Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Casos da Justiça

CNJ atinge marca de 25 mil processos desde 2005

O Conselho Nacional de Justiça julgou mais de 85% dos processos que tramitaram no órgão desde sua instalação, em 2005. Dos 25 mil processos registrados no sistema eletrônico e-CNJ, apenas 3.574 continuam em tramitação, o que corresponde a aproximadamente 14%. “O Conselho tem dado resposta rápida às demandas, como prova o pequeno número de processos em tramitação”, comenta o conselheiro José Adonis.

No ano passado, por exemplo, foram autuados 8.293 novos processos e julgados 11.700. “A média de processos em andamento que se referem a casos concretos é muito pequena”, explica.  Os processos disciplinares têm maior tempo de tramitação. Isso porque exigem apuração de fatos, produção de provas e tomada de depoimentos, segundo ele. De acordo com o conselheiro, os processos que demoram um pouco mais são os que tramitam nas comissões permanentes, que exigem estudos sobre a gestão do Judiciário. 

Para Adonis, os números demonstram que o CNJ vem cumprindo seu papel, com ações no campo disciplinar e na área de gestão. Ele ressalta, ainda, que grande parte dos casos analisados pelo CNJ refere-se à criação de parâmetros para o aperfeiçoamento dos órgãos judiciais. E considera baixo o número de processos disciplinares em comparação com a quantidade de magistrados. 

A grande parte dos processos, entretanto, tramita apenas na Corregedoria Nacional de Justiça, responsável por 8,3 mil dos 11,7 mil processos julgados em 2010. De acordo com Giscard Stephanou Silva, chefe do núcleo de gestão de sistemas do CNJ, dos 25 mil processos registrados, 16,5 mil eram da Corregedoria. Com informações da Agência CNJ de Notícias.

Revista Consultor Jurídico, 17 de janeiro de 2011, 17h31

Comentários de leitores

4 comentários

sabe-se os numeros mas não se sabe o conteudo das decisões

sandramaa (Advogado Associado a Escritório - Família)

Se for como a OAB quando se denuncia advogados ao conselho de éticá... é pura balela..Não são os numeros que interessam, mas o conteúdo das decisões. Orientou-se, corrigiu-se, puniu-se??? "seinão"!!

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA

Jose Antonio Dias (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Logo, logo, deverá ser criado o CFJ - Conselho Federal de Justiça, para agilizar as soluções dos processos que se encontram parados no CNJ _ Conselho Nacional de Justiça. Eta republiqueta...

tudo é possível.

Republicano (Professor)

Sabe o que vai acontecer? Contrata-se mais assessores para que, de fato, julguem os juízes. Pode? Mas por aqui que tem até secretaria de reforma do Judiciário no Executivo, tudo é possível.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 25/01/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.