Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Venda de HC

Desembargador suspeito é afastado do TJ de Minas

O desembargador Hélcio Valentim de Andrade Filho, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, foi afastado, por 60 dias, de suas funções nesta quinta-feira (30/6). A Operação Jus Postulandi, da Polícia Federal, apontou o juiz como um dos suspeitos de participar do esquema de venda de Habeas Corpus no plantão judiciário. Além dele, foram detidos um advogado, um empresário e outras cinco pessoas. As informações são do portal G1.

A operação ainda não foi concluída e está sendo realizada nas cidades mineiras de Oliveira e Claudio. O desembargador foi conduzido ao Superior Tribunal de Justiça, onde será ouvido até o fim da tarde. Segundo o STJ, o processo relativo ao magistrado corre em segredo de Justiça. O afastamento foi determinado pelo ministro Massami Uyeda.

De acordo com a acusação, baseada em investigações que começaram há cinco meses, as liminares de soltura de presos eram negociadas por até R$ 180 mil cada. A Polícia conta que um advogado protocolava o pedido de soltura em determinado plantão policial, quando estaria trabalhando outra pessoa envolvida na fraude.

De acordo com o defensor do advogado, o cliente assumiu a participação no esquema. A Polícia Federal não divulgou o nome dos suspeitos presos e a participação de cada um no esquema. Dentre os presos estão duas pessoas detidas em Ribeirão Preto (SP). Também há mandados contra traficantes do Mato Grosso que teriam sidos beneficiados pelo esquema, que são considerados foragidos pela Polícia Federal.

Revista Consultor Jurídico, 1 de julho de 2011, 12h25

Comentários de leitores

4 comentários

Desembargdor/negociante.

Azevedo, (Outros)

Senhores,isto é muito mais grave do que pensam vossas senhorias.Imaginem os policiais agora,como ficaram após os dois meses.Quem será o garantidor dessa mazela jurídica?Estudiosos da Lei,como ficará o poder de investigação? Aliás investigar prá que?Pode acontecer represálias aos policiais não pensaram nisso?Será que o Desembargador terá seus vencimentos suspensos?deveria não está trabahando!!! Suspenso(a)está nossas leis e homens de brio na cara, como dizia meu saudoso Papai.Sinto-me envergonhado, senhores, pensem nada aconteceu... o desembargador está de férias forçadas...meu Deus aonde vamos parar, não se enganem todos os policiais mais cedo ou tarde sofreram por este ato.É uma desonestidade tamanha, um desrespeito maior ainda.Que Deus me livre de um caso desses, pois o erro seria ou teria consequências incalculavéis.Cansei, passo ao senhores o que já sabem:"De tanto ver triunfar as nulidades.De tanto ver prosperar a desonra.De tanto ver crescer as injustiças.De tanto verem agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus.O homem chega a desanimar da virtude,a rir-se da HONRA e ter VERGONHA de ser HONESTO" Barbosa,Rui.

Dizem que há muito mais irregularidade no TJMG, mas o CNJ

daniel (Outros - Administrativa)

Dizem que há muito mais irregularidades no TJMG, mas o CNJ vem se omitindo no dever de fazer uma Auditoria lá.

oh minas gerais!!!

mat (Outros)

no ultimo concurso para magistrados 26 parentes entre 90 aprovados, incluindo as duas filhas do presidente entre os dez primeiros. um desembargador é acusado de trocar pensão alimenticia por nomeaçao em comissão. uma juíza é acusada de tentar vender HC para o goleiro Bruno. Agora, um desembargador é afastado por vender HC. Que situação a do Egregio TJMG.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 09/07/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.