Consultor Jurídico

Comentários de leitores

7 comentários

continuando

amorim tupy (Engenheiro)

Inflaram os numeros de usuarios de Crake e agora ja tem onde gastar 04 bilhões.
Inflam o numero de assaltos em uma praça o compadre ganha a concorrencia para instalar cameras de vigilancia e com as instalação os numeros baixam.
Em vila velha Es o prefeito rolou uma pedra para dentro de um valão e agora quer 80 bilhões para saneamento basico.
Quem ganha com as famosa saidinhas de banco (assalto a quem saca dinheiro)
R= Os banqueiros, pois o cidadão se assusta com os numeros e passa a usar o CARTÃO.

continuando

amorim tupy (Engenheiro)

Inflaram os numeros de usuarios de Crake e agora ja tem onde gastar 04 bilhões.
Inflam o numero de assaltos em uma praça o compadre ganha a concorrencia para instalar cameras de vigilancia e com as instalação os numeros baixam.
Em vila velha Es o prefeito rolou uma pedra para dentro de um valão e agora quer 80 bilhões para saneamento basico.
Quem ganha com as famosa saidinhas de banco (assalto a quem saca dinheiro)
R= Os banqueiros, pois o cidadão se assusta com os numeros e passa a usar o CARTÃO.

conversa fiada

amorim tupy (Engenheiro)

Mata se sim ! como não?
mas os numeros são alterados conforme necessidade do governo que pretende implantar um ditadura no pais.
coisa tipo:Infla se os indices de homicidios desarma o povo e diz que o desarmamento surtiu efeito.
Infla o a morte de menores e proibe menores de sair a noite .

Ingenuidade

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Quantos foram as investigações e acusações promovidas por delegados e membros do Ministério Público que foram anuladas, somente no ano de 2011? Milhares delas, essa a resposta. Quantos foram os crimes, inclusive de homicídio, na qual sequer se chegou a interposição da ação penal, somente no ano de 2011? Milhares deles, essa a resposta. E porque isso acontece? Justamente porque a polícia e o Ministério Público no Brasil nem de longe estão preocupados em cumprir seus papéis. O que todos eles querem é usar os cargos e estrutura das corporações para conseguir seus objetivos pessoais, particulares. Consomem tempo e recursos pagos por nós para perseguir seus desafetos, inocentes, e deixam de se empenhar nos crimes cujo autor é um de seus protegidos. O mais grave disso tudo é que a sociedade pouco se preocupa. Não se vê delegados e membros do Ministério Público serem questionados a respeito de investigações falhas, manipuladas, ou "bizarras", da mesma forma que não se questiona quando o crime sequer é investigado. Em países desenvolvidos há um rigoroso controle sobre a atividade repressora penal. Delegados e membros do Ministério Público, em muitos lugares, são eleitos com mandato fixo, e qualquer insatisfação por parte da população pode significar a ruína na carreira. Assim, não sejamos ingênuos em acreditar que precisamos de reforma nas leis para acabar com a situação de guerra que vivemos.

Visão equivocada

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Devo discordar dos comentaristas que me antecederam. O Brasil tem uma das legislações mais modernas do mundo no que tange a proteção à vida. Inexiste previsão legal no sentido de proteger delinquentes ou matadores. Porém, temos um abismo entre o dever ser (leis em tese) e o ser (dia a dia das instituições republicanas), que leva à delinquência que conhecemos. Ao contrário do que ocorre em países desenvolvidos, aqui temos uma polícia corrupta, que só investiga o que quer, um Ministério Público sem qualquer legitimidade, que também acusa ou acoberta livremente quem eles querem, sem qualquer controle por parte da sociedade, e um Poder Judiciário que é muito mais um desdobramento do Executivo do que um verdadeiro distribuidor da Justiça. A falha que temos está no funcionamento das instituições, não nas leis.

A CULPA É DAS VÍTIMAS

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

Enquanto não houver conscientização de que deve-se priorizar a sociedade em relação aos bandidos, nada mudará. Há uma total inversão de valores, de tal sorte que as vítimas são totalmente esquecidas, passando a ser apenas um número a mais nas estatísticas; pelo menos é isso que aparenta toda vez que não se pune exemplarmente um delinquente. Direitos humanos devem ser uma prioridade, mas apenas para humanos direitos.

A SITUAÇÃO É GRAVE

Hiran Carvalho (Advogado Autônomo)

A nossa legislação não deu prioridade à vida, que é o direito fundamental mais importante (art. 5º da CF), mas aos direitos dos matadores, concedendo, para homicidas notórios, liberdade provisória e recursos infindáveis. Não é sem razão que o Brasil é um dos países de maior índice de assassinatos no mundo (ONU).

Comentar

Comentários encerrados em 22/12/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.