Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Grampos ilegais

Jornal britânico imprime última edição no domingo

Por 

A News International anunciou que vai fechar o jornal News of the World. A publicação britânica, que existe já há quase 170 anos, será impressa pela última vez no próximo domingo (10/7). A decisão de acabar com o jornal acontece dias depois de voltarem aos holofotes da mídia mundial acusações de que o tablóide grampeou telefones de políticos, celebridades e familiares das vítimas do ataque terrorista de 2005, em Londres.

O escândalo dos grampos feitos por jornalistas começou em 2006. Esta semana, revelação feita pelo jornal britânico The Guardian gerou revolta no Reino Unido. De acordo com a publicação, um jornalista do News of The World grampeou a caixa postal da menina Milly Dowler, morta em 2002. O jornalista teria descoberto que a caixa postal do celular de Milly estava cheia e resolvido apagar algumas mensagens. A Polícia, que também grampeava o telefone atrás de pistas sobre o paradeiro da garota, concluiu que Milly ainda estava viva. Na verdade, ela já tinha sido morta.

O escândalo também respingou gravemente na Polícia de Londres, a Metropolitan Police Service. Policiais estão sendo acusados de receber dinheiro para colaborar com jornalistas. Nesta quinta-feira (7/7), a comissão independente para reclamações contra a polícia (IPCC na sigla em inglês) anunciou que vai investigar o envolvimento de policiais, a pedido da própria Metropolitan Police Service. De acordo com a lei de prevenção a corrupção britânica, oferecer dinheiro para policias é crime, assim como viola a lei o policial que aceita a oferta.

Ainda nesta quinta, o Conselho da Europa se manifestou sobre o episódio, pedindo que seja aumentado o respeito ao direito à privacidade do cidadão. O secretário-geral do órgão, Thorbjorn Jagland, lembrou que grampo de telefone é crime. "Em tempos de competição na mídia, jornalistas e escritores devem agir responsavelmente, fortalecendo a autorregulamentação da imprensa e respeitando o direito à privacidade”, disse.

Na quarta-feira (6/7), a House of Commons, a Câmara dos Deputados britânica, debateu a possibilidade de abrir inquérito público para apurar as acusações. Os deputados ainda precisam definir os poderes de uma comissão para investigar e quando os trabalhos começariam. O primeiro-ministro britânico, David Cameron, prometeu apoiar a abertura do inqúerito público, mas afirmou que antes é preciso aguardar a conclusão das investigações pela Polícia.

Fim de uma era

Antes de anunciar o fim do News of the World, o magnata James Murdoch, presidente da News International, lamentou em nota os escândalos envolvendo a publicação e afirmou que seriam tomadas medidas para que os fatos "ïnaceitáveis e deploráveis" não se repetissem. Rebekah Brooks, editora do tabloide na época do caso Milly e hoje CEO da News International, também divulgou uma nota se dizendo chocada com as acusações. Ela contou que havia enviado uma carta aos pais de Milly prometendo apurar vigorosamente o ocorrido e colaborar com a Polícia. Também negou que soubesse ou que tivesse compactuado com os grampos. 

O News of the World foi publicado a primeira vez no Reino Unido na década de 1840. É o jornal com maior circulação da Inglaterra — sua tiragem chega a 2,7 milhões de exemplares. O tabloide é famoso por sempre trazer informações exclusivas sobre casos policiais, políticos e sobre infidelidades de celebridades. É um dos títulos da conglomerado News Corp que, na Inglaterra, também publica o The Times. Nos Estados Unidos, o maior jornal do grupo é o The Wall Street Journal.

 é correspondente da revista Consultor Jurídico na Europa.

Revista Consultor Jurídico, 7 de julho de 2011, 15h02

Comentários de leitores

3 comentários

DIREITO de IR e VIR do BACHAREL de DIREITO NA OAB NACIONAL

CCB1949 (Contabilista)

/07/2011 13:43CCB1949 (Contabilista) ESCANDALO dos GRAMPOS. JORNAL É FECHADO
Quando aqui no solo brasileiro, acontecer o fechamento de leis contrárias a DIGNIDADE de JUSTIÇA, e a boca dos malfeitores seja quais elas forem, ter-se-á nossa amada BANDEIRA NACIONAL, tremulando com mais autenticidade e o povo brasileiro, protegido de toda espécie de violência contra o "direito de trabalhar" na profissão que escolheu...
Exemplos:
Publicidades Enganosas...
Direito de Ir e Vir na seara da ORDEM dos ADVOGADOS do BRASIL. Onda que está sob o jugo, agora, DO STF...
HAJA
Mão Forte para dar fim ao que é fora da Lei Constitucional...
JOÃO RIBEIRO PADILHA
Presidente de Honra do Movimento Nacional Bacharel de Direito em São Paulo
OABSP 40385 AASP 8740
NASCE a PERGUNTA:
De onde emana o PODER?
É com fiel respeito
080711 sexta feira às 13h44

ESCANDALO dos GRAMPOS.JORNAL É FECHADO

CCB1949 (Contabilista)

Quando aqui no solo brasileiro,acontecer o fechamento de leis contrárias a DIGNIDADE de JUSTIÇA,e a boca dos malfeitores, sejam quais elas forem,ter-se-á nossa amada BANDEIRA NACIONAL,tremulando com mais autenticidade e o povo brasileiro,protegido de toda espécie de violência contra o "direito de trabalhar" na profissão que escolheu...
Exemplos:
Publicidades Enganosas...
Direito de Ir e Vir na seara da ORDEM dos ADVOGADOS do BRASIL.Onda que está sob o jugo,agora, DO STF...
HAJA
Mão Forte para dar fim ao que é fora da Lei Constitucional...
JOÃO RIBEIRO PADILHA
Presidente de Honra do Movimento Nacional Bachael de Direito em São Paulo
OABSP 40385 AASP 8740
NASCE a PERGUNTA:
De onde emana o PODER?
É com fiel respeito
080711 sexta feira às 13h44

Se a onda pega...

Joao Sergio Leal Pereira (Procurador da República de 2ª. Instância)

Após a triste e lamentável notícia de escândalo envolvendo a mídia britânica, fiquei pensando se a moda viesse a pegar aqui no Brasil, mais especificamente em relação à atuação da Rede globo no episódio envolvendo o empresário Daniel Dantas. Como ficaria a situação do jornalista Cesar Trali, apontado no processo como o repórter que teria participado, juntamente com agentes da Polícia federal, daquela filmagem "preparada"?

Comentários encerrados em 15/07/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.