Consultor Jurídico

Comentários de leitores

6 comentários

ABA e OAB - Culturas distintas - Exigencias diferentes

J. Ribeiro (Advogado Autônomo - Empresarial)

É um comparativo que estão fazendo um pouco equivocado. Os EUA tem as melhores faculdades do mundo. Faculdades com bons recursos, material e humano. Tem alunos muito bem preparados. Tem professores de comprovada competência. Há uma constante busca pela "excelência" no ensino. Portanto é razoável que lá haja um padrão de qualidade que não permita reduzi-la pelo fato de atender a pessoas necessitadas. O Estado americano oferece uma série de opções para pagamento dos cursos, como, p.e., a prestação por serviços públicos.
Já por aqui há sim uma procura apenas pelo "canudo". Com a omissão dolosa do "Estado", que não preza pela qualidade e sim pela quantidade, acaba favorecendo a industria do "curso superior" de baixa qualidade. As entidades profissionais, como a OAB, o CREA, o CRM e outros órgãos, deve sim procurar resguardar e exigir uma formação razoável desses futuros profissionais.
O que o Estado deveria fazer estabelecer critérios mais rígidos para criação de faculdades e estimular os cursos de especialização, mestrado e doutorado para professores, com intercâmbio, tanto da rede pública como privada. Tenham certeza que isto não é despesa, é investimento e respeito aos cidadãos deste país, que há muito são merecedores de uma reforma radical na educação deste país. Em vinte anos acabariamos com a fome e a miséria cultural deste país tão cheio de ignorantes. "D. V.".

Ideologia

Jefferson Jr (Outros)

Ideologia x epistemologia
Obviamente há, sim, uma certa falácia hipócrita e demagógica na OAB e na ABA. Afinal, mesmo os cursos com a suposta "excelência" na qualidade de ensino não conseguem retirar "mestres" da idiotia intelectual e cegueira ideológica. Compreensível. Afinal, tanto aqui (OAB) quanto lá (ABA) busca-se desesperadamente preservar o mercado, através do domínio dos postos mais importantes do Direito, sob a falsa prerrogativa de manutenção da qualidade.
Lá eu não sei, mas aqui, embora lentíssimo, este processo tende a mudar, pois os programas de inclusão, tal qual o PROUNI que me colocou em uma boa faculdade particular, para estudar à noite - algo repudiado pelos discurssistas demagógicos - garantem não não só a ascensão pessoal e social, mas também que pessoas com consciência de classe venham a ocupar posições de enfrentamento no universo do Direito, buscando a promoção da igualdade e o combate a esta alienação ideológica com falso rótulo de "qualidade de ensino".
Em verdade, qualquer bom estudante secundarista consegue observar, sem as lentes do preconceito elitista sofocrático, que o exame da Ordem, tal como é hoje, inobstante ao reconhecimento do triste e vergonhoso quadro de baixa qualidade de ensino em geral (e não tão somente no Direito), não passa de um instrumento de manutenção de privilégios e reserva de mercado.

Ditadura sim e lei da mordaça também

Cleia Santiago (Outros)

Professor Sérgio Niemeyer
Tem certeza que leu o título da matéria, lá diz que a ABA se nega a credenciar faculdade que a criticou, então para se ter bons profissionais tem que desrespeitar os direitos já conquistados? parece que na sua opinião sim, afinal de contas se a faculdade está insatisfeita tem que ficar caladinha pra não retaliada... me poupe professor. Não discordo do seu discurso num todo, concordo que no Brasil temos advogados que deveriam voltar a faculdade e estudar tudo de novo, o despreparo vai desde os erros ortográficos em peças até o comportamento em audiências, os fatos mais bizarros ocorrem na área trabalhista, alguns advogados querem acabar a causa logo embolsar aquele "tostãozinho" e cair fora não tem nem ai pra lutar pelo direito do trabalhador perante a justiça.
Agora dizer que um conselho composto de empregado e donos de faculdades de direito já credenciadas pela ABA tem caráter de autorizar credenciamento de novas faculdade é leviano.

Curso de Direito não forma advogado, então OAB não tem que

daniel (Outros - Administrativa)

Curso de Direito não forma advogado, então OAB não tem que ciscar nas faculdades de direito (que não são faculdades de advocacia). AFinal, a OAB tem o Exame de Proficiência para selecionar.
Ditadura sim ! Não está preocupada com qualidade de ensino não ! TAnto é que não fiscaliza os cursos de pós-graduação, está preocupada apenas com reserva de mercado.

Ditadura uma ova!

Sérgio Niemeyer (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Garantia de qualidade, isto sim.
.
A ABA tem a responsabilidade de assegurar cursos que formem bons profissionais. Esse controle é feito em homenagem à sociedade e respeito aos direitos, às liberdades e às garantias fundamentais individuais e coletivas. Afinal, o advogado cuida, invariavelmente, dos direitos alheios, está à frente da luta em prol das liberdades civis e do confronto com os desmandos do Estado. Só um profissional qualificado, bem preparado será capaz de se desincumbir dessa missão.
.
Todo advogado é soldado numa batalha incessante. E não se manda para o «front» quem não esteja muito bem preparado, a menos que não se tenha nenhuma intenção de vencê-la.
.
Vale o ditado: «quem não tem competência não se estabelece». O controle exercido pela ABA não pode ser confundido com reserva de mercado, pois ela não interfere na competição entre os advogados. O que ela faz é um controle de qualidade para que a concorrência seja justa e equânime. Lá, não há um só advogado que plagie a peça de outro. Aqui, basta alguém elaborar uma tese bem sucedida (principalmente em Direito Tributário) para que muitos corram a copiá-la a fim de tirar proveito da intelectualidade do colega bem preparado.
.
A OAB deveria inspirar-se e abeberar no exemplo da ABA e reprovar muitos cursos de Direito no Brasil que formam bacharéis sem a menor condição de exercerem a advocacia.
.
(a) Sérgio Niemeyer
Advogado – Mestre em Direito pela USP – sergioniemeyer@adv.oabsp.org.br

Ditadura da OAB-ABA

daniel (Outros - Administrativa)

ISto é uma ditadura. Afinal, não cabe a órgão de classe profissional definir critérios educacionais, pois isto é assunto de Estado.
No Brasil, a OAB acha que pode "credenciar" cursos, mas não pode não,pois a lei não lhe dá este poder, mas querem dar "credenciamento".

Comentar

Comentários encerrados em 31/12/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.