Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Noite de Réveillon

Filho de desembargador é flagrado alcoolizado

Na noite de Réveillon, foram autuados em flagrante o assessor de imprensa da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, Edson Rufino de Oliveira Martins Neto, e o vereador de Bonito Pedro Pereira Duarte (PSDB). Os dois foram flagrados pela Polícia Militar dirigindo sob efeito do álcool, de acordo com informações do jornal Edição de Notícias.

Rufino é filho de Elpídio Helvécio Chaves Martins, desembargador do Tribunal de Justiça sul-mato-grossense. O rapaz de 27 anos foi abordado por volta das 20 horas, quando tentava entrar em seu automóvel, um VW Gol. Ele apresentava sinais de embriaguez e foi conduzido pelos policiais para fazer o teste do bafômetro. O equipamento apontou que Rufino tinha 1,12 miligrama de álcool por litro de sangue, índice acima do permitido por lei. A infração está prevista no artigo 306 do Código Brasileiro de Trânsito.

Desde abril de 2009, Rufino exerce o cargo de assessor de imprensa na Assembleia Legislativa. De acordo com o plano de cargos da Casa, a gratificação mensal do cargo comissionado é de R$ 18.536,98.

Já o vereador Pereira Duarte conduzia uma caminhonete F-100 pela avenida Pilad Rebuá quando fez uma conversão para a rua Ari Silva Machado, ambas no centro do município. No teste de alcoolemia, o vereador marcou 0,89 mg/l.

Revista Consultor Jurídico, 4 de janeiro de 2011, 17h36

Comentários de leitores

8 comentários

quem é o articulista?

glauco (Advogado Autônomo - Criminal)

Os responsáveis pelo CONJUR encontram alguma dificuldade em pesquisar bons conteúdos jurídicos?
Simplesmente horripilante a leitura desse artigo.
Tudo para uma ação indenizatória...

Tablóide

Luiz Ismael (Estudante de Direito - Civil)

A Conjur, há algum tempo, tem se tornado um tablóide de fofocas tão desnecessárias e impertinentes. Já podem fazer uma coluna em programas de tevê que são especializados no gênero... oh, yeah, man!

Porque Conjur?

Ricardo T. (Outros)

Fico triste, porque, ao que parece, a notícia tem o nítido propósito de ofender a honra de determinada pessoa e sua família, tudo de forma gratuita e sem conteúdo informativo. Alex Ricardo dos Santos Tavares - juiz 1a Vara Cível da Comarca de Barretos

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 12/01/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.