Consultor Jurídico

Notícias

Prisões em jogo

Nova lei das cautelares entra em vigor nesta segunda

Comentários de leitores

7 comentários

SENSAÇÃO DE IMPUNIDADE? OU CERTEZA DESTA? II

J.Koffler - Cientista Jurídico-Social (Professor)

Onde está a hombridade e personalidade do nosso povo? Até que ponto a 'cegueira social' tem avançado para permitir que o imensurável volume de abusos se perpetue? Onde está nossa educação, que agora 'ensina' a falar errado e ninguém diz nada? Cadê o caráter cívico, patriota, nacionalista que demanda enaltecer nossas riquezas, preservar nossa nação, defendê-la perante o mundo, mostrando que somos não um 'país do eterno futuro', mas do palpável presente inigualável, se fosse respeitado - primeiramente pelos nossos governantes?
*
Aonde queremos chegar com essa passividade social? Que m... de educação estão tendo os nossos filhos e netos, para que hoje se comportem ausentes, descomprometidos com o seu futuro e com o do país que lhes deu esplendoroso berço?
*
Não é essa pífia norma penal que é o 'pomo da discórdia', mas apenas MAIS UMA que vem para enganar, produzida por um Legislativo que mal pensa, muito menos raciocina, mas que, curiosamente, é regiamente pago para tal, com um contingente de 'aspones' que sangram a nação, inigualável no resto do planeta.
*
Discutir o que?! A eterna incompetência travestida de risos idiotizados em programas televisivos de deboche?! Afinal, quem ri da própria desgraça, como nós o fazemos?!
*
Um dia, quiçá, alguém vai 'acordar' e ver que nada fez por si e pelo seu país, e vai pagar amargas consequências, com toda certeza. Não de deprimentes figuras 'divinas', mas de degradantes figuras terrenas que souberam destruir seu próprio habitat. O maior paradoxo de que se tem notícia...
*
Nós, definitivamente, não vivemos; vegetamos!

SENSAÇÃO DE IMPUNIDADE? OU CERTEZA DESTA? II

J.Koffler - Cientista Jurídico-Social (Professor)

Onde está a hombridade e personalidade do nosso povo? Até que ponto a 'cegueira social' tem avançado para permitir que o imensurável volume de abusos se perpetue? Onde está nossa educação, que agora 'ensina' a falar errado e ninguém diz nada? Cadê o caráter cívico, patriota, nacionalista que demanda enaltecer nossas riquezas, preservar nossa nação, defendê-la perante o mundo, mostrando que somos não um 'país do eterno futuro', mas do palpável presente inigualável, se fosse respeitado - primeiramente pelos nossos governantes?
*
Aonde queremos chegar com essa passividade social? Que m... de educação estão tendo os nossos filhos e netos, para que hoje se comportem ausentes, descomprometidos com o seu futuro e com o do país que lhes deu esplendoroso berço?
*
Não é essa pífia norma penal que é o 'pomo da discórdia', mas apenas MAIS UMA que vem para enganar, produzida por um Legislativo que mal pensa, muito menos raciocina, mas que, curiosamente, é regiamente pago para tal, com um contingente de 'aspones' que sangram a nação, inigualável no resto do planeta.
*
Discutir o que?! A eterna incompetência travestida de risos idiotizados em programas televisivos de deboche?! Afinal, quem ri da própria desgraça, como nós o fazemos?!
*
Um dia, quiçá, alguém vai 'acordar' e ver que nada fez por si e pelo seu país, e vai pagar amargas consequências, com toda certeza. Não de deprimentes figuras 'divinas', mas de degradantes figuras terrenas que souberam destruir seu próprio habitat. O maior paradoxo de que se tem notícia...
*
Nós, definitivamente, não vivemos; vegetamos!

SENSAÇÃO DE IMPUNIDADE? OU CERTEZA DESTA? II

J.Koffler - Cientista Jurídico-Social (Professor)

Onde está a hombridade e personalidade do nosso povo? Até que ponto a 'cegueira social' tem avançado para permitir que o imensurável volume de abusos se perpetue? Onde está nossa educação, que agora 'ensina' a falar errado e ninguém diz nada? Cadê o caráter cívico, patriota, nacionalista que demanda enaltecer nossas riquezas, preservar nossa nação, defendê-la perante o mundo, mostrando que somos não um 'país do eterno futuro', mas do palpável presente inigualável, se fosse respeitado - primeiramente pelos nossos governantes?
*
Aonde queremos chegar com essa passividade social? Que m... de educação estão tendo os nossos filhos e netos, para que hoje se comportem ausentes, descomprometidos com o seu futuro e com o do país que lhes deu esplendoroso berço?
*
Não é essa pífia norma penal que é o 'pomo da discórdia', mas apenas MAIS UMA que vem para enganar, produzida por um Legislativo que mal pensa, muito menos raciocina, mas que, curiosamente, é regiamente pago para tal, com um contingente de 'aspones' que sangram a nação, inigualável no resto do planeta.
*
Discutir o que?! A eterna incompetência travestida de risos idiotizados em programas televisivos de deboche?! Afinal, quem ri da própria desgraça, como nós o fazemos?!
*
Um dia, quiçá, alguém vai 'acordar' e ver que nada fez por si e pelo seu país, e vai pagar amargas consequências, com toda certeza. Não de deprimentes figuras 'divinas', mas de degradantes figuras terrenas que souberam destruir seu próprio habitat. O maior paradoxo de que se tem notícia...
*
Nós, definitivamente, não vivemos; vegetamos!

