Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Defesa do belo

Nu artístico não caracteriza obscenidade

A Editora Abril foi processada por uma moradora da comunidade Tavares Bastos, no Catete, que ficou constrangida com o ensaio fotográfico de Andressa Soares, a Mulher Melancia, para a revista Playboy feito no local em 2008. Segundo Andréa Queiroz, autora da ação, ela teve que ficar durante todo o dia dentro de casa, de janelas trancadas, já que as fotos foram feitas na laje em frente à sua residência.

Para os desembargadores da 18ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio, que mantiveram a sentença de primeiro grau, é descabido o pedido de indenização por danos morais nesse caso. Segundo a relatora do processo, desembargadora Helena Cândida Lisboa Gaede, para a caracterização do dano é necessário que tenha ocorrido o efetivo ato atentatório contra a dignidade da parte, o que não ocorreu com a realização de uma sessão de fotos de uma modelo nua em local privado.

"Outrossim, ainda que a recorrente tenha presenciado involuntariamente algumas cenas de nudez, devido à proximidade entre as residências, não se pode considerar obscenidade a expressão artística da nudez, sendo descabido, portanto, o pedido de indenização por danos morais", destacou a desembargadora. Com informações da Assessoria de Imprensa do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

0093420-76.2008.8.19.0001

Revista Consultor Jurídico, 27 de janeiro de 2011, 13h17

Comentários de leitores

1 comentário

MELANCIA PARA MATAR A SEDE DE UM ESTÁDIO !

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

E a nudez, na forma como sempre é apresentada na revista em destaque, como se sabe, é 'NU ARTÍSTICO PURO', desprovido, totalmente, de qualquer insinuação ou malícia. Não que eu seja contra, muito pelo contrário, adoro melancia,embora as mais doces normalmente sejam de tamanho menor.

Comentários encerrados em 04/02/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.