Consultor Jurídico

Comentários de leitores

5 comentários

ISSO TEM NOME

Fernando José Gonçalves (Advogado Sócio de Escritório)

E esse "complexo de causas" tem um nome: SACANAGEM. Quem vai querer mudar um sistema absolutamente falho, inerte, sem objetivo, em seu próprio desfavor ? RESPOSTA: NINGUÉM DO LEGISLATIVO, NINGUÉM DO JUDICIÁRIO E NINGUÉM DO P. EXECUTIVO. Falar em "sensação de impunidade" já não mais corresponde a realidade. HOJE NÃO É MAIS PURA SENSAÇÃO, É IMPUNIDADE TOTAL, MESMO.

"filigrana jurídica"

cler (Consultor)

Realmente adorei a expressão "filigrana jurídica" que, traduziria para "política do avestruz", aliás, literalmente. Passa uma boiada, mas seguram um bezerro.O Brasil está fadado a ser reconhecido internacionalmente como, além do país do carnaval, futebol, bundas, prostituição infantil, turismo sexual, etc., agora inclusive, pela deficiência auditiva e visual da sua Corte Suprema, isso tentando ser delicada. Mas o que esperar de uma corte formada politicamente? O que esperar de um Congresso que legisla em benefício próprio? O que esperar de uma povo que se omite, quando morre nas filas do hospitais públicos ou por falta de medicamentos? E que esperar dos governantes que desviam o dinheiro da educação? A coisa está feia minha gente!!!!!

IMAGINE A MESMA PESQUISA FEITA PARA OS POLÍTICOS

Olympio B. dos S. Neto (Advogado Autônomo)

Se o funcionalismo público esta assim então imagine como devem estar os chefes do executivo, os parlamentares e os ocupantes de cargos políticos.

A CULPA É DO SUPREMO

huallisson (Professor Universitário)

Cada decisão teratológica do Supremo é uma ducha de água fria na cabeça dos éticos e honestos, pois que se sentem como bobos. Ora, o Supremo, que deveria ser ético e honesto, se apega a filigrana jurídica para mandar 189 corruptos - fichas sujas - para comandar os poderes públicos;que manda acabar com o estágio prático no curso de Direito para favorecer a corrupção do GATUNÃO OPHIR, conforme denúncia do MP e de palavras de um dos Eminentes ex-presidentes da OAB-PA; que deixa prescrever uma dívida de 2 bi de um todo poderoso, o que se pode esperar mais da Justiça brasileira, senão um enorme incentivo à desonestidade? TODA CULPA É DO SUPREMO. Não se iluda, minha gente!Os Bobos da Corte acham que nós é que samos ingênuos. Pedro Cassimiro - Professor.

A ideia de Corte ainda é forte

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

A questão é que no Brasil ainda há uma ideia arraigada no sentido de que a população é dividida em duas partes: o povo (antes chamados de súditos); os servidores e agentes públicos (antes chamados de Corte). Nesse sentido, o corpo burocrático trata a si mesma como uma classe que está acima dos "comuns", fazendo com que a resposabilização quase nunca venha. Juízes, delegados, servidores em geral, membros do Ministério Público são em essência a mesma coisa no que tange ao relacionamento com a sociedade civil, fazendo com que exista um regime de proteção mútua que acaba por retirar do cidadão comum o controle.

Comentar

Comentários encerrados em 12/12/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.