SENSAÇÃO DE IMPUNIDADE? OU CERTEZA DESTA?

J.Koffler - Cientista Jurídico-Social (Professor)

Mais uma medida legislativa sem qualquer fundamento criteriosamente analisado, investigado a fundo; mera medida paliativa (será?) que atende apenas à incompetência estatal e à sua impotência (ou incapacidade ou descaso)para gerir a (in)segurança pública; questão que desafio, historicamente todo e qualquer entendimento racional.
*
Há presos temporários injustamente, tanto quanto há meliantes de carreira igualmente livres (e põe injusto nisso!). Nossa Justiça possui vários pesos e várias medidas, ao sabor de determinantes que nada têm a ver com o 'justo' e o 'injusto', mas sim, com o poder de barganha que o indivíduo possui, em sentido lato. E isto, sim, é INJUSTIÇA! Pior: é HISTÓRICA!
*
Este espaço seria microscopicamente exíguo para dissertar a respeito. A incompetência e capciosidade estatal, lastreadas por uma política espúria, torpe, nociva em sentido abrangente, é tão escancarada que chega a causar nauseas - embora, pela letargia social, não pareça assim. Fosse outro tipo de sociedade e já teriamos o caos instalado nas ruas. Mas o que mantém esse denigrente status quo é, paradoxalmente, a passividade social, a alienação e alheação dos cidadãos, que, embora exauridos em suas parcas riquezas por montanhas de tributos sem qualquer contraprestação proporcional (como seria de dever estatal), silenciam e subvertem-se por valores desprezíveis, efêmeros, inócuos. Belo futuro!
*
Causa espécie observar que, apenas nos últimos 40 anos, nada, absolutamente nada mudou; sequer o discurso politiqueiro dos nossos pretensos representantes (ressalvadas raríssimas exceções, que decaem a cada dia). Por que esta 'nova' norma, então, seria diferente?

Prisão preventiva

Sargento Brasil (Policial Militar)

Minha opinião como policial: Já é tão difícil arrolar testemunhas em locais de fatos delituosos, as quais, com receio de represálias do delinquente limitam-se a dizer: não sei, não ví, não ouví...!!! Agora, ficará mais dífícil ainda. São mais processos arquivados por falta de provas.
Como cidadão, tenho a opinião de que se houver prejuizo à pessoa presa preventivamente por não ser cabível essa medida cautelar, devem responsabilizar quem a deferiu. (matar o boi para extinguir carrapatos...) Mas, tudo isso é a minha modesta opinião, nada mais que isso.

A B S U R D O !

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

Trem da Alegria. Mais de 100.000 presos serão soltos (ou melhor já estão sendo) e colocados nas ruas, dividindo os espaços com a sociedade ordeira, e dando sequência às suas atividades delituosas (que é só o que sabem fazer).
E o povo ? Que se lixe; que não saia mais às ruas; que se esconda, escudado em suas cercas eletrificadas, carros blindados, seguranças, etc. E quem não tem dinheiro suficiente para manter/constituir esse aparato de segurança ? F...... ! Tenho um amigo criminalista que me convidou para um jantar para comemorar. Só ele terá pelo menos 30 clientes em liberdade (que, certamente, pagarão a conta).

Causas do descrédito

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O que causa a sensação de impunidade no Brasil é o binômio prende e solta. Prende-se por motivos banais ou por mera perseguição, inexistindo hipótese legal e constitucional de prisão, com ampla divulgação na mídia, e posteriormente se verifica que tudo não passou de ilegalidade. A Justiça terá credibilidade junto à população quando a prisão for decretada de forma isenta, atendendo-se às particularidades dos fatos, e considerada como legal quando analisada sob todos seus aspectos, de forma racional. Como bem observou o Ministro Gilmar Mendes há alguns anos, a Polícia Federal chegou a realizar operações com a prisão de mais de cem pessoas, que não resultaram ao final em uma única condenação definitiva. Alguém acredita em uma polícia e Judiciário capaz disso?

Comentar

Comentários encerrados em 12/07/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.