Consultor Jurídico

Reformas e reajustes

STF aprova proposta orçamentária de R$ 614 milhões

Os ministros do Supremo Tribunal Federal aprovaram, em sessão administrativa nesta quarta-feira (3/8), a proposta orçamentária da Corte para 2012 no valor de R$ 614 milhões. A proposta abrange o custeio da máquina administrativa do STF, investimentos em obras de manutenção, despesas com pessoal e encargos sociais.

A Corte reafirmou o entendimento de que não cabe ao Poder Executivo fazer cortes no projeto original do STF. A proposta orçamentária será enviada ao Executivo nesta quinta-feira (4/8) e, de acordo com entendimento unânime dos ministros, somente poderá ser alterada pelo Congresso Nacional. O orçamento aprovado inclui valores dos reajustes de subsídios dos ministros (14,79%) e do Plano de Cargos e Salários dos servidores, cujos projetos estão em tramitação no Congresso Nacional.

Estão previstos gastos de R$ 18,9 milhões com a manutenção do prédio que, segundo o Supremo, foi construído há 51 anos e hoje apresenta sinais de deterioração, principalmente nas esquadrias de ferro que, apesar de revestidas com alumínio, tornaram-se fator de preocupação, porque estariam colocando em risco a segurança dos que transitam pelo edifício.

Há ainda previsão de investimento de R$ 12 milhões em um novo projeto de informática do STF, o e-Jus, além de R$ 11 milhões para os projetos já implantados. O orçamento do STF contempla ainda verbas para solucionar o problema da deficiência de elevadores do Anexo II do Tribunal. Será construída uma torre com três amplos elevadores na fachada frontal do Anexo II. A obra já tem o aval do autor do projeto arquitetônico, Oscar Niemeyer, e custará R$ 3 milhões.

O STF está investindo em projetos inteligentes de iluminação e ar condicionado, como explicou o diretor-geral da Corte, Alcides Diniz da Silva, após a sessão administrativa. Com os novos sistemas, se houver apenas uma sala com pessoas trabalhando, o ar condicionado funcionará apenas nesse espaço. Antes disso, todo o andar era refrigerado. Da mesma forma, as luzes ficarão acesas apenas nas salas onde houver funcionários trabalhando. Com informações da Assessoria de Imprensa do STF.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 3 de agosto de 2011, 20h59

Comentários de leitores

5 comentários

Marketing

MSM74 (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Deveriam aproveitar o "dinheiro" para divulgar que é o Tribunal responsável pela inadvertida suspensão dos processos dos planos econômicos (ainda sem previsão para julgamento, apesar do pacífico entendimento de todos os Tribunais, inclusive da própria Suprema Corte, e de já apresentado parecer pelo PGR, nos autos da ADPF 165), prejudicando milhões de pessoas, em sua grande maioria idosos e aposentados.

Pra ficar "bem na fita"

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O mais lastimável é ver o quanto é gasto em publicidade, enquanto a esmagadora maioria da população sequer sabe o que o STF faz.

apenas doze milhões em informática ?????

daniel (Outros - Administrativa)

O STF também prefere gastar com mordomias, luxo e palácios em vez de investir em informatização !!
Uma vergonha este STF ....

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 11/08/2011.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.