uma espécie de premiação a quem se esforça em cometer o crime principal com perfeição...
É a bacia de promoção da impunidade: quanto mais crimes, menor respectiva pena proporcionalmente!
Afinal, o intuito da lei penal e esvaziar cadeias superlotadas.

FILIAL DO CRIME

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

Concordo com o autor da matéria, não pelo seu conteúdo pragmático, mas tão somente pela indiscutível constatação empírica de que essas condenações extensas de nada adiantam. É que, neste país, os criminosos PRESOS coordenam as atividades ilícitas de dentro dos presídios, transformando-os em autênticos 'escritórios' do crime organizado e, com várias vantagens: estão administrando atrás das grades, continuam fazendo o que faziam em liberdade e com total segurança, pois imunes aos perigos das ruas. De lá eles se comunicam via de uma vasta quantidade de celulares e equipamentos eletrônicos com seus comparsas do lado de fora; dão as ordens, determinam execuções; fazem ameaças; intimidam testemunhas,compram carcereiros e outras autoridades,trazendo o crime para 'intra muros',tal qual uma filial(ou seria a própria matriz ?) tudo com a leniência do Estado que faz 'vistas grossas' a essa modalidade 'protegida' em sua atuação.

Lei boa não é lei gravosa.

ajax (Estudante de Direito)

A boa lei não significa maior punição e sim melhores mecanismos.
Essa delírio punitivista que assistimos é demonstração do uso instrumental da lei para manobrar a massa, apenas isso.
Evandro Lins e Silva já dizia que quem quer punir muito, quer, na verdade, fazer o mal. Eros Grau chamava estes de homens que apenas se apresentava como homens de bem.
Acertaram os gigantes, pois devemos ter boas leis que permitam eficiência e não espetáculos para a mídia que não tem base constitucional e democrática.

Dr. Francisco Lobo

Marcelo Augusto Pedromônico (Advogado Associado a Escritório - Empresarial)

Confesso que me fez rir logo cedo. Isso é bom.
Também não tenho a menor dúvida que Fernandinho Beira Mar é um "trombadinha", como o senhor colocou.
Só não concordo quando diz que "quase uma década".
Não vejo o problema do crime organizado como responsabilidade de um governo ou de outro. Sem defender quaisquer deles.
Luck Luciano, famoso mafioso napolitano-estadunidense, com sua influência no governo italiano, facilitou o desembarque das tropas americanas naquele país na 2ª grande guerra, não foi? Além disso, seu comparsa, um judeu do qual não lembrarei o nome, tinha em sua lista de pagamentos alguns senadores e outros homens públicos importantes dos EUA.
Quer dizer, isso não é coisa nova, e, pelo jeito, nunca vai acabar.

LEGISLAR. QUEM?

Francisco Lobo da Costa Ruiz - advocacia criminal (Advogado Autônomo - Criminal)

Diz o articulista:
"O combate ao crime organizado está em pauta. Tanto o Congresso Nacional quanto o Executivo preparam medidas para reformar leis e procedimentos que dizem respeito ao tema, o que parece salutar vez que o marco legal carece de modernização."
Ora, o crime organizado, a quase uma década, está composto por homens que integram os poderes da república. Ou não? O quê vemos diariamente na imprensa? É só escândalos, roubalheira, gatunagem. Os que se dizem honestos, s.m.j., deveriam, ostensivamente, isolar e hostilizar os desonestos. A imprensa também.
Fernandinho Beira Mar, em comparação, é "trombadinha" ...

Comentar

Comentários encerrados em 20/07/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.