Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Resultado apertado

Eleição da direção do TJ paulista terá segundo turno

Por 

A diferença de apenas um voto levou a eleição da presidência do Tribunal de Justiça de São Paulo para o segundo turno. A reação de boa parte dos desembargadores que acompanharam a apuração deixou claro que o resultado apertado foi uma surpresa. O segundo escrutínio começa às 13h e o candidato com maior quantidade de votos será o novo, ou o reeleito, presidente do TJ-SP – independente da diferença de votos.

Ivan Ricardo Garisio Sartori, presidente da 13ª Câmara de Direito Público, liderava a apuração até a abertura da última urna quando o atual presidente do TJ, José Roberto Bedran o ultrapassou. Até a penúltima urna Sartori ganhava por 134 a 132 votos. Na última urna, Bedran fechou a apuração com 147 enquanto Sartori tinha 148 votos. Apenas um voto de diferença. Ainda foram computados 8 votos brancos e 5 votos nulos. Como nenhum dos candidatos obteve a maioria absoluta, ou seja 178 votos (50% do total de votos mais um) o pleito não foi encerrado no primeiro turno.

Para o cargo de corregedor-geral da Justiça também será realizado segundo escrutínio, já que Hamilton Elliot Akel recebeu 93 votos, José Damião Pinheiro Machado Cogan recebeu 69 votos e José Renato Nalini, 141 votos. O cargo de presidente da Seção de Direito Público também permanece indefinido. Antonio Carlos Malheiros recebeu 13 votos, Samuel Alves de Melo Júnior recebeu 38 votos e Ricardo Cintra Torres de Carvalho, 27 votos.

Também haverá segundo turno para Presidência da Seção Criminal. Fábio Poças Leitão recebeu 4 votos, Antônio Manssur recebeu 29 votos e Antonio Carlos Tristão Ribeiro, 37 votos. O resultado final da eleição está previsto para as 16h.

Eleitos
Para vice-presidente foi eleito o desembargador José Gaspar Gonzaga Franceschini com 273 votos. O desembargador Antonio José Silveira Paulilo, que foi candidato único, obteve 142 votos e presidirá a Seção de Direito Privado.

Para a Escola Paulista da Magistratura foi eleita a chapa comandada pelo desembargador Armando Sérgio Prado de Toledo com 150 votos. A chapa 9 votos a mais que a presidida pelo desembargador Ademir de Carvalho Benedito, que obteve 141. Além do diretor, compõem a chapa o vice-diretor, desembargador José Raul Gavião de Almeida, e os integrantes do Conselho Consultivo e de Programas, desembargadores Antonio Luiz Pires Neto, Geraldo Luís Wohlers Silveira, José Carlos Ferreira Alves, Luis Carlos de Barros, Paulo Dimas de Bellis Mascaretti e Ricardo Henry Marques Dip e o juiz Regis de Castilho Barbosa Filho, como representante do 1º grau. 

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 7 de dezembro de 2011, 12h50

Comentários de leitores

3 comentários

O que aconteceu?

Flávio (Funcionário público)

Até na eleição do TJ o PSDB influencia. Sabe porque o Dr. Bedran não foi eleito no 1° escrutinio, porque é apoiado pelo PSDB. Já não tinha um acordo para elegê-lo???

NOTÍCIA ERRADA

Marcelo Sartori (Advogado Sócio de Escritório)

Quem venceu o primeiro turno foi o Des. Ivan Sartori, conforme noticiado no site do TJ.

erro na notícia

observador_paulista (Outros)

Segundo notícia veiculada no site do próprio TJSP, quem ganhou o 1º turno da eleição foi o Des. Sartori, com 148 votos, obtendo o Des. Bedran 147.

Comentários encerrados em 15/12/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.