Consultor Jurídico

Comentários de leitores

7 comentários

Probidade

baroch (Outros)

Este termo é muito desconhecido na administração Pública, trata-se de princípio da moralidade que é de ordem pública, que prevalece sobre todos os outros. A meu ver as alegações de:presunção de inocência e recusa de fazer prova contra si; são perfeitamente submissa ao princípio maior: Moralidade. Já em tempo entender que acima de tudo há prevalência da MORALIDADE.

"Chingar" ?????

Axel (Bacharel)

Tomara que o advogado Marcos Alves Pintar não esteja ensinando "aos mais novos" a escrever a palavra xingar com "ch".

O QUINCA É NEGÃO

huallisson (Professor Universitário)

Muito inteligente a sacada do Min Joaquim Barbosa.A Lei da Ficha Limpa deve mesmo ser considerada o Código de Ética Eleitoral.Na arte da ética o Quinca é mesmo "negão"! Quanto ao advogado Ademilson acima, que condena a retroatividade da Lei, seria bom que o nobre comentarista soubesse que a moralidade na res publica antecede até mesmo as catilinarias.Para ser mais preciso, eu diria que surgiu com a idade da razão.Bem dito, para os bons porque para os maus nunca existiu.
Pedro Cassimiro - Professor

Ética

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Nunca um advogado deve falar em ética quando peticiona junto ao Poder Judiciário, é o que eu ensino aos mais novos. Ainda não compreendi totalmente como isso funciona na cabeça dos magistrados, mas quando se usa a palavra "ética" é o mesmo que chingar todos os juízes dos nomes mais feios possíveis. Que esclareçam os psicólogos porque esse fenômeno ocorre.

O Judiciário não tem ética

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Creio que a situação mais deplorável no relacionamento entre Judiciário e jurisdicionado no Brasil surge quando magistrados brasileiros evocam a ética. Ainda nesta semana, quando arrazoava um recurso, eu lembrava que o juiz brasileiro não tem ética; não tem estatuto de ética (o que o CNJ criou não serve para absolutamente nada); não tem tribunal de ética; e não se guia por preceitos éticos. Trata-se de uma classe que não está preparada para lidar com ética, embora eles gostem aqui e ali de evocar isso como razão de julgamento.

TRISTE...

Eng. Julio Auler (Engenheiro)

Dr. Ademilson Pereira Diniz, fiquei muito triste em ver seu comentário. Aqui não é um forum adequado para discuções. Gostaria que comentasse em um forum mais democrático como o facebook. Mas pelo visto não irá comentar lá, pois pelo que escreveu não gosta da vontade popular, e. portando não gosta da democracia. Com bastante razoabilidade dá para perceber que prefere manipulações politicas para elaboração de leis e não o "bem comum". Esquece a premissa de que uma boa lei é uma lei justa.

Ética? Que ética?

Ademilson Pereira Diniz (Advogado Autônomo - Civil)

Numa conversa de botequim, onde alguns preferem aprender o que sabem da vida, a assertiva de que o Lei da Ficha Limpa é ÉTICA e MORAL, até que vai bem, ao lado de alguns chops democráticos; ocorre que, no caso, não se trata disso. Se trata de se apreciar, sob o pondo de vista CONSTITUCIONAL se referida LEI está ou não de acordo com aquelo que a CONSTITUICÃO admititu como o sistema ético por ela adotado. O Ministro ( e outros que se dizem juristas) não se deve esquecer de que NÃO HÁ UMA ÉTICA ABSTRATA E FILOSÓFICA(foi isto já nos disse Machiavel)e, em se tratando de um conceito a ser aplicado numa decisão judicial (ainda mais judicial/constitucional), SÓ SE PODE FALAR NAQUELA ÉTICA ACOLHIDA PELO SISTEMA CONSTITUCIONAL, já que é justamente por esse motivo que obriga juridicamente a todos. No caso dessa LEI, ela até pode atender aos anseios, não somente do povo brasileiro mas de todos os povos, de ter políticos probos e honestos. Aí residira seu apelo ético. Ocorre que os MEIOS de que lançou mão para isso, vieram em desacordo com os preceitos e os princípios constitucionais, e mais, com violação de preceitos de ordem civilizatória, qual seja, a possibilidade de alcançar atos pretéritos à sua vigência. Dar efeito retroativo a uma LEI, para prejudicar interesse (qualquer que seja, mesmo esse dessa Lei, de impedir alguém a concorrer a um cargo polícito por cometimento de fato que, à época de sua ocorrência, não trazia essa penalidade) É RETROAGIR EM MILÊNIOS NA CULTURA HUMANA; CHEGA A SER UMA BARBARIE.

Comentar

Comentários encerrados em 11/12/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.