Consultor Jurídico

Colunas

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Estante Legal

Influências externas e gestão financeira na advocacia

Por 

O mercado de trabalho para o advogado, em seus mais variados aspectos, é tema de pelo menos dois livros que chegaram de forma quase simultânea às livrarias nas últimas semanas de novembro.  Finanças na Advocacia - Planejamento, Estratégia, Controle e Resultados, de Adnilson Hipólito, mostra a importância cada vez maior da administração financeira na gestão de escritórios, assunto ainda e inexplicavelmente pouco explorado pelo segmento editorial. Já O Crepúsculo do Império e a Aurora da China, do advogado Durval de Noronha Goyos Jr. inova por apresentar elementos valiosos para a compreensão do mercado de trabalho para profissionais do Direito nos chamados países emergentes, se é que a expressão ainda vale para a nação título, que parece destinada a se tornar a maior potência econômica do mundo.

Tanto quanto conceitos e fundamentos, o livro de Adnilson Hipólito expõe uma série de dicas baseadas em práticas consideradas essenciais à gestão financeira de um escritório de advocacia. Não dá mais, segundo o autor, para tratar a administração financeira na advocacia como um assunto secundário na vida do escritório. “Sem um planejamento econômico e financeiro, o escritório moderno não tem condições de crescimento sustentável”, afirma Hipólito, que torce pelo dia em que matérias de gestão legal farão parte do currículo das faculdades de Direito instaladas no país.

O livro tem o foco nas sociedades de advogados, qualquer que seja o tamanho, e é destinado não só ao operador de Direito, mas aos profissionais responsáveis pelo departamento financeiro da banca. O cenário econômico atual e a concorrência acirrada são fatores que propiciam e exigem a adoção de boas práticas de controle e de planejamento, adverte o autor. “Existe uma nova e pulsante advocacia que está em busca da inovação com modernas e avançadas técnicas de gestão legal”, afirma. É nesse sentido que ele considera fundamental para o sucesso no dia a dia de um escritório tanto o conhecimento quanto o manejo adequado das ferramentas existentes no mercado.

Consultor e administrador especialista em gestão de serviços jurídicos na área de finanças na advocacia, Adnilson Hipólito atuou nas áreas administrativo-financeira e comercial de empresas por mais de 11 anos, além de ter sido gestor executivo em sociedade de advogados por vários anos. O livro nasceu, segundo ele, da constatação de que existe uma escassez de obras no mercado voltadas exclusivamente para o planejamento estratégico e financeiro das sociedades de advogados. “É um trabalho pioneiro no mundo jurídico”, afirma.

Já o livro de Durval de Noronha Goyos Jr. tem como pano de fundo a crise econômica e financeira que atingiu os Estados Unidos em 2008, cujos efeitos espalham-se ainda hoje pelos quatro cantos do mundo. São vários artigos que ajudam a compor um mosaico sobre a advocacia no plano internacional, incluindo a atuação da diplomacia brasileira em questões especificamente vinculadas ao Direito. Na primeira parte do livro, o autor dedica bom espaço para sustentar números e argumentos que apontam para a insustentabilidade do poderio hegemônico dos Estados Unidos e o consequente avanço da China na economia e na construção de um novo cenário mundial.

Não por acaso, a apresentação do livro coube ao cientista político e historiador Luiz Alberto Moniz Bandeira, especialista em política externa e relações internacionais, autor de vasta bibliografia e uma intensa militância política que o levou, primeiro, ao exílio e, depois, à prisão em pleno regime militar. É dele, entre outros, o livro Presença dos Estados Unidos no Brasil - Dois séculos de História, que se tornou um clássico na área de relações internacionais. Hoje, aos 75 anos, aposentado, Moniz Bandeira mora na Alemanha, de onde escreveu um capítulo importante no livro de Noronha. “A emergência da China como a maior potência econômica mundial marcará o Século XXI”, ressaltou o historiador, com a mesma autoridade em que definiu os últimos 100 anos como “o século americano”.

Para Noronha Jr., algumas mudanças decorrentes da perda da influência econômica dos Estados Unidos já estão em andamento, com reflexos também no segmento de serviços legais. “Com o esgotamento dos seus mercados internos, agravado pelos efeitos da crise financeira e econômica iniciada em 2008, escritórios de advogados, principalmente dos Estados Unidos e do Reino Unido, buscam sua inserção nos mercados internacionais, com o objetivo de aumentar a base de clientela e de prestação de serviços jurídicos”, situa o autor.

Só na Inglaterra, afirma, a receita desses escritórios caiu acima de 15% no período posterior à crise, levando muitos deles à insolvência. Diante desse quadro, ele diz não se admirar com o fato de países como Brasil, China e Índia aparecerem como alvos de cobiça, uma situação que ele considera temerária para a advocacia local e para os próprios países. “A primeira providência que tais organizações estrangeiras procuram implementar é tirar da jurisdição brasileira, chinesa ou indiana a competência para apreciar disputas, numa fraude conceitual à aplicação territorial da lei do país em questão”, adverte no livro.

Serviço:

Título: Finanças na Advocacia - Planejamento, Estratégia, Controle e Resultados
Autor: Adnilson Hipólito
Editora: Juruá
Número de Páginas: 242 páginas
Edição: 1ª Edição – 2011
Preço: R$ 57,90

Título: O Crepúsculo do Império e a Aurora da China
Autor: Durval de Noronha Goyos Jr.
Editora: Observador Legal
Número de Páginas: 272 páginas
Edição: 1ª Edição – 2011
Preço: R$ 48,00

 é jornalista.

Revista Consultor Jurídico, 5 de dezembro de 2011, 10h20

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 13/12/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.