Consultor Jurídico

Notícias

Juiz de carreira

AMB faz apelo à presidente Dilma Rousseff

Comentários de leitores

15 comentários

QUALQUER MEMBRO DO MINISTÉRIO PÚBLICO, DA ADVOCACIA ETC.

Enos Nogueira (Advogado Autônomo - Civil)

Qualquer membro do Ministério Público, da Advocacia (publica e privada), da Magistratura etc. com notável saber jurídico e MORAL ILIBADA pode ser membro do STF, desde que o critério de escolha não seja o do apadrinhamento político (espero que seja este o buscado pela a AMB). Não pode uma classe se achar a única detentora de notável saber jurídico e de moral ilibada, pois não é isso que vemos na prática...

QUALQUER MEMBRO DO MINISTÉRIO PÚBLIC, DA ADVOCACIA ETC.

Enos Nogueira (Advogado Autônomo - Civil)

Qualquer membro do Ministério Público, da Advocacia (publica e privada), da Magistratura etc. com notável saber jurídico e MORAL ILIBADA pode ser membro do STF, desde que o critério de escolha não seja o do apadrinhamento político (espero que seja este o buscado pela a AMB). Não pode uma classe achar-se a única detentora de notável saber jurídico e de moral ilibada, pois não é isso que vemos na prática...

Será que já foi apresentado?

Flávio (Funcionário público)

Acho que antes de postular a indicação de um dos membros de sua categoria, o presidente da AMB deveria olhar para a composição atual do STF e ver que tem dois ex-desembargadores do TJ-SP compondo o pretório excelso.

Questão preocupante

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Creio que o colega VITAE-SPECTRUM esgotou com maestria o assunto. Entretanto, há um aspecto que ainda me inquieta, considerando a forte mobilização que a magistratura tem feito visando obter uma vaga no STF. Ora, sabemos que o Poder Executivo Federal é mestre em barganhas políticas, sendo que quase tudo pode ser obtido desde que se tenha algo a oferecer em troca. Já os juízes congregam em suas mãos o poder jurisdicional, decidindo inclusive questões importantes que interessam ao próprio Governo. Será que o Presidente da AMB, e outros que já se dirigiram a Dilma sobre o tema, ofereceram tão somente os argumentos infantis que a reportagem mostra? Não tenho fatos concretos para dizer que sim ou que não, mas dada a postura insinuante da magistratura, que beira ao ridículo, creio que há motivo concreto de preocupação.

As loucas estão soltas

Armando do Prado (Professor)

Passei uns dias sem olhar o Conjur, mas vejo que não perdi nada, pois as loucas da gaiola dos perdores continuam procurando chifre em cabeça de cavalo. O ministro virá conforme determina a CF. Aquela que os golpistas serristas não respeitam.

Constituição nos fascistas e golpistas!

Armando do Prado (Professor)

A presidenta indicará quem e quando lhe for mais salutar, independente de pressões de grupelhos oportunistas, como comanda a CF.

Dr. Robson

JA Advogado (Advogado Autônomo)

Obrigado Dr. Robson pela informação. Eu realmente imaginava que o juiz Lalau era de carreira. Mas o argumento persiste: os desembargadores do TJ-MT que organizaram uma "financeira" interna no TJ para socorrer os mais necessitados (entre eles, claro), eram, por exemplo, todos juízes de carreira. Seria cansativo relacionar todos os outros casos semelhantes.

O BARCO ADERNA POR QUÊ?!

VITAE-SPECTRUM (Funcionário público)

Bem! Como um cedido ao STF como "Técnico Judiciário", atuante na Seção de Limpeza e Conservação, pode simplesmente apontar as indicações de Lula como responsáveis por deixar a Suprema Corte como um "barco à deriva"?! Qual deles seria o timoneiro?! Joaquim Barbosa Gomes, Enrique Ricardo Lewandowski, Antonio Cézar Peluso, Carmen Lúcia Antunes Rocha, José Antonio Dias Tóffoli?! Todos eles ou apenas alguns?! Em que aspectos o barco está adernando?

É dando que se recebe.

JPLima (Outro)

Acho que a Dilma deveria indicar o próprio Lulla. A diferença é que ele não pediria "vista", nunca sabe de nada mesmo.
A realidade é que as indicações do Lulla deixaram o STF igual a um barco à deriva. A B ou C, não vai alterar muito coisa, não.

JA Advogado (Advogado Autônomo)

Robson Candelorio (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Apenas a título de informação, informo que o chamado "Juiz Lalau" não era juiz de carreira, pois foi indicado pelo quinto constitucional.

Corporativismo infantil

JA Advogado (Advogado Autônomo)

Qual é o objetivo dessa pressão da AMB senão um corporativismo fora de moda ? Alguns dos mais brilhantes juízes do STF não eram juízes de carreira (Bilac Pinto, Aliomar Baleeiro, o próprio Sepúlveda Pertence, oriundo do MPF, além de dezenas de outros. Por outro lado, de carreira é, por exemplo, o juiz Lalau - e também dezenas de outros de conduta similar. Claro que temos excelentes e também brilhantes juízes de carreira, mas isso não é regra. A AMB poderia se dedicar a temas mais nobres do que esse.

DE NOVO A MELOPÉIA!!!

VITAE-SPECTRUM (Funcionário público)

Lamento ver tantos apelos da AMB ao Poder Executivo para encaixar um "juiz de carreira" no STF, mediante argumentos sofríveis, emotivos e escancaradamente corporativos. PRIMEIRO: o concurso da magistratura não mede o "notório saber jurídico" do candidato, sendo, muitas vezes, influenciados por parâmetros internos, por critérios de ressonância política e por motivações as mais diversas, sem contabilizar a manualização jurídica do País. SEGUNDO: desde quando o "amor pela justiça" constitui a causa patente de ingresso na magistratura, a ponto de virar obstinação?! Não raro, muita gente visa tão somente ao "status", à segurança sócio-política e aos subsídios do cargo. Só e só. Vocação passa bem ao largo, quando ela existe. TERCEIRO: vitaliciamento não prova "notório saber jurídico", sobretudo diante de corregedorias engavetadoras, como a que se viu recentemente obrigada a reabrir uma representação de assédio moral contra um juiz de TRF. Em estágio probatório, a corregedoria fez "vistas grossas" e ainda resistiu à ordem do CNJ, o qual necessitou abrir "ex officio" novo apuratório. QUARTO: não pode o nobre presidente da AMB insinuar a falsa tese de que todos os 15 MIL juízes são portadores de notório saber jurídico. Não basta possuir conhecimento do direito ou de manuais de direito ou de algumas normas legais ou alguns textos normativos. Impõe-se, além disso, possuir "saber jurídico" digno de nota, de apreciação pública e de apreço social. Talvez alguns juízes estejam realmente aptos a ser candidatos, porém isto não pode ser infligido à Presidente "goela abaixo" só porque a corporação assim intenta. A Mandatária-Mor não está constitucionalmente obrigada a indicar senão um portador de notório saber jurídico, a ser então sabatonado pelo SF.

De novo isso...

Carlos André Studart Pereira (Procurador Federal)

Entendo a pretensão da magistratura, mas isso está ficando chato...

Ridículo

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Chega a ser risível as alegações do Presidente da AMB.

Bobagem da AMB

Lima (Advogado Autônomo - Tributária)

Sou favorável à indicação de um dos filhos do Lula para a vaga de Ministro do STF!

Comentar

Comentários encerrados em 15/01/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.