Consultor Jurídico

Comentários de leitores

4 comentários

LOCAL DO PROBLEMA

Dominique Sander (Advogado Sócio de Escritório)

Não tenho dúvidas de que o problema está mais na criatividade esquizofrênica do judiciário trabalhista do que propriamente no texto legal.
Reina a insegurança e a decepção de não se poder prever a interpretação final que será dada ao novo disposivo.
O texto parece teleologicamente muito claro: Quer apenas modernizar o texto consolidado para regular as novas espécies de trabalho a distância( teletrabalho ). Não quis o legislador mitigar, nem em parte mínima, o art. 62, CLT.
Pergunto: Será que o celular serve como mecanismo de "controle" de jornada?
A súmula 428 do TST diz que NÃO mas a resposta a essa pergunta foi entregue às centenas de juízes trabalhistas brasileiros e certamente haverão respostas para todo gosto.
A consequência disso é que o empresário fica refém e não sabe o que aplicar. E o trabalhador certamente sofrerá porque as despesas decorrentes da insegurança ora noticiadas reduzirão as oportunidades de benefícios que as empresas poderiam conceder aos empregados.

É válida a alteração

Sargento Brasil (Policial Militar)

Vi servir pelo menos para disciplinar essa situação. Ficar à disposição do epregador 24 horas por dia, tem de haver algo regulamentador. Têm alguns médicos que se condiciona a esse expediente.

Achei acertada a mudança

Charles Luz (Outros)

Afinal uma ordem que é dada por e-mail ou sms vai ter que ser cumprida da mesma forma que aquela dada verbalmente.
Não podemos admitir que o empregador use o subterfúgio de exercer seus poderes sobre o empregado pelos meios tecnológicos durante o período de descanso deste e assim se furte a pagar as horas extras.

O sinal dos tempos......

Marco 65 (Industrial)

É bem verdade que diante das últimas decisões do Judiciário, o nosso País está boquiaberto quanto as aberrações amparadas por lei que são fabricadas não se sabe a que título, mas....
Esta decisão, na área trabalhista, é o fim da picada...
Acho mesmo que quem legisla não tem a menor noção do que é a vida real, sofrida, que o trabalhador enfrenta no dia-a-dia... e isso se estende ao empregador, também....
Justiça, principalmente a trabalhista, tem que se preocupar em SIMPLIFICAR a relação capital/trabalho e não instigar novos conflitos... pricipalmente, quando se percebe que serão gerados conflitos absurdamente descabidos...
Bem diz Roberto Jefferson quando afirma que o povo está se enfurecendo...
Essa gente que se cuide.
Povo ordeiro não significa ser povo submisso...
Povo ordeiro não significa ser povo ignorante...
Cuidado, senhores legisladores.

Comentar

Comentários encerrados em 6/01/2012.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.