Consultor Jurídico

Notícias

Cidadania fiscal

Dinheiro ilegal no exterior pode receber anistia

Comentários de leitores

6 comentários

TENTA-SE DAR LEGALIDADE A ILEGALIDADE

Mauro Branco (Estudante de Direito - Civil)

Depois de 8 anos da farra do boi, de amigos e companheiros, e tanta corrupção estampada em jornais, nada como um projeto de lei para dar legalidade a ilegalidade, principalmente, de propinas e dinheiros desviados dos cofres públicos. Um projeto feito para políticos e asseclas esquentarem o dinheirinho ganho por debaixo do pano e depois aparecem aqueles preocupados com o crime organizado. Só não enxerga quem não quer enxergar.
Ora, se políticos estivessem preocupados com criminosos, não tinha tanta violência, tanta morte, tanto assalto.

Sempre a anistia!!!

Zerlottini (Outros)

Neste país, o honesto é sempre um trouxa! Os desonestos, os sonegadores, os LADRÕES do dinheiro público SEMPRE acabam ganhando uma anistia. É como dizia um amigo meu, que trabalhava na Associação Comercial de Minas Gerais: "Quem paga conta em dia é só pobre. Rico só paga em cartório!" Agora, nem isso. Quando é que vão anistiar o Beira Mar, o Elias Maluco e outro "que tais"? Só falta isso. O Código penakl poderia ter apenas 1 artigo:
"Art. I: Acabaram-se os crimes. Revogam-se todas as disposições em contrário". Aí, ficava completa a palhaçada desta pátria amada, abandonada, salve, salve...
Francisco Alexandre Zerlottini. BH/MG.

MELHOR O ÚTIL QUE O AGRADÁVEL

B M (Advogado Autônomo - Civil)

Melhor que estes valores venham para o Brasil, mesmo que seja sem IR, pois aqui, poderá circular gerando empregos e atividades econômicas, além de, gerar impostos, enquanto lá, somente beneficiam outros países, ou ainda, enviam pra cá como aplicações financeiras que geram lucros para novamente se enviar para o exterior. O que adianta deixar no exterior somente com a intenção de um dia, quem sabe, descobrir que fulano tem certo valor em outro país e poder processá-lo por muitos anos, não conseguir a repatriação dos valores e, ao final, não se conseguir nenhuma condenação. Vamos deixar de hipocrisia. Melhor o útil que o agradável.

INTERESSE RESTRITO

omartini (Outros - Civil)

É ingenuidade pensar que dinheiro enviado ao exterior já não retorne através de “laranjas estrangeiros” para aplicação a juros mais elevados do mundo, além de gozar taxação benéfica para aplicações “estrangeiras”...
A intenção do PL é notoriamente favorecer a corrupção política que gera bilionários no exterior, mas impedidos de ostentar aqui (muita) riqueza de origem ilegal. São os bilionários no exterior obrigados a viver modestamente em seu país – se esbaldam no turismo internacional.
A abrangência de beneficiados pelo PL seria pequena já que fortunas declaradas são até triplicadas em curtos períodos, sem maiores consequências legais ou tributárias. A imprensa é pródiga em exemplos.

Prêmio ao infrator

Alexandre.amg (Advogado Autônomo - Criminal)

O Dr. Bruno Titz coloca a situação de forma muito correta. É um equívoco premiar quem desrespeitou a lei. Isto porque, não é possível identificar o dinheiro repatriado. É lógico que haverá pessoas que cometeram graves crimes, como tráfico e corrupção, remetendo para o Brasil o dinheiro.

10% é pouco

Leitor1 (Outros)

Acaso algum indivíduo, mantendo conta corrente em solo brasileiro, não consiga explicar a movimentação ao fisco, é tributado geralmente sob alíquota de 27,5%, a título de acréscimo patrimonial a descoberto. Para o senador, porém, acaso o dinheiro tenha sido mantido no exterior, além da exoneração de eventual crime tributário e, preenchidos requisitos de lei, crime de evasão, bastará o pagamento de valores sob alíquota de 10%. É antiisonômico e pouco razoável.

Comentar

Comentários encerrados em 14/02/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.