Consultor Jurídico

Notícias

Mudança de ares

De Sanctis vai julgar processos previdenciários

Depois de julgar processos que tratam de crimes financeiros, como os das operações Satiagraha e Castelo de Areia, o desembargador Fausto De Sanctis vai analisar causas previdenciárias no Tribuna Regional Federal da 3ª Região, de acordo com reportagem da Folha Online.

De Sanctis tomou posse do cargo no Tribunal Regional Federal da 3ª Região na última sexta-feira (28/1), após promoção feita no fim do ano passado. Nesta segunda-feira (31/1), o presidente da corte, Roberto Haddad, designou o novo desembargador para integrar a 7ª Turma do TRF-3, colegiado responsável por julgar processos previdenciários.

Segundo a Folha, os novos integrantes do tribunal costumam atuar neste tipo de turma para depois migrar para outras áreas, como a criminal, que é a especialidade de De Sanctis.

Revista Consultor Jurídico, 31 de janeiro de 2011, 19h15

Comentários de leitores

6 comentários

a liturgia do cargo

PAULO FRANCIS (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Espero que ele possa chegar rápido naquilo que ele tem de melhor - o direito criminal.
Se náo, adios muchacho

Trecho da notícia tendenciosa

Carlos Eduardo B. Nascimento (Advogado Autônomo)

Diz a matéria: "Segundo a Folha, os novos integrantes do tribunal costumam atuar neste tipo de turma para depois migrar para outras áreas, como a criminal, que é a especialidade de De Sanctis."
Contudo, não é bem assim. A promoção se dá, assim como em qualquer tribunal, por antiguidade e merecimento, alternadamente. A vaga provida pelo Juiz De Sanctis era por antiguidade - e, salvo melhor juízo, era a vaga ocupada pelo Des. Santos Neves.
Pela redação do artigo tem-se a impressão de que as Turmas Previdenciárias (ou seja, 7ª, 8ª, 9ª e 10ª Turmas) são "Turmas-estágio", nas quais o Desembargador recém-empossado "passa um tempo" até ir para uma Turma Criminal, ou Tributária, v.g.
Sendo um notíciário especializado que é, o CONJUR não devia se prestar a veicular esse tipo de informação vazia, tendenciosa e absolutamente inverídica.
Havendo abertura de nova vaga - e preenchidos os requisitos estabelecidos pelo Regimento Interno do TRF3 -, pode o Desembargador mudar de Turma; mas, em hipótese alguma, isso configura que tal ou qual Turma é 'inicial' em relação às outras. Além de desprestigiar a atuação daquelas Turmas (previdenciárias) em relação às demais, transmite a sensação de uma justiça de menor importância, como se o D. Previdenciário fosse lateral aos demais ramos.
Não tenho o hábito de ler as matérias aqui veiculadas; mas esta, sozinha, já me faz perder por completo o interesse nas demais.

Para bom entendedor...

Robespierre (Outros)


A toga não pode traduzir-se em pessoas de sangue frio, distantes, que repetem sistematicamente doutrina e jurisprudência os quais não expressam a coisa enunciada em casos concretos.
A toga não pode satisfazer-se com indivíduos que tudo fazem para adequar-se a uma sofisticada tese ou a alguma outra facilmente defensável.
O encastelamento ou egocentrismo pode significar o rompimento da continuidade de um passado, de um trabalho de várias gerações, talvez, com um esforço de representação, equivaleria a mal plagiar o solitário orangotango.

Dr. De Sanctis

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 08/02/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.