Consultor Jurídico

Ponto extra

Net Rio e Anatel são alvos de ação do MPF

O Ministério Público Federal resolveu mover Ação Civil Pública para impedir a Net Rio de cobrar aluguel de aparelho decodificador por ponto extra de TV por assinatura, e exigir que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) proíba a prática. A ação baseia-se na Resolução 528/09, da própria Anatel, que veda a cobrança por ponto extra e de extensão.

Segundo a ação, que está na 14ª Vara Federal do Rio de Janeiro, o MPF quer que a Net Rio pague multa de R$ 10 mil para cada dia que a regra seja descumprida, além de indenização por dano moral coletivo de R$ 10 milhões. À Anatel, em caso de descumprimento da determinação, o MPF pede multa diária de R$ 5 mil e indenização de R$ 1,5 milhão por dano moral. As quantias serão destinadas ao Fundo de Defesa dos Diretos Difusos.

O processo resulta de inquérito civil público aberto pelo Ministério Público Federal a partir da denúncia de um cliente da Net Rio. O homem contou que pediu um decodificador à empresa, e foi informado, reiteradamente, que teria de pagar. Indagada pelo procurador Marcio Barra Lima, autor da ação, a Net disse que não contraria a normatização da Anatel. Com informações da Assessoria de Imprensa da Procuradora Geral da República no Rio de Janeiro.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 13 de agosto de 2011, 8h12

Comentários de leitores

1 comentário

A prática é comum

D4NieL (Servidor)

Ao que me consta a Via Embratel também faz a cobrança.

Comentários encerrados em 21/08/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.