Consultor Jurídico

Comentários de leitores

4 comentários

Lucida quem servidora?

Gilberto Serodio Silva (Bacharel - Civil)

Se há fundamento a juiza que mande proteger com o manto do segredo de justiça. Estagiário cooptado por quadrilha de estelionatários? Uau! Veja que todas essas suspostas ameaças solertes aos autos de processo cível irão aumentar exponencialmente com o advento do processo judicial eletrônico sem projeto de Tribunal de Justiça Digital. Lhe diria que os autos no papel estarão mais seguros do que nos documentos eletrônicos e como perguntei antes: onde no CPC estabelece de que forma se restaura autos eletrônicos, da boot ou reboot no processo que forma o tal de actio trium personarum. Vale lembrar que TI é igual advocacia, atividade meio, não da para S. Excelências sairem por aí anunciando o processo virtual no Tribunal analógico na velocidade da luz que não vão entregrar a prestação jurisdicional digital. Tenho dito e aceito aposta quanto a paralisação total do judiciário, se é que cinco anos para deduzir uma pretenção de 20 salários mínios no juízo especial com fulcro no CDC é prazo razoável do processo determinado no diploma constitucional. Viva o Novo CPC. pelo fechamento da "software-house" no CNJ pondo fim ao favorecimento do cartel de vendas de hardware e software sem projeto único de TJ Digital para julgar processos em documentos eletrônicos com ferramentas de produtividade para formação e gestão de conhecimento jurídicos pelos magistrados, formando a Cloud Computing do Judiciário Brasileio. Ah sim, a propósito, que tal estabelecer formato padrão para o documento eletrônico jurídico em XML e incluir em algum código competetente, obrigação de todas as entidades de direito público e privado armazenarem indexada e classificadamente todo e qualquer documento eletrônico que produzam, seja texto ou imagem,talvez audio?

Juíza corretíssima

Lúcida (Servidor)

O entendimento da juíza está correto. Dentro dos autos há número de CPF, contracheques, extratos bancários, certidões de imóveis. Quem aqui gostaria de ter seu CPF ou extratos bancários nas mãos de qualquer um? A maioria dos advogados é correta, mas sempre há um ou outro que age de má-fé. Ou algum estagiário cooptado por alguma quadrilha de estelionatários. É simples, só demonstrar interesse. E inclusive isso protege o trabalho intelectual dos bons advogados, haja vista que gastam às vezes dias para elaborar uma peça inicial, que logo depois é copiada por outrem.

OAB-RJ corretísssima

Gilberto Serodio Silva (Bacharel - Civil)

Na defesa das prerrogativas dos advogados e no caso dos possíveis clientes. Antes de contratar é mandatório ter acesso aos autos nos casos de ações em curso. or outro processo judicial em documentos eletrônicos aumentou exponencialmente a vulnerabilidade. Responsa onde estão as regras no CPC para restauração de autos eletrônicos, facilmente ´manipuláveis pois os servidores (computadores) dos Tribunais estão precariamente protegidos. Se o Pentagono não consegue ter 100% de segurança de sesus arquivos me digam porque os Tribunais Brasileiros fariam mais e melhor, em meio da desordenado informatização dos autos mas não dos Tribunais, não da cognição com ferramentas de gestão e formãção do conhecimento juridico e produtividade. Colocar autos em documentos eletrônicos para serem julgados em Tribunais analógicos segundo código de ritos, normas e regimentos feitos para tramitar papel não resulta em nenhuma produtividade ou celeridade, só confusão, vulnerabilidade e falta de qualidade de serviços juridicos. Alguém poderia me explicar qual a mágica de um ministro do STJ julgar 10.000 processos em ano jurídico que não é de 365 dias? Se considerarmos 180 dias, temos uma média de 54 processos dias. Qual a mágica? Negação do juiz natural com cognição e julgamento feitos por técnicos como ocorre no tal NUPRE - Núcleo de Agravos da presidência.
Essa informatização de processos com o CNJ atuando como software medíocre é o próprio auto engano conforme definiu Gianetti no livro de mesmo nome.
A pseudo celeridade é em detrimento da qualidade de serviços judiciários, o tal de devido processo legal constitucional. s processos crescem em ordem geométrica e os recursos para julga-los em ordem aritmética quando crescem. Qual a solução?

lamentável

alvarojr (Advogado Autônomo - Consumidor)

É lamentável esse embaraço criado pelo Poder Judiciário para que advogados tenham acesso aos autos meio eletrônico. A virtualização dos autos, diga-se de passagem, veio justamente para reduzir o tempo de tramitação dos feitos com a extinção de expedientes como juntada de petições, pedidos de carga, entre outros, sendo manifestamente infundado o argumento de que antes da virtualização o advogado tinha de ir à secretaria para ter vista dos autos. As regras do TRF-2 de do TJRJ pretendem fazer do sigilo a regra e da publicidade a exceção. Se querem prevenir o mau uso de dados pessoais das partes que mantenham registro dos acessos aos autos para posterior apuração de responsabilidades. Felizmente aqui em Belo Horizonte ainda não temos que lidar com tais restrições para ter acesso aos autos virtuais em trâmite nos Juizados Especiais. E tomara que nunca tenhamos.

Comentar

Comentários encerrados em 22/02/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.