Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Caso Battisti

Ministro italiano reforça pedido de extradição

O ministro da Justiça da Itália, Angelino Alfano, disse mais uma vez que o governo italiano espera que o Brasil reveja sua decisão e opte pela extradição do ex-ativista político Cesare Battisti, de 52 anos. A expectativa foi defendida durante reunião do conselho de ministros. O caso Battisti deve ser analisado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em fevereiro. As informações são da Agência Brasil.

Em comunicado publicado no site do Ministério da Justiça da Itália, Alfano disse que “é precisamente para proteger o direito fundamental que a Itália está lutando pela extradição de Battisti com base em tratado bilateral com o Brasil e os princípios do direito internacional”.

A reiteração do pedido vem depois de o Parlamento Europeu ter aprovado a moção italiana que apela para que o Brasil mude sua decisão, na quinta-feira (20/1). A decisão tem o peso de uma recomendação do governo italiano.

O comunicado oficial será encaminhado à presidente Dilma Rousseff e aos presidentes do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e da Câmara, Marco Maia (PT-RS), além do presidente da Comissão Parlamentar do Mercosul, senador Sérgio Zambiasi (PTB-RS).

Na última semana Dilma recebeu uma carta do presidente da Itália, Giorgio Napolitano, sobre o caso Battisti. Nela, o italiano também reitera o pedido de extradição do ex-ativista. A carta foi enviada antes da decisão do Parlamento Europeu e do Senado da Itália.

O caso Battisti gerou polêmica e reações na Itália, que considera o ex-ativista um criminoso comum. Ele é acusado de envolvimento em quatro assassinatos e foi condenado à revelia à pena de prisão perpétua, mas nega todos os crimes. É ex-integrante do grupo Proletários Armados pelo Comunismo (PAC). No último dia 31, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu manter Battisti no Brasil com base nas argumentações da Advocacia-Geral da União.

Há pouco mais de três anos, Battisti está preso preventivamente no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília. Ele fugiu da Itália rumo à França e, em 2004, chegou ao Rio de Janeiro.

Revista Consultor Jurídico, 24 de janeiro de 2011, 11h20

Comentários de leitores

9 comentários

"Nei secoli fedele"! avanti carabinieri!!!!

Sergio Battilani (Advogado Autônomo)

O bbbrasil (leia-se: PTismo/comunismo de plantão) CLARAMENTE descumpriu o tratado.
.
O STF teria a chance de arrumar as coisas, não fosse sua majoritária composição stalinista/trotskistas/marxista/lulista (e mais um está por ser nomeado nos próximos dias).
.
TIREM ESSE ASSASSINO DAQUI!!!
"Nei secoli fedele"! avanti carabinieri!!!!
Brasil, um país de todos... os canalhas

Coitado

Richard Smith (Consultor)

Quem acompanha os meus comentários aqui neste democrático espaço sabe que eu aplico ao "fessô" PeTralha etc. um longo galardão de qualificativos que foram todos por ele arduamente conquistados ao longo do tempo.
Dois deles, logo do começo, são o de "fujão" e "borra-cuecas", justamente pela sua capacidade de "sumir do mapa" quando enfrentado e confrontado com as suas próprias contradições e absurdidades!
Não deu outra: depois de bradar algumas incoerências bem absurdas e ser confrontado, o tipo simplesmente "deu no pé" e nem mandou a sua outra "persona" (de vários personagens, dando a impressão de serem vários a terem as mesmas opiniões rídiculas, queo tornaram um tipo folclórico e e de todos conhecido neste espaço, coitado!) o "Robespierre" tentar defendê-lo. Patético!

E tarefeiro-partidário pensa?!

Richard Smith (Consultor)

Ah, caro Dr. Pintar, o que é isso?!
Desde quando o inefável "fessô" pensa?!
Ele entra no site do diretório e faz um download todo dia pela manhã do que ele deve "pensar". O tipo seria hilário não fosse absolutamente trágico. Tenho muita pena dos seus alunos, se os houver, é claro!
Um abraço.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 01/02/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